Priscilla, A Rainha do Deserto, um grande momento do Teatro Musical

Luís Francisco Wasilewski- Especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Priscilla, A Rainha do Deserto" é musical que contagia

SÃO PAULO – Quando Priscilla, A Rainha do Deserto chegou aos cinemas no ano de 1994, sua exibição foi responsável por uma bela revolução nos costumes.O filme de Stephan Elliott soube como nenhuma obra artística até hoje conseguiu, retratar as dores e as delícias da vida das drags queens que, na época, surgiam com grande impacto em uma sociedade sempre refratária à homossexualidade.

O filme Priscilla tornou-se um clássico. Venceu o Oscar de Melhor Figurino e sua trilha sonora tomou de assalto qualquer boa festa da época. Não tardou para que a Broadway descobrisse na obra uma boa trama para a criação de um musical.

Agora, por aqui, temos o privilégio de assistir a Priscilla, Rainha do Deserto, o Musical, em cartaz no Teatro Bradesco. Trata-se de um grande momento do nosso Teatro Musical. O aspecto superlativo da produção do espetáculo, poucas vezes foi visto em outras montagens brasileiras do gênero.

A montagem de Priscilla inquieta, enfeita e encanta os sentidos, seja pelo seu aspecto musical, como também, apelando, e muito, para a grandiosidade visual.

O ônibus, elemento fundamental da história, torna-se um objeto mágico em cena. Grandes efeitos plásticos surgem dele como a troca de cor e o aparecimento do interior do veículo.

Três drags embarcam numa aventura pelo deserto australiano à bordo de um ônibus batizado de Priscilla

Também causa arrebatamento o aparecimento do Coro de Divas suspensas sobre o palco. Elas, as divas, Simone Gutierrez, Lívia Graciano e Priscila Borges nos encantam também por suas vozes potentes.

Não é só plasticamente que o musical nos cativa. Está muito bem representada em cena a história dos três homossexuais que buscam nesta louca viagem resolver seus conflitos internos.

O público se comove com os dramas do transexual, interpretado com sensibilidade e humor por Ruben Gabira, a delicadeza de Luciano Andrey representando Tick e o hilário André Torquato compondo Adam, a drag desvairada. Isso sem esquecer Saulo Vasconcelos, um grande ator dos musicais paulistanos, que interpreta o mecânico Bob.

Não devem ser esquecidos os nomes de Tim Chappel e Lizzy Gardner, a dupla que recebeu o Oscar pelo filme e que repete com o mesmo êxito a exuberância na criação dos figurinos do musical.

As coreografias de Ross Coleman e Andrew Hallsworth que, no Brasil, receberam a supervisão da tarimbada Tânia Nardini, também engrandecem a montagem.

Priscilla, a Rainha do Deserto-o Musical merece ser saudado com todo o entusiasmo pela plateia. Ele é uma prova de fogo que atesta a maturidade dos nossos musicais.

Priscilla,  Rainha do Deserto – O Musical
Teatro Bradesco – Bourbon Shopping São Paulo – Rua Turiassu, 2100, 3º piso, tel: (11) 3670-4100
Horários: quintas e sextas às 21h; Sábados às 17h e às 21h; Domingo às 16h e 20h
Ingressos: de R$ 40 a R$ 250

VEJA TAMBÉM

Última parte da entrevista com Luciano Andrey

Entrevista com Luciano Andrey, do musical Priscilla, A Rainha do Deserto – 4ª parte

Parte III da entrevista com Luciano Andrey do musicalPriscilla, A Rainha do Deserto

Assista entrevista com Luciano Andrey – PARTE II

Especial Aplauso Brasil entrevista Luciano Andrey

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.