Os amantes da boa música têm encontro marcado com Arrigo Barnabé no Cult Paschoal

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com.br)

arrigo_219x300SÃO PAULO – Depois da passagem do excelente Aos Contrários, show de Adriana Capparelli e Letícia Coura, inaugurando o Cult Paschoal, projeto musical do Teatro Sérgio Cardoso com curadoria de Aimar Labaki, você só tem mais duas chances para conferir Caixa de Ódio, show performático de Arrigo Barnabé em homenagem a Lupicínio Rodrigues.

Desde pequeno costumava a ouvir o cancioneiro repleto de amores frustrados, crimes passionais e toda sorte de tintas intensas a pintar as paixões humanas. Vingança, Se Acaso Você Chegasse, Caixa de Ódio, entre outras canções de Lupicínio, fazem parte do show que tem Sérgio Espindola (violão e baixo) e Paulo Braga (piano) nos acompanhamentos musicais.

Em entrevista concedida ao Aplauso Brasil, Arrigo Barnabé fala mais sobre Caixa de Ódio, sobre seu novo show e sobre o projeto Cult Paschoal.

Aplauso Brasil – Arrigo, você é músico referência, desperta bastante interesse suas roupagens musicais ecléticas, a misturar elementos do popular ao erudito. O que podemos ver em Caixa de Ódio, no que diz respeito aos arranjos musicais, que renova as batidas de Lupicínio?

Arrigo Barnabé – Claro que existem algumas mudanças, mas nada ligado ao erudito. Eu diria que acontecem algumas transformações, mas sempre dentro do universo Lupiscinesco!

 

AB – Intensas e com alta carga dramática, como se dá o diálogo entre show e teatro em Caixa de Ódio?

Arrigo Barnabé – Cada canção é pensada como uma performance, tentando nunca repetir a interpretação, sempre com a idéia de que cada é interpretação é uma vida, um tempo vivo.

 

AB – Qual sua expectativa frente ao projeto Cult Paschoal para o universo musical?

Arrigo Barnabé
Arrigo Barnabé

Arrigo Barnabé – Bom, espero que pegue, o teatro é muito legal, só precisamos de mais divulgação para consolidar o horário, 23h30, uma coisa tipo as sessões malditas dos cinemas de antigamente.

 

AB – Quais seus próximos planos?

Arrigo Barnabé – Estou com um show novo, onde interpreto as canções do Hermelino Neder.

Com uma banda de meninas apenas: “O neurótico e as histéricas”.

O nome do show é: Pô, amar é importante.

Caixa de Ódio – O Universo de Lupicínio Rodrigues

Temporada: 21, 22, 28 e 29 de junho.

Horário: Sextas e sábados, às 23h30

Número de Lugares: 144

Duração: 80 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Músicos: Arrigo Barnabé – voz, Sérgio Espindola – violão e baixo, e Paulo Braga – piano

Gênero: Cabaret

Ingressos: R$40,00 (inteira), R$20,00 (meia-entrada)

Vendas na Bilheteria do Teatro e no ingresso rápido (www.ingressorapido.com.br) ou pelo 4003-1212

Bilheteria: De quarta a domingo, a partir das 15h

Telefone: 3288-0136

Aceita os cartões Visa e Visa Electron (débito e crédito)

Teatro Sérgio Cardoso

Governo do Estado de São Paulo

Realização: APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte

Local: Sala Paschoal Carlos Magno

Endereço: Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.