Oficinas gratuitas de DanceAbility recebem inscrições a partir de hoje

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

danceabilitySÃO PAULO – Se você pensa que sua idade, condição física, classe sócio-econômica e qualquer outro fator que, na sua concepção, o impede mergulhar em seus movimentos e descobrir-se apto à arte da dança, recomendo que se inscreva na 3ª Oficina de Dança DanceAbility, promovida gratuitamente pelo Núcleo Dança Aberta, a partir de hoje.

Como diz o site do Núcleo Dança Aberta, “o projeto DanceAbility foi fundado por Alito Alessi e Karen Nelson nos Estados Unidos, em 1987. Sob a liderança de Alessi, esse projeto vem criando comunidades de dança integradas por pessoas de diferentes culturas e habilidades físicas nos EUA, Europa, América Central e América do Sul”.

Em 2005, pela primeira vez, ouvi falar no método DanceAbility. A coreógrafa e bailarina alemã, Gerda König, diretora de Via Sem Regra, espetáculo da DIN A 13 Tanzcompany (que integra bailarinos com e sem deficiência) fruto de um projeto com bailarinos brasileiros, entre os quais estava eu – relatou sua experiência com o método: “um dos participantes, cujo tipo de deficiência fazia com que tivesse muitos espasmos, serviu para Alito explanar a ideia central do DanceAbility. Bailarinos sem nenhum tipo de deficiência aparente foram convocados para reproduzir a qualidade do movimento do aluno com espasmos. A dificuldade de tais bailarinos deixou explícita a inversão sobre ao pré-conceitos de normalidade”, disse.

Em miúdos, não há o maniqueísmo de definições de “padrão” e “deficiente”, em lugar disso – e experienciei isso em 2007 durante um workshop intensivo ministrado pelo próprio Alessi – há uma paleta repleta de movimentos-matizes, possibilidades onde se imaginava incapacidade e, isso, o DanceAbility me ensinou.

 

CLIQUE  AQUI PARA SABER MAIS E SE INSCREVER ATÉ 13 DE AGOSTO

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*