Premiado espetáculo re-estreia no Teatro Eva Herz

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com.br)

Bel Kovarik ganhou o Prêmio APCA de Melhor Atriz com "Dueto Para Um"
Bel Kovarik ganhou o Prêmio APCA de Melhor Atriz com “Dueto Para Um”

SÃO PAULO – Depois de temporadas em São Paulo, viagens e indicações a Prêmios, como Prêmio APCA 2010 de melhor atriz para Bel Kowarick, o espetáculo Dueto Para Um, reestreia no Teatro Eva Herz, quinta-feira (7), às 21 horas. Texto: Tom Kempinski. Tradução de Ana Saggese. Direção: Mika Lins. Elenco: Bel Kowarick e Marcos Damigo. A cenografia é de Cássio Brasil. Caetano Vilela assina a iluminação. Trilha sonora: Marcelo Pellegrini.

A peça é a primeira direção da atriz Mika Lins e conta uma história baseada na trajetória real da violoncelista inglesa Jacqueline du Pré. Jacqueline teve que parar de trabalhar aos 28 anos de idade porque sofria esclerose múltipla, uma doença degenerativa, e foi acometida de paralisia.

Em 1999, Mika leu uma matéria sobre o espetáculo que tinha dado a primeira indicação ao Molière francês para a atriz brasileira Cristiana Reali; o texto era Dueto Para Um. Se interessou pela obra e a recebeu, em inglês, de Ana Saggese ( quem assina a tradução), que estava morando em Londres. Desde então, Mika carregava o desejo de produzir a peça e protagonizá-la.

Segundo a atriz e diretora, o que mais a encanta na obra é a discussão que se coloca diante da impossibilidade do ser humano exercer a sua vocação e como a violoncelista tenta, com a ajuda de seu terapeuta, entender o dilema que se apresenta para ela.

¨Gosto de pensar na questão da modernidade, que é a fuga do sofrimento, a obrigação de você superar as adversidades. Não estou fazendo apologia à desistência , mas sinto uma verdadeira alergia à insistência em que a palavra ‘superação’ aparece no discurso cotidiano das pessoas. Para mim é disso que se trata o espetáculo:  Você ir fundo na sua dor, sem passar por cima (um dos significados de superação), sem ter medo de sofrer¨, declara Mika Lins.

Foi Mika quem convidou a atriz Bel Kowarick para atuar na peça. Sobre a atriz, Mika é só elogios:  ¨Amo o trabalho que a Bel faz, tenho muito orgulho. Quero dirigi-la mais um milhão de vezes¨, diz.

Também fala muito bem de sua equipe de trabalho: ¨ Marcos Suchara se integrou a nossa trupe com muita generosidade. Caetano Vilela é muito talentoso, profissional e com quem conversei muito durante o processo. Cassio Brasil é um dos meus melhores interlocutores no teatro e na vida. Alguém que sempre me estimula¨, elogia Mika.

Bel Kowarick é a violoncelista Stephanie Abrahams, que para tentar entender a reviravolta da sua vida, procura o psiquiatra Dr. Feldman ( Marcos Damigo). O desamparo de Stephanie diante do impedimento de fazer o que mais ama é tocante.

A depressão toma conta do cotidiano de Stephanie e em suas consultas psiquiátricas ela estabelece diálogos calorosos sobre a impotência humana diante das perdas que a vida nos oferece. O embate entre os dois personagens gera reflexões sobre como enfrentar as barreiras sem perder a coragem de lutar diariamente pela vida.

Bel Kovarik e Marcos Damigo em  "Dueto Para Um"
Bel Kovarik e Marcos Damigo em “Dueto Para Um”

A violoncelista é agressiva e irônica, deixando o clima na sala de terapia tenso. A relação entre os dois é conturbada e a cada momento é mais difícil definir se o tratamento contribuirá para a evolução de Stephanie, que têm dificuldades para superar as dificuldades.

Para compor a personagem, Bel conta que frequentou o Centro de Esclerose múltipla na Santa Casa, fez algumas aulas de violino, conversou com várias pessoas que tem a doença e mergulhou na vida de alguns artistas, principalmente músicos que fizeram de seu ofício a sua vida.

¨Outra pessoa que eu tive o privilégio de conhecer, conversar e que escreveu um texto lindo para o programa foi o maestro João Carlos Martins que teve uma experiência semelhante¨, destaca a atriz.

Bel ressalta que a peça foi um grande aprendizado, não somente profissional, mas pessoal: ¨Antes de fazer o trabalho eu não conhecia nada sobre a doença. Aprendi que a vida te mostra por caminhos muitos estranhos quem você realmente é, mas tem que estar atento¨ , afirma. ¨E um bom texto é capaz de te fazer mergulhar totalmente numa viagem, e também te faz esquecer, ou se lembrar de quem é, não dá pra saber¨, finaliza a atriz.

A cenografia, a luz e a trilha evidenciam o embate entre os personagens.

Sobre Mika Lins:

Atriz, com diversos trabalhos em teatro, televisão e cinema. Estreou em 1984, no espetáculo A Casa De Bernarda Alba, de Garcia Lorca, com direção de Eugênia Tereza de Andrade. Atuou nos espetáculos O Alienista, de Machado de Assis; Frida ; Cacilda!!!; Amores Difíceis; A Fábula do Cozinheiro e Memórias do Subsolo.  Na segunda quinzena de junho, no Sesc Consolação, estreia uma adaptação do livro Festa no Covil, de Juan Pablo Villalobos. No palco, o ator Robson Catalunha.

Ficha técnica:

Texto – Tom Kempinski.

Tradução – Ana Saggese.

Direção – Mika Lins.

Elenco – Bel Kowarick e Marcos Damigo.

Diretor de Cena – Tiago Moro.

Cenografia – Cássio Brasil.

Iluminação – Caetano Vilela.

Trilha sonora – Marcelo Pellegrini.

Fotos – Roberto Setton.

Produção Executiva – Roberta Koyama.

Serviço:

Dueto Para Um

TEATRO EVA HERZ – Avenida Paulista 2073 – Bela Vista (metrô Consolação) – Fone: (11) 3170-4059. Acesso para deficientes físicos. Bilheteria – De terça a sábado das 14 às 21 horas e domingo das 12 às 19 horas. Capacidade – 168 lugares. www.teatroevaherz.com.br. Duração – 90 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Temporada – Quintas e Sextas-feiras às 21 horas. Ingressos– R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia-entrada). Ingressos pelo site www.ingresso.com.br ou pelo telefone (11) 4003-2330. Até 29 de março.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui para Responder ou

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*