PROGRAME-SE: Vem aí a cerimônia de entrega do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 2013

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

 

A ATRIZ BÁRBARA PAZ
A ATRIZ BÁRBARA PAZ

SÃO PAULO – Estamos na metade das festividades de Momo, mas alertamos a todos para irem se preparando para mais uma festa: a cerimônia de entrega da segunda edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro que será no dia 14 de abril (segunda-feira), a partir das 21h, no Theatro São Pedro.  A atriz Bárbara Paz será a Mestre de Cerimônias, cuja direção musical será de Miguel Briamonte e a direção geral de Felipe Paulino. Os ingressos, gratuitos, serão distribuídos por meio de promoções que serão notificadas aqui no site.

Assim que apresentei o projeto da cerimônia de entrega do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro, Marcelo Mattos de Araújo, Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, ofereceu o Theatro São Pedro para sediar a entrega do prêmio que deseja celebrar quem faz, quem assiste e quem ama as artes cênicas.

Do princípio ao fim quem escolhe seus artistas são os próprios admiradores dos trabalhos apresentados. E os votos são limitados a um por IP, ou seja, um por ponto de Internet. Por esse motivo, o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro chega a sua segunda edição com seriedade comprovada pelo interesse da mídia e, principalmente, pelo aumento significativo de votantes, de 11 mil a mais de 80 mil.TROFEUs

Além das 14 categorias, mais dois troféus – cujo desenho é assinado pelo artista plástico Fernando Castioni e a realização dos artistas-aprendizes da SP Escola de Teatro – serão entregues. Um deles é o Prêmio Especial que, nessa edição, é conferido aos diretores Antunes Filho e José Celso Martinez Corrêa, cujas obras opostas, mas complementares, representam pilares fundamentais em nossa história teatral brasileira. A outra estatueta terá destino revelado em breve.

CONFIRA A LISTA FINAL DO PRÊMIO APLAUSO BRASIL DE TEATRO 2013

 

Melhor Espetáculo de Grupo

“S-antas”, Amadododito Cia Teatral (39%)

“Édipo na Praça”, Os Satyros (34%)

“Viúva, Porém Honesta”, Loucos do Tarô (9%,)

“Cais ou da Indiferença das Embarcações”, Velha Companhia (8%)

“Antígona Recortada”, Núcleo bartolomeu de Depoimentos (5%)

“Folias Galileu”, Folias D’ Arte (5%)

 

Melhor Espetáculo de Produção Independente 

“Genet, o Poeta Ladrão”, direção de Sérgio Ferrara (42%)

“Vestido de Noiva”, direção Eric Lenate (20%)

“A Casa de Bernarda Alba”, direção Elias Andreato (11%)

“O Desaparecimento do Elefante”, direção Monique Gardenberg e Michele Matalon (11%)

“The Pillowman – O Homem Travesseiro”, direção Dagoberto Feliz e Bruno Guida (9%)

“Como Ser Uma Pessoa Pior”, direção Mário Bortolloto (7%)

 

Melhor Espetáculo Musical

“A Madrinha Embriagada”, Atelier de Cultura (38%)

“Gonzagão, a Lenda”, Andrea Alves (18%)

“Alô Dolly!”, Chaim Produções (16%)

“O Rei Leão”, Time For Fun (13%)

“Vingança”, Morente Forte Produções Teatrais (9%)

“Cabaré Luxúria”, Raquel Ripani Produções (6%)

 

Melhor Figurino

Iraci de Jesus por “Bem-vindo Estranho” e “Genet, o Poeta Ladrão”(30%)

Fause Haten por “A Casa de Bernarda Alba”, “A Madrinha Embriagada” e “Jocasta” (21%)
David Diniz e Monica Ventura por “Vestido de Noiva” (17%)

Chris Aizner, por “Cais ou da Indiferença das Embarcações” (11%)

Fábio Namatame, por “Vingança” (11%)

Luiz Careca, por “Dama da Noite” (10%)

 

Melhor Arquitetura Cênica (Cenário, Adereços E Ambientação Do Espaço)

Eric Lenate por “Vestido de Noiva” (32%)

Kleber Montanheiro por “Ricardo III” (26%)

Chris Aizner, por “Cais ou da Indiferença das Embarcações” (16%)

Daniela Thomas, por “O Desaparecimento do Elefante” (13%)

Nelson Baskerville, por “Córtex” (7%)

J.C. Serroni, por “Bem-vindo Estranho” (6%)

 

 

Melhor Trilha Original

Daniel Maia por “A Casa de Bernarda Alba”, “Jocasta” (em parceria com Jonatan Harold) e “Ricardo III” (33%)

UMANTO, por “Cais ou da Indiferença das Embarcações” (24%)

Miguel Briamonte, por “Bette Davis e Eu” (13%)

Martin Eikmeier por “O Patrão Cordial” (11%)

Jonatan Harold, por “Camille & Rodin” e “Myrna Sou Eu” (10%)

Raul Teixeira por “Nossa Cidade” (9%)

 

Melhor Dramaturgia

Kiko Marques, por “Cais ou da Indiferença das Embarcações” (29%)

Zen Salles por “Genet, o Poeta Ladrão” (26%)

Ed Anderson por “O Beijo do Homem” (15%)

Elias Andreato por “Jocasta” (12%)

Paulinho Faria, “O Homem Com a Mão na Bala” (11%)

Germano Mello e Michelle Ferreira, por “Como Ser Uma Pessoa Pior” (7%)

 

Melhor Diretor 

Silvio Vieira por “Pessoa” (45%)

Alan Pires, por “S-antas” (24%)

Sérgio Ferrara por “Genet, o Poeta Ladrão” (13%)

Eric Lenate por “Vestido de Noiva” (11%)

Kiko Marques, por “Cais ou da Indiferença das Embarcações” (6%)

André Lehaun, por “Dama da Noite” (1%)

 

Melhor Ator Coadjuvante

Ubiracy Paraná do Brasil, por “Alô Dolly!” (48%)

Robson Catalunha por “Édipo na Praça” (26%)

Kiko Mascarenhas, por “O Desaparecimento do Elefante” (11%)

Laerte Késsimos por “Vestido de Noiva” (6%)

Luiz Damasceno, por “A Dama do Mar” (5%)

Cal Titanero por “Viúva, Porém Honesta” (4%)

 

Melhor Atriz Coadjuvante

Marjorie Estiano, por “O Desaparecimento do Elefante” (45%)

Bruna Thedy por “A Casa de Bernarda Alba” (17%)

Cléo De Páris por “Édipo na Praça” (15%)

Ondina Clais Castilho, por “A Dama do Mar” (5%)

Andrea Marquee, por “Vingança” (4%)

Lavínia Pannunzio por “Vestido de Noiva” (4%)

 

Melhor Ator

Marcos Lemes por “Pessoa” (53%)

Ricardo Gelli por “Genet, o Poeta Ladrão” (19%)

Luís Mello por “Ausência” (10%)

Chico Carvalho por “Ricardo III” (9%)

Luiz Fernando Almeida, por “Dama da Noite” (5%)

Wilson de Santos, por “Bette Davis e Eu” (4%)

 

Melhor Atriz

Débora Falabella e Yara de Novaes por “Contrações” (35%)

Cácia Goulart por “A Morte de Ivan Ilitch” (27%)

Rosana Stavis, por “Árvores Abatidas ou Para Luís Melo” (16%)

Lulu Pavarin, por “Como Ser Uma Pessoa Pior” (9%)

Lígia Cortez, por “A Dama do Mar” (8%)

Débora Duboc por “Jocasta” (5%)

 

Melhor Elenco

“S-antas”, direção Alan Pires (34%)

“Genet, o Poeta Ladrão”, direção Sérgio Ferrara (22%)

“Vestido de Noiva”, direção de Eric Lenate (14%)

“Cais ou da Indiferença das Embarcações”, direção Kiko Marques(12%)

“A Casa de Bernarda Alba”,direção Elias Andreato (10%)

“O Desaparecimento do Elefante”, direção Monique Gardenberg e Michele Matalon (8%)

 

Destaque

SATYRIANAS por “oferecer um festival organizado com variadas opções em diversos segmentos de arte, conceder oportunidade para público conhecer novos trabalhos e também os grupos independentes” (53%)

Elias Andreato, “pela incrivel qualidade de todas as peças que dirigiu” (Myrna Sou eu”, “Eu Não Dava Praquilo”, “A Casa de Bernarda Alba” e “Jocasta”) (17%)

Programação do Centro Internacional de Teatro (CIT) Ecum (11%)

Projeto Pedagógico da SP Escola de Teatro (9%)

Festival de Teatro de Curitiba 2013 (6%)

Espaço Contraponto. Trabalho desenvolvido junto aos jovens dramaturgos da CDC (4%)

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*