Espectador profissional: Peça que fala de homofobia reestreia na capital paulista

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

Espetáculo "Tem Alguem que Nos Odeia" com as atrizes Ana Paula Grande e Bruna Anauate (foto).   Crédito/Imagem: Pedro Karg
Espetáculo “Tem Alguem que Nos Odeia” com as atrizes Ana Paula Grande e Bruna Anauate (foto). Crédito/Imagem: Pedro Karg

 SÃO PAULO– Tem Alguém Que Nos Odeia comemora um ano de estreia. O espetáculo, que ficou em cartaz na Sala Experimental do Teatro Augusta e percorreu  SESCs do interior paulista, reestreia sábado (2), às 20h00, no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK Iguatemi . A peça é de autoria de Michelle Ferreira. José Roberto Jardim assina a direção. No palco, as atrizes e produtoras Ana Paula Grande e Bruna Anauate, da  Le Cucá Companhia de Teatro, vivem duas mulheres que se amam e são vitimas de ações violentas e  homofóbicas.

Toda a ação se passa no apartamento de Maria, brasileira, que vive com Cate, que é estrangeira.

Duas mulheres que decidem assumir o amor que sentem uma pela outra e vivem num ambiente de horror por causa de um morador que as ameaça com agressões físicas e psicológicas.

Na verdade, elas não são aceitas no condomínio, não conseguem nenhum apoio para a resolução desse grave problema e os conflitos são inevitáveis.

As desavenças comuns no relacionamento de qualquer casal se tornam corriqueiras e insustentáveis pela dificuldade de se lidar com um cotidiano em que impera o desrespeito e o preconceito.

Espetáculo "Tem Alguem que Nos Odeia" com as atrizes Ana Paula Grande e Bruna Anauate (foto).   Crédito/Imagem: Pedro Karg
Espetáculo “Tem Alguem que Nos Odeia” com as atrizes Ana Paula Grande e Bruna Anauate (foto). Crédito/Imagem: Pedro Karg

A direção focou a atenção para a interpretação das atrizes e para o clima de suspense que o medo gera nas personagens. A insegurança toma conta das personagens  porque a qualquer momento elas podem ser vitimas da ignorância dos vizinhos que as veem como pecadoras.

A ação acontece no apartamento de Maria, com alguns objetos de cena. A montagem é intimista e o público sente de  perto o desespero das personagens, que chegam a pedir ajuda à justiça mas têm a solicitação negada.

O texto é impactante  porque mostra o quanto a falta de respeito para com o próximo pode prejudicar a vida de pessoas que sonham com a felicidade somente e não têm a intenção de ofender ninguém e lutam pelo direito de amar sem barreiras impostas pela sociedade.

Além disso, as atrizes estão excelentes e apresentam interpretações viscerais. que num crescente expõem as suas angústias e decepções.

Impossível sair do teatro sem reflexões sobre o amor e a importância de ações que garantam o respeito à união das pessoas do mesmo sexo. Alguns avanços aconteceram, mas o essencial é que as ações de violência sejam severamente punidas.

Tem Alguém Que Nos Odeia é o segundo texto da dramaturga a ser finalista do Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva, premiação que tem as parcerias da FUNARTE e do Instituto Camões.

O prêmio, no entanto, não foi garantia de um bom patrocínio. Com certeza o assunto do espetáculo foi o responsável pela falta de interesse das empresas, o que prova que o preconceito ainda é grande com relação às relações homossexuais.

Para viabilizar o projeto, as atrizes-produtoras buscaram um patrocínio coletivo, por meio de doações, e obtiveram um excelente resultado. 

Sobre José Roberto Jardim
Ator da Companhia Os Fofos Encenam, Jardim desponta no cenário paulistano. Ele se prepara para estrear sua segunda direção deste ano: Tempos de Marylin, de Sérgio Roveri. A primeira foi Opus 12 para vozes humanas, do mesmo autor. Está em cartaz como ator no espetáculo Vidas Privadas, com direção de José Possi Neto.

 Sobre o texto
Tem Alguém Que Nos Odeia acontece em São Paulo, metrópole que encanta e instiga Michelle Ferreira. “O urbano é uma constante nos meus textos. A cidade me fascina, nasci na cidade, eu vivo a cidade”. Para Michelle Ferreira – que escreveu o texto sob encomenda para as atrizes – o mais importante da obra é o jogo entre as personagens. “Encontrei um jogo teatral, um jogo legítimo para as atrizes. Algo que as revira e faz as pessoas revirarem.”

Ficha Técnica:
Texto: Michelle Ferreira
Direção: José Roberto Jardim
Elenco: Ana Paula Grande e Bruna Anauate
Iluminação: José Roberto Jardim
Sonoplastia: José Roberto Jardim
Cenário: Ana Paula Grande, Bruna Anauate e José Roberto Jardim
Cenotecnia: Zé Valdir
Figurino: Bruna Anauate
Produção: Cia Le Cucá – Ana Paula Grande e Bruna Anauate

Serviço
Tem Alguém Que Nos Odeia
Gênero: Suspense. Reestreia dia 2 de agosto, às 20h, no Teatro da Livraria da Vila do Shopping JK Iguatemi – Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi. Temporada: sábados às 20h e domingos às 18h. 50 minutos. Até dia 28 de setembro – Não haverá apresentação no dia 7 de setembro. . Duração: 70 minutos. Censura: 14 anos. Preço: R$ 60 – Meia-entrada (R$ 30) válida também para classe artística.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado