O mito de Hamlet recriado para os nossos dias

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone, parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Daniel Ortega em "OhAmlet"

OhAmlet– do Estado de Homens e de Bichos é o novo trabalho da Cia Artehúmus, que fica em cartaz no espaço Beta do SESC Consolação até 29 de julho

Como é bom assistir a um espetáculo em que o entusiasmo e o vigor do grupo de atores e equipe técnica transparecem, envolvendo a todos da platéia! Isso acontece com a encenação da Cia Artehúmus de Teatro (11º trabalho do gru-po), OhAmlet– do Estado de Homens e de Bichos,em que eles mesclam o clássico de  Shakespeare, Hamlet, com a fábula Amlet, do historiador medieval dinamarquês Saxo Grammaticus. Com dramaturgia e encenação de Evil Rebouças e atuação e dramaturgia dos oito atores, o espetáculo recria o mito de Shakespeare para os dias atuais, num tom moderno e próximo da realidade brasileira. A peça é apresentada no Espaço Beta do Sesc Consolação até o final desse mês, sempre às quintas e sextas.

A descontração e o envolvimento com o público é desde o início: os atores cumprimentam e convidam a todos a se sentarem; em seguida oferecem pipoca e começam um diálogo, perguntando sobre os presidentes do Brasil, os que morreram e foram substituídos e em que situação essa alternância de poder se concretizou. Claro que é um aquecimento para a história do povo de Elsinore, que conviveu com a morte do rei e seu irmão assumindo o trono em lugar do jovem Hamlet, filho do rei assassinado.

Com uma trilha sonora criada pelo próprio grupo (com canções desde Ray Conniff, Paralamas do Sucesso até Maquillage) e referências da realidade do Brasil contemporâneo, a história deShakespeare é retomada em cena.

“Ao trabalharmos a partir do mito Hamlet, investigamos o caráter mitológico em diálogo com o tempo presente. Desejamos que o espectador realize um ajuste entre o fato/mito e o momento presente”, explica Evil Rebouças.

Com  ironia e deboche o enredo de Shakespeare é apresentado, só que de maneira jocosa: o trono do rei é uma cadeira de praia, a festividade de coroação dos reis é um carnaval e a briga de Hamlet e a mãe é simbolizada com uma língua de vaca.

No programa da peça, o grupo afirma que não reproduzem “o material dramático e épico criados por Shakespeare e Grammaticus”, mas trabalham a partir do mito Hamlet. Senti por isso que o espectador se envolve com a proposta lúdica da montagem, mas faltam referências ao público da trama da obra clássica.

O grande destaque da montagem fica mesmo para a criatividade da Cia. Artehúmus — os oito atores são os responsáveis pela dramaturgia, além de criarem figurino, adereços, trilha sonora e iluminação. Se na criação técnica do espetáculo eles arrasam, em cena eles não deixam por menos.

A interpretação é visceral e o espectador se encanta com a rotatividade deles na pele dos personagens; alguns deles se revezam, uma hora é o rei, em outra a vítima. Daniel Ortega vive Hamlet quase o tempo todo, no entanto, sua interpretação de Oféilia é o ponto alto do espetáculo. O extenso figurino também merece ser ressaltado: são mais de 100 peças de roupas, a maioria delas recebeu tratamento para envelhecer.
Roteiro:
OhAmlet – do Estado de Homens e de Bicho
. Dramaturgia e encenação: Evill Rebouças. Atores-dramaturgos da cena: Daniel Ortega, Edu Silva, Leonardo Mussi, Nilson Castor, Queila Rodrigues, Rafael Nascimento, Roberta Ninin, Solange Moreno. Criação de figurinos: Daniel Ortega e Acácio Abreu de Oliveira. Materiais cenográficos: Criação de instalações: Leonardo Mussi. Criação de cenografia de cena:  Evill Rebouças. Criação de adereços: Adilson Vieira. Trilha musical e sonoridades:  O grupo. Mixagem: Eduardo Praddo, Rafael Nascimento. Músicas originais: Evill Rebouças, Leonardo Mussi, Roberta Ninin. Criação de vídeo: Luciana Ramim. Criação  de luz: Edu Silva. Fotos: Alícia Peres, Tércio Emo. Produção/Realização Cia. Artehúmus de Teatro.

Serviço: SESC Consolação – Espaço Beta, Rua Dr. Vila Nova, 245 – 3º andar – Vila Buarque- São Paulo/SP. Tel.: (11) 3234.3000. Quintas e sextas-feiras, 21h. Ingressos: R$ 2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes), R$ 5,00 (estudantes/ melhor idade/ usuário matriculado); R$ 10,00 (inteira). Duração: 90 minutos. Lotação: 60 lugares. Recomendação: 14 anos. Até 29 de Julho de 2011.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*