Peça fala do poder transformador do teatro

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

 

"A Arte da Comédia" chega a SP
“A Arte da Comédia” chega a SP

SÃO PAULO- A Arte da Comédia mistura ficção e realidade para falar do teatro e do poder da representação. O texto é de Eduardo De Filippo, considerado o mais importante dramaturgo contemporâneo da Itália. A estreia é dia 11 de janeiro, às 21h00, no Sesc Santana. O numeroso  elenco conta com Ricardo Blat, Thelmo Fernandes, Erika Riba, Gustavo Wabner, Alcemar Vieira, Celso André, Alex Pinheiro,Sávio Moll, Teresa Tostes, Poena Viana, Bruno Gonçalves, Sergio Somene e Renato Bavier.

A peça, que cumpriu temporada de sucesso no Rio de Janeiro, foi indicada às principais premiações da área das artes cênicas– Prêmio Shell, Prêmio Cesgranrio – e venceu a FITA 2013 – Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis, .

O texto apresenta a  história de Orestes Campese (Ricardo Blat), dono da companhia teatral Barracão, que passa por sérios problemas financeiros após  um incêndio.

Orestes busca o apoio do prefeito De Caro (Thelmo Fernandes) para salvar a companhia, mas tem o seu pedido negado. Como geralmente acontece, o governante não tem interesse em apoiar cultura.

Expulso do Gabinete, o artista recebe, por engano, os nomes das personalidades que se reunirão com a autoridade municipal naquele dia e resolve colocar o prefeito numa situação embaraçosa: sugere que atores do seu grupo de teatro podem estar infiltrados na lista de convidados.

A ideia de Orestes, decepcionado e irritado com o desdém do prefeito, é mostrar a força do teatro e que ele não acontece somente no palco, mas faz parte do cotidiano das pessoas.

Como De caro acabou de assumir o cargo, ele não conhece muito bem os habitantes da cidade e terá muito trabalho para identificar quem está  interpretando e  quem está falando a verdade nos encontros políticos do gabinete.

Para essa empreitada, conta com a presença do  secretário Giacomo Franci (Gustavo Wabner), um puxa-saco, arrogante e dissimulado, mas também engraçado.

"A Arte da Comédia" chega a SP
“A Arte da Comédia” chega a SP

Diversas figuras entram em cena, apresentam detalhes de sua vida e pedem ajuda, como o médico do posto de saúde, o padre e a professora municipal .  Lucia Petrella, interpretada por Erika Riba, por exemplo, é uma professora primária que pede para ser  presa em virtude de um suposto crime que cometeu. Todos pensam que ela é louca.

Dividido em dois atos, o espetáculo traz na primeira parte reflexões sobre o papel do ator na sociedade,  através do encontro entre o diretor da companhia de teatro e o recém-empossado prefeito. Já no segundo ato, o público acompanha o jogo teatral e o desespero do prefeito em tentar decifrar se as pessoas que passam pela prefeitura são reais ou personagens.

O diretor Sergio Módena assinala a atualidade do texto e destaca que a obra faz um pertinente paralelo entre a  Itália de 1964, pós guerra, e o Brasil atual, ao questionar a importância do teatro perante outras supostas “prioridades” que uma autoridade deve se ocupar em períodos difíceis.

¨O  artista no Brasil se depara constantemente com essa situação. Ele sempre precisa provar que o teatro (e todas as outras formas de arte) é parte vital do país e que os governos devem se ocupar dele de uma forma um pouco mais consciente¨, diz.

A direção de Módena prima pela simplicidade nos artifícios cênicos para que o ator seja o foco da cena e a percepção do público aflore com mais intensidade, na medida em que as dúvidas sobre o que é real ou imaginário na trama crescem a cada momento: “Optei por uma encenação realista, sem grandes efeitos e sem um jogo de cena que tentasse ilustrar o jogo proposto pelo autor. Se fizesse isso, eu estaria colorindo uma tela já pintada. O resultado é extremamente poético”, conta o diretor.

Sobre Sergio Módena

Bacharel em Artes Cênicas pela Unicamp, Sergio Módena é também formado pela  École Philipe Gaulier, em Londres. Seus trabalhos mais recentes foram a direção das peças Sambinha, musical de Ana Velloso, A Revista do Ano – O Olimpo Carioca, musical de Tânia Brandão,  As Mimosas da Praça Tiradentes (prêmio Shell de melhor ator para Gustavo Gasparani),  musical de Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche, além do show Paletó de Lamê.  Adaptou o conto O Soldadinho de Chumbo, de H. C. Andersen, para o espetáculo O Soldadinho e a Bailarina, com Luana Piovani e direção de Gabriel Villela. Ao lado de Pedro Brício, dirigiu em 2008 o premiado espetáculo Cine-Teatro Limite. Atualmente dirige o espetáculo Ricardo III, de William Shakespeare, que estreiaem 10 de janeiro de 2014, no SESC Copacabana.

Ficha Técnica:

Direção: Sergio Módena.

Texto: Eduardo De Filippo.

Tradução: Marcio Aurélio.

Elenco: Ricardo Blat, Thelmo Fernandes, Erika Riba, Gustavo Wabner, Alcemar Vieira, Celso André, Alex Pinheiro, Sávio Moll, Teresa Tostes, Poena Viana, Bruno Gonçalves, Sergio Somene e Renato Bavier.

Cenografia: Aurora dos Campos.

Figurino: Antônio Medeiros.

Iluminação: Tomás Ribas.

Trilha sonora original: Gabriel Mesquita.

Produção trilha sonora: Fernando Lauria.

Programação visual: Mary Paz. Gestão do Projeto: Três! Ideias e Soluções Culturais – Gabriela Mendonça, Paula Salles e Renato Bavier. Realização: Trupe Fabulosa e Três! Ideias e Soluções Culturais.

Serviço:

A Arte da Comédia

SESC SANTANA – Av. Luís Dumont Villares, 579, São Paulo – SP. Telefone (11) 2971-8700. Capacidade do teatro: 337 lugares. Sextas e sábados, às 21h, Domingos, às 18h. Duração: 1h45. Classificação etária: 10 anos. Ingressos: R$ 24,00 (inteira). R$ 12,00 (estudantes, professores da rede pública, maiores de 60 anos e usuários do SESC), R$ 4,80 (comerciários). Formas de pagamento: dinheiro, cartão de débito e crédito. Bilheteria: de terça a sexta-feira, das 9h às 21h; sábados, das 10h às 21h; domingos, das 10 às 18h. Pontos de venda:todas as unidades do SESC ou no site www.sescsp.org.br.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*