O Pato Selvagem abre mostra de repertório da Cia. Les Commediens Tropicales

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michelfernandes@superig.com.br)

SESC Santana traz primeira montagem brasileira de clássico de Ibsen
SESC Santana traz primeira montagem brasileira de clássico de Ibsen

Escrito no século 19 (1884) pelo dramaturgo norueguês Henrik Ibsen, o clássico da dramaturgia universal, O Pato Selvagem, ganha sua primeira montagem no Brasil pela Cia. Les Commediens Tropicales. A estreia da peça – neste sábado (9), 21h– marca a abertura da mostra do repertório da companhia no SESC Santana.

Como toda obra considerada clássica, O Pato Selvagem, apesar da aparente trama naturalista e habitual, carrega em si uma carga filosófica que rompe os extremos de tempo e espaço. Trata-se da busca da verdade em lugar da meia-verdade, por mais que isso represente a queda abissal da cômoda situação que não obriga o ser a enfrentar seus demônios.

Isso é codificado no texto de Ibsen pela figura de um fotógrafo imerso em um lar cercado de meias verdades na companhia de sua esposa, sua filha e seu pai, até que um amigo de infância, cego pelo desejo da verdade a todo custo, reaparece e busca revelar a parte escondida das verdades que sustentam as relações desta pequena família. Só que o confronto tem um alto preço. Será que poderão pagar?

pato3Repertório da Cia com exibição de peças até fevereiro

Sempre às sextas, às 21h, o Sesc Santana apresenta espetáculos que integram o repertório da Cia. Les Commediens Tropicales, que completa 5 anos de atividade. O primeiro espetáculo, 2º D. Pedro 2º, acontece nos dias 15 e 22 de janeiro. Quinta realização da Cia., discute e provoca sobre os caminhos históricos, místicos e míticos da figura de D. Pedro II. O que os historiadores contam, o que omitem e principalmente em que discordam. Desse modo, explorar o que de real ou virtual pode haver na história e em quem a faz. O foco é justamente a contradição existente nas diversas visões dos historiadores sobre os mesmos eventos históricos.

Segunda peça a integrar o repertório apresentado no Sesc Santana, o espetáculo A Última Quimera é um estudo-ensaio-espetáculo, coisa provisória, em constante pergunta sobre qual a contribuição de um artista no processo histórico? Um jogo, inspirado no romance homônimo de Ana Miranda, que subverte regras e experimenta o prazer da finitude, da morte, da poesia e, principalmente: do teatro. O ringue na selva das cidades está armado, de um lado Olavo Bilac, de outro Augusto dos Anjos, no outro canto os atores e no canto último deste quadrilátero, o público.

Chalaça, terceira e última peça da trajetória apresentada no Sesc Santana, aborda o que se esconde nas sombras da história do Brasil que serve de material tanto para romances picarescos quanto para dramas televisivos? Quem são essas personagens de atuação real que influenciaram e continuam a influenciar todas as ações políticas e sociais do Brasil? Por que os mitos brasileiros nunca são expostos em suas ações mais comezinhas e cotidianas, reveladoras de uma formação burguesa equivocada e uma classe política desajustada? A peça será apresentada nos dias 12 e 19 de fevereiro.

:

Repertório Les Commediens Tropicales De 09 de janeiro a 21 de fevereiro, sexta a domingo.

espetáculos

O PATO SELVAGEM – Estreia do texto inédito de Henrik Ibsen no Brasil. De 09 de janeiro a 21 de fevereiro, sábados, às 21h e domingos, às 19h30. Texto: Henrik Ibsen. Tradução e adaptação: Cia Les Commediens Tropicales. Texto Final: Carlos Canhameiro. Encenação: Cia Les Commediens Tropicales. Atores: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Jonas Golfeto, Michele Navarro, Paula Mirhan, Weber Fonseca. Cenografia: Ricardo Palmieri, José Valdir. Figurinos: Juliana Roso. Iluminação: Daniel Gonzalez. Vídeo Mapping e VideoArt: Eduardo Messias, Mateus Knelsen, Ricardo Palmieri. Pensamento Corporal: Tica Lemos. Operador de Luz: Rodrigo Bianchini. Assistência Geral: Tetembua Dandara. Produtor: Carlos Canhameiro. No Teatro. Duração: 85 min. Ingressos: R$ 16,00 (inteira); R$ 8,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). Recomendado para maiores de 14 anos.

2o D. PEDRO 2o Dias 15 e 21 de janeiro, sextas, às 21h. Provocador cênico: Fernando Villar. Texto: Carlos Canhameiro. Com: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Jonas Golfeto e Michele Navarro. No Teatro. Duração: 85 min. Ingressos: R$ 10,00 (inteira); R$ 5,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). Recomendado para maiores de 14 anos.

A ÚLTIMA QUIMERADias 29 de janeiro e 05 de fevereiro, sextas, às 21h. Provocador cênico: Georgette Fadel e Verônica Fabrini. Adaptação: Carlos Canhameiro. Com: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Michele Navarro, Paula Mirhan, Tetembua Dandara, Weber Fonseca. No Teatro. Duração: 90 min. Ingressos: R$ 10,00 (inteira); R$ 5,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). Recomendado para maiores de 14 anos.

CHALAÇA Dias 12 e 19 de fevereiro, sextas, às 21h. Encenação: Marcio Aurelio. Adaptação: Cia. Les Commediens Tropicales. Texto Final: Carlos Canhameiro. Com: Carlos Canhameiro, Daniel Gonzalez, Jonas Golfeto, Michele Navarro, Paula Mirhan, Tetembua Dandara e Weber Fonseca. No Teatro. Duração: 90 min. Ingressos: R$ 10,00 (inteira); R$ 5,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). Recomendado para maiores de 14 anos.

Palestras
TEATRO SEM DIREÇÃO – Uma conversa sobre a possibilidade de criação cênica sem a participação de um diretor. Dia 24 de janeiro, domingo, às 21h. Com Marcio Aurelio, Georgette Fadel e Verônica Fabrini. No Teatro. Duração: 60 min. Grátis. Recomendado para maiores de 14 anos.

DRAMATURGO BOM DRAMATURGO MORTO – O objetivo é provocar a discussão sobre o papel do dramaturgo no teatro contemporâneo e como a cena híbrida pode ser escrita. Dia 31 de janeiro, domingo, às 21h. Com Cássio Pires, Marcelo Lazzaratto e Sérgio Carvalho. No Teatro. Duração: 60 min. Grátis. Recomendado para maiores de 14 anos.

TEATRO E NOVAS LINGUAGENS – Espaço para discutir o uso que o teatro tem feito das novas linguagens: Internet, Realidade Aumentasda, Vídeo, etc. Dia 07 de fevereiro, domingo, às 21h. Com Ricardo Palmieri, Lucio Agra e Maria Tendlau. No Teatro. Duração: 60 min. Grátis. Recomendado para maiores de 14 anos.

SESC SANTANA – Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana. Fone: (11) 2971-8700. Ar condicionado. Acesso para deficientes físicos. Capacidade do teatro: 349 lugares. Ingressos à venda no Cinesesc e demais Unidades. Estacionamento no próprio SESC – R$ 3,50 pelo período de uma hora (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) e R$ 7,00 (demais usuários). www.sescsp.org.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.