“QUEM TEM MEDO DE TRAVESTI?” FAZ APRESENTAÇÕES NA MOSTRA LIBERTÁRIA DO SESC BELENZINHO

0
313

SÃO PAULO -A Mostra Libertária, que reúne cinema, dança, literatura, música e teatro, e acontece até março no Sesc Belenzinho, traz em sua programação de fevereiro o espetáculo Quem tem medo de travesti?, do Coletivo As Travestidas. A montagem faz apresentações dias 16, 17 e 18 de fevereiro, sexta-feira e sábado às 21h30 e domingos às 18h30.

A pesquisa para a encenação, sua proposição estética, trilha sonora e dramaturgia foram criadas a partir de fragmentos de vidas reais, coletados através de conversas com travestis, transexuais e transformistas, bem como pesquisas acadêmicas e vídeos documentários.

O espetáculo Quem tem medo de travesti? expõe histórias sobre a arte, exclusão, decadência e violência, presentes no cotidiano desta população. Mas, busca, por outro lado, a valorização do ator-transformista como protagonista.

QUEM TEM MEDO DE TRAVESTI? acontece de uma parceria iniciada em 2013 com a montagem do espetáculo BR-TRANS. Esse encontro/intercâmbio possibilitou a criação de novos laços, aproximando e unindo artistas do Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco.

Mostra Libertária

Como campo de experiências sensíveis, a arte tem potência para dar forma a territórios poéticos heterogêneos, onde coexistem liberdades de expressão e expressões de liberdades diversas. Mas a história efetiva das artes, tal qual conhecemos por meio de processos educativos variados, desde há muito tempo nos dá notícias do silenciamento de vozes poéticas subjugadas e do encobrimento de corpos dominados: de mulheres, homossexuais, transgêneros, negros e outros sujeitos sociais periféricos.

 

Ao se negar a legitimidade da presença, sabotar o lugar de fala e subjugar o protagonismo, constitui-se a contraface da condição de liberdade do campo artístico. De fato, como elemento estrutural da própria sociedade, as muitas formas de normatividade também marcam contraditoriamente a linha do tempo e os modos de produção artística. Por meio da presente mostra, o Sesc reitera o seu compromisso com a cultura e com a educação, ao trazer à baila produções e processos artísticos que debatem a liberdade de expressão concretamente, em sua imbricação com a liberdade dos corpos – que precisa ser construída permanentemente.

 

 

Sobre o Coletivo As Travestidas

O Coletivo As Travestidas resulta da pesquisa teórico-prática de 14 anos acerca dos universos de travestis e transformistas, sendo que seu primeiro passo cênico ocorreu na realização do solo Uma Flor de Dama, protagonizado pelo ator Silvero Pereira, em 2003. Desde então, a trajetória do Coletivo – com os espetáculos Cabaré da Dama (2008); Engenharia Erótica (2010); Yes, nós temos Bananas! (2012); BR-TRANS (2013); Quem tem Medo de Travesti? (2015); Três Travestis e Androginismo (2016) e Trans-Ohno (2017) – tem merecido destaque na cena teatral brasileira por sua dramaturgia, atuação e proposta estética com montagens voltadas ao questionamento histórico, social e político que buscam visibilizar a temática trans em todos os substratos de sua busca investigativa. Nestes quase 15 anos de estrada, o coletivo optou por trilhar um caminho incerto, errático, mas também vibrante, festivo, de denúncia, urgência, reflexão, de amor e dedicação.

 

Para roteiro:

 

LIBERTÁRIA – Mostra poéticas dissidentes, corpos insurgentes – Até 31 de março no Sesc Belenzinho.

 

QUEM TEM MEDO DE TRAVESTI? – Dias 16, 17 e 18 de fevereiro, sexta-feira e sábado às 21h30 e domingo às 18h30, na Sala de Espetáculos I do Sesc Belenzinho. Idealização e pesquisa musical – Silvero Pereira. Direção e Dramaturgia – Jezebel De Carli e Silvero Pereira.  Elenco –  Deydianne Piaf, Verónica Valenttino, Alicia Pietá, Patrícia Dawson, Karolaynne Carton, Mulher Barbada. Preparação Vocal – Angela Moura. Música Original – Verónica Valenttino. Maquiagem – Alicia Pietá e Verónica Valenttino. Figurinos e adereços – Antônio Rabadan. Cenografia – Elaine Nascimento. Iluminação – Fábio Oliveira. Vídeos – Gabriel Gabura. Administração e Produção – Quintal Produções Artísticas. Direção Geral – Verônica Prates. Coordenação Artística – Valencia Losada. Duração – 60 minutos. Recomendado para maiores de 18 anos. Ingressos – R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (estudante, servidor da escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 6,00 (credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

SESC BELENZINHO – Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho (próximo à estação Belém do metrô). Fone: (11) 2076-9700. Acesso para deficientes físicos. Bilheteria – De terça a sexta-feira das 9h às 21h30 e sábado, domingo e feriado das 9h às 19h30 (ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Capacidade da Sala de Espetáculos I – 100 lugares. Estacionamento – R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional e R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (credencial plena). Valor promocional para espetáculos noturnos pagos a partir das 17h mediante apresentação de ingresso – R$ 15,00 e R$ 7,50 (credencial plena).

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, preencha seu nome

*