Oficina apresenta repertório e celebra “Teatro de Extádio”

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (

"Taniko - O Rito do Mar" abre as "Dyonisíacas 2010"

)

Durante todo o ano de 2010, o grupo liderado por José Celso Martinez Corrêa, o Oficina Uzyna Uzona, viajou por sete capitais brasileiras realizando quatro peças de seu repertório –“Taniko – O Rito do Mar”, “Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!!”, “Bacantes” e “O Banquete” -, além de realizar oficinas e vivências artísticas, sendo todas as atividades gratuitas.

De volta a São Paulo, ou “Sampã” como denominam os “atuadores” (termo que define os intérpretes do Oficina) do grupo, lugar em que iniciaram as “Dyonisíacas em Viagem 2010” em maio deste ano, eles celebram o sucesso das viagens com direito a um tira-gosto do que será o Teatro de Extádio.

As oficinas oferecidas onde o grupo passou, chamadas Uzynas Uzonas, tiveram papeis fundamentais ao grupo. Além de servir como introdução ao sistema de trabalho do Oficina Uzyna Uzona, os oficineiros vivenciaram o trabalho da trupe liderada por Zé Celso participando como coreutas nos espetáculos apresentados.

Segundo a atriz Camila Mota, que faz parte da diretoria do grupo, essas oficinas gratuitas, seguidas das participações dos oficineiros nos espetáculos, resultaram em experiências bastante ricas, tanto para eles quanto para os atuadores do Oficina Uzyna Uzona.

“A experiência pode estimula-los a prosseguir no caminho da arte”, disse Camila.

Cacilda!!

Os espetáculos que começam a ser apresentados hoje, sofreram visíveis transformações, pelo menos é o que dizem, após esses sete meses de viagem, com o diálogo antropofágico entre diferentes culturas regionais, exemplo marcante disso é a inserção da procissão do Círio de Nazaré, tradicional festa religiosa de Belém em louvor a Nossa Senhora, deglutida e inserida em “Taniko – O Rito do Mar” que, por sua vez sincretiza o ritual Nô japonês com a bossa-nova brasileira e os orixás das religiões afro-descendentes.

Rumo ao Teatro de Extádio

Sim, estádio com “X”, porque o objetivo de Zé Celso é proporcionar um êxtase ritual com os espetáculos teatrais apresentados nessas “Dyonisíacas”, numa proporção similar à causada pela paixão brasileira ao futebol.

Sílvio Santos, dono do terreno ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguai, 520), apenas emprestou o espaço para a realização das “Dyonisíacas 2010”.

Uma lona com arquibancadas que comportam 1.500 espectadores reproduzem o palco-passarela do Teatro Oficina. Além dos espetáculos do repertório do grupo, as “Dyonisíacas” haverá shows, exposições etc.

A construção do Teatro Extádio no estacionamento de Sílvio Santos é provisória, o desejo da permanência, eterno.

SERVIÇO: Taniko (17/12), Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!! (18/12), Bacantes (19/12) e O Banquete (20/12).

Teatro de Extádio. Rua Jaceguai, 520, 3104-0678. Hoje, 20 h; sáb. e dom., 18 h; 2ª, 19 h. Grátis.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.