A obra de Chico Buarque é homenageada em Musical da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho

Luís Francisco Wasilewski, do Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

As atrizes Malu Rodrigues e Soraya Ravele e Claudio Botelho estrelam triângulo amoroso em "Todos os musicais de Chico Buarque em 90 minutos". Foto: divulgação.
As atrizes Malu Rodrigues e Soraya Ravele e Claudio Botelho estrelam triângulo amoroso em “Todos os musicais de Chico Buarque em 90 minutos”. Foto: divulgação.

A obra de Chico Buarque sempre acompanhou a trajetória da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho. Responsáveis por bem-sucedidas versões de clássicos do autor como Ópera do Malandro e Suburbano Coração, eles retomam a ligação com o compositor – que comemorou 70 anos em 2014 – em um espetáculo  inédito, focado apenas em suas criações para teatro, cinema e televisão.

Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos, reúne pérolas compostas para peças como Roda Viva, Ópera do Malandro, Calabar, Gota d’Água, o ballet  O Grande Circo Místico e também para os filmes Quando o Carnaval Chegar,Para Viver um Grande Amor e Dona Flor e Seus Dois Maridos.

Depois de lotar todas as apresentações em cinco meses de temporada no Rio, o espetáculo desembarca em São Paulo, no Teatro Faap, entre 8 de agosto e 7 de setembro.

O musical faz uso das canções para contar as histórias de uma trupe teatral, vivida em cena por Claudio Botelho, Soraya Ravenle, Malu Rodrigues, Andre Loddi, Estrela Blanco, Felipe Tavolaro, Lilian Valeska e Renata Celidonio. Os atores/cantores além de interpretarem as personagens integrantes da trupe, também representam as personagens das peças que vão encenando ao longo das praças onde param para apresentar seu espetáculo. É o teatro dentro do teatro, sempre contado pelas letras de canções de Chico.

“Não é uma biografia. É uma homenagem ao compositor, que nos deu total liberdade de criação, e também uma oportunidade de ver e ouvir a obra de Chico através de seu viés teatral”, resume Claudio Botelho, que volta aos palcos depois de atuar nos shows Versão Brasileira  e Cole Porter e Meus Musicais de Estimação.

Enquanto dá voz à músicas como Tatuagem, Sem Fantasia e Pedaço de Mim, o elenco vive os encontros e desencontros amorosos na tal companhia mambembe (inspirada nas icônicas companhias de Dulcina de Moraes, Eva Todor, nos casais Cacilda Becker e Walmor Chagas, Maria Della Costa e Sandro Polônio, entre outros “mambembeiros”), cuja harmonia é desestabilizada pela chegada de uma nova integrante interpretada por Malu Rodrigues.

“É uma ciranda amorosa, lembra Quadrilha, de Drummond, mas também temos uma forte inspiração na Lulu e a Caixa de Pandora, de Frank Wedekind. Não por acaso, todos do elenco jovem fizeram O Despertar da Primavera, também de Wedekind, e agora voltamos à origem”, brinca Charles Möeller.

Wedekind também é citado nos cenários de Rogério Falcão, inspirados no expressionismo alemão, enquanto os figurinos – a cargo de Marcelo Pies – sublinham o universo circense das personagens em cena. Assim como Falcão e Pies, outros antigos parceiros de Möeller & Botelho completam a ficha técnica, como Paulo Cesar Medeiros (Iluminação), Beto Carramanhos (Visagismo), Marcelo Claret (Design de Som) e Tina Salles (Coordenação Artística).

Jovens colaboradores da dupla, Thiago Trajano e Jules Vandystadt assinam a orquestração e os arranjos vocais, respectivamente. Jules cumpriu a mesma função nos bem-sucedidos Beatles Num Céu de Diamantes, pelo o qual ganhou o Prêmio Shell, e Nada Será Como Antes – Milton Nascimento – O Musical, espetáculos semelhantes a Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos.

“Algumas das canções são encenadas como se fossem peças únicas, com inicio, meio e fim. Na obra de Chico para o teatro há naturalmente muitos personagens definidos e o desafio aqui é colocar canções que serviram a entidades fortes como a Joana, de Gota D´água, ou Max, de Ópera do Malandro, para serem monólogos ou diálogos entre novos personagens. Como estamos lidando com a obra teatral e não apenas canções aleatórias de Chico, é como escrever uma peça usando pedaços de peças já escritas e em nenhum momento citar as obras originais”, avalia Botelho, responsável pelo roteiro, que mistura algumas criações menos conhecidas aos clássicos inesquecíveis do cancioneiro buarqueano.

Ficha Técnica e Serviço:

SORAYA RAVENLE, CLAUDIO BOTELHO e MALU RODRIGUES em

 TODOS OS MUSICAIS DE CHICO BUARQUE EM 90 MINUTOS.

Com ANDRE LODDI, ESTRELA BLANCO, FELIPE TAVOLARO, LILIAN VALESKA e RENATA CELIDONIO

Músicos: THIAGO TRAJANO (guitarra, violão, bandolim / regência), LUCIANO CORREA (cello), PRISCILLA AZEVEDO (piano e acordeon) e MARCIO ROMANO (percussão e marimba).

Orquestração / Arranjos:

JULES VANDYSTADT

Um espetáculo de CHARLES MÖELLER & CLAUDIO BOTELHO

Produção: Möeller & Botelho

TODOS OS MUSICAIS DE CHICO BUARQUE EM 90 MINUTOS

Temporada de 08 de agosto a 07 de setembro de 2014

Sextas-feiras às 21h30, Sábados às 21h, Domingos, às 18h.

Ingressos a R$ 120 (plateia) e R$ 100 (balcão)

Teatro FAAP / Rua Alagoas, 903 / Higienópolis

Classificação: 12 anos

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado