O Grande Inquisidor agora no SESC Pompeia

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"O Grande Inquisidor" - crédito Águeda Amaral

SÃO PAULO – Sucesso de público e crítica, o espetáculo O Grande Inquisidor tem adaptação e direção de Rubens Rusche, cenografia e figurinos de Sylvia Moreira e traz à cena o ator Celso Frateschi. A montagem está de volta, dessa vez no SESC Pompeia.

“Recentemente, encenadores, como Patrice Chéreau e Peter Brook, entre outros, realizaram versões teatrais da obra com grande sucesso. O que nos inspira montar esse texto nos dias de hoje é sua pertinência poética e a contundência das questões que ele concretiza para o homem e para a sociedade do início do século 21. Talvez esta seja a sua contribuição para o teatro”, diz Celso Frateschi.

Sobre a construção de seu personagem, Frateschi detalha: “Busco a complexidade de suas relações e suas múltiplas possibilidades, para depois sintetizar, em ações essenciais, signos poéticos que possam estimular o prazer e a reflexão da plateia. O nosso Grande Inquisidor, feliz e infelizmente, é aquilo que está em cada um de nós e que, se ainda nos resta alguma esperança, repudiamos. É mais fácil vê-lo nos outros do que em nós mesmos, mas ele está em cada um de nós, passiva ou ativamente. Essa é a grande provocação de Dostoievski”.

Celso Frateschi é "O Grande Inquisidor" - crédito Águeda Amaral

A História

Sevilha, século 16. Na época mais terrível da Inquisição espanhola, um homem, que é visto fazendo milagres e seguido pela multidão como se fosse o Cristo de volta à terra, é preso, torturado e condenado à fogueira pelo Grande Inquisidor, um cardeal da Igreja. Na cela, durante o interrogatório, o Cardeal faz surpreendentes revelações a esse homem. Entre outras coisas, explica a ele por que sua vinda é considerada um estorvo à missão da Igreja.

“Aparentemente uma inocente parábola religiosa, O Grande Inquisidor é, na verdade, um discurso político, uma confrontação ideológica entre duas ideologias opostas. Acima de tudo está em debate a questão central da liberdade humana”, define o diretor.

Ficha Técnica:

Texto: Fiodor Dostoievski

Direção e Adaptação: Rubens Rusche

Elenco: Celso Frateschi e Mauro Schames

Cenário: Sylvia Moreira, Marcelo Halpern e Pedro Becker

Figurinos: Sylvia Moreira

Luz: Wagner Freire

Maquiagem: Leopoldo Pacheco

Assistência de Direção: André Piza

Comunicação: Monolito

Serviço:

O GRANDE INQUISIDOR – De 2 a 18 de dezembro. Sexta-feira e sábado, às 21 horas e domingo, às 19 horas, no Espaço Cênico do SESC POMPEIA.

Duração – 55 minutos.

Capacidade – 50 lugares.

Indicação Etária – 14 anos.

Ingressos – R$ 16,00 (inteira); R$ 8,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, pessoas com mais de 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante) e R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).

SESC Pompeia – Rua Clélia, 93. Telefone – (11) 3871-7700. Acesso para deficientes físicos.

Horário de funcionamento da Bilheteria – De terça a sábado das 9 às 21 horas e domingos e feriados das 9 às 20 horas (ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Aceitam-se cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners Club International) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro e Redeshop).

Não há estacionamento. Para informações sobre outras programações ligue 0800-118220 ou acesse o portal www.sescsp.org.br.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*