O fantasma da censura assombra a população iraniana

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Cena de "Where Are You on January 8th?"

Artistas brasileiros tem ainda fresco na memória os terrores da censura da Ditadura Militar e sabe bem quão difícil se trorna a expressão com os rigores de uma política autoritária em que prepondera o cerceamento da liberdade de expressão. Pode-se sentir isso em dois planos com a Mehr Theatre Group, de Teerã (Irã) : no debate relizado ontem e no espetáculo Where Were You on January 8th? (que será apresentada no SESC Belenzinho nas proximas quarta (13) e quinta-feira (14), no SESC Belenzinhio em São Paulo.

Uma das atrizes da companhia comentou sobre os procedimentos tomados pela censura iraniana para decidir sobre os assuntos que podem ou não serem discutidos livremente.

“O Centro de Artes Dramáticas recebe os textos para serem autorizados tanto pelo conteudo como pelo qualidade do mesmo”.

Já a respeito da auto – censura, inerente aos próprios produtores dos espetáculos, “há um auto- policiamento quanto ao conteúdo. Todos sabemos o que se pode falar E, para falarmos do que não se pode, usamos outros caminhos, por exemplo, quando se trata de alguma palavra proibida modificamos para algo engraçado e diferente”.

Cena de "Where Are You on January 8th?"

.

Em Where Were You on January 8th? a tensão do autoritarismo que engessa a liberdade das pessoas ganha potência pela claustrofobia que o medo causa, além de evidenciar a necessidade de re-significar substantivos e a dificuldade de comunicação pessoal (eles se utilizam de celulares para dialogar).

*Michel Fernandes viajou a convite do FIT SJRP

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*