Peça dirigida pro Fábio Assunção faz promoção às sextas

Nanda Rovere, para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com

“O Expresso do Pôr do Sol”

SÃO PAULO – O Expresso do Pôr do Sol está em cartaz de sexta a domingo no Teatro Tucarena. O texto, de Cormac McCarthy, tem tradução de Nelson Amorim.  Maria Adelaide Amaral assina a dramaturgia e Fabio Assunção a direção, no elenco estão Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna. A peça terá preço promocional de R$ 30 às sextas-feiras.

Black é um ex-presidiário que se transformou em pastor. Depois de cometer atrocidades no decorrer da vida, se dedica a ajudar viciados em drogas. Age de acordo com os preceitos de Deus.

Está em seu apartamento com o professor White, que descrente com o mundo, tentou se matar na linha do trem.

Black impediu o suicídio do desconhecido e tenta convencê-lo a seguir em frente, enfrentando os obstáculos do cotidiano.

O espetáculo gira em torno dos diálogos entre os dois personagens, cada um colocando os seus pontos de vista sobre a vida, a morte e a religião. A liberdade de escolha é colocada em questão.

White está decidido a terminar com a sua vida, mas Black tenta incessantemente, convencê-lo do contrário. O texto não julga quem está certo e quem está errado e sim deixa para o espectador a tarefa de tirar as suas próprias conclusões.

Fabio Assunção faz uma estreia acertada como diretor. Guia com precisão os atores em cena.  Não há excessos. As movimentações contribuem para dar vigor à encenação e acompanha o grau de emoção dos personagens.

Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna são atores experientes que defendem com veemência o ponto de vista dos personagens e estabelecem um duelo verbal pulsante.

A luz de Caetano Vilela é um dos destaques. O desenho de luz cria a ambientação das cenas e funciona como cenário. Ela sugere os trilhos da estação de trem, o movimento do trem, a prisão e trabalha com a dualidade claro/escuro, salientando o embate entre os personagens.

A trilha sonora também ressalta a emoção dos atores e ajuda os personagens a colocarem à mostra a sua essência e a exporem momentos de duas vidas e/ou os seus questionamentos.

Ficha Técnica:
Texto: Cormack McCarthy
Tradução: Nelson Amorim
Dramaturgia: Maria Adelaide Amaral
Direção: Fabio Assunção
Elenco: Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna
Iluminação: Caetano Vilela
Direção de Arte e figurino: Fabio Namatame
Trilha Sonora: Eduardo Queiroz
Produção Executiva: Juliana Mucciolo
Direção de Produção: Brancalyone Produções (Edinho Rodrigues e Elza Costa)

Realização: FASS Produções
Idealização: FASS Produções (Fabio Assunção)

Serviço:

O Expresso do Pôr do Sol

Local: Teatro Tucarena
Endereço: Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes (Entrada pela Rua Bartira, esquina com a Rua Monte Alegre, 1024)
Horários: Sextas, às 21h – Sábados, às 21h – Domingos, às 19h
Temporada: De 31 de agosto a 25 de novembro de 2012
Preços: Sextas: R$ 30,00 – Sábados: R$ 50,00 – Domingos: R$ 50,00.
Os ingressos para estudantes da PUC custam apenas R$10,00 para todos os dias de espetáculo. Lotação: 300 lugares
Classificação Etária: 12 anos
Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a Domingo das 14h às 20h
Formas de Pagamento: Amex, Aura, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. Telefone da bilheteria (11): 3670-8455
Vendas pela Internet: www.ingressorapido.com.br
Estacionamento: R$ 15,00. Estacionamento conveniado Riti (Hotel Transamérica)
Rua Monte Alegre, 835. (Valor válido somente mediante a apresentação de ingressos das peças em cartaz no TUCA)

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*