Regina Duarte protagoniza primeira montagem mundial de Bem-Vindo, Estranho

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

"Bem-vindo Estranho' traz suspense para o teatro. Foto: Divulgação
“Bem-vindo, Estranho’ traz suspense para o teatro. Foto: Divulgação

 SÃO PAULO -A encenação é baseada na peça originalmente intitulada Be Mine, da dramaturga britânica Angela Clerkin, e marca a estreia mundial do texto. Mostra, de maneira envolvente, a convivência de três pessoas aparentemente comuns, mas que escondem um caráter frágil, uma personalidade ambígua e que têm muita dificuldade em lidar com os seus sentimentos. A direção é de Murilo Pasta, diretor de cinema e TV, em sua primeira, e acertada, experiência no teatro. Além de Regina Duarte, que terminou recentemente as apresentações de Raimunda, Raimunda,  estão no elenco Kiko Bertholini e Mariana Loureiro.

A temporada paulistana marca também a comemoração dos dez anos de atividades do Teatro Vivo, inaugurado com o monólogo Coração Bazar, com Regina Duarte.

O espetáculo, situado em Londres, mostra a conturbada relação de Jaki e Elaine, mãe e filha, interpretadas por Regina Duarte e Mariana Loureiro.

"Bem-vindo Estranho' traz suspense para o teatro. Foto: Divulgação
“Bem-vindo, Estranho’ traz suspense para o teatro. Foto: Divulgação

O cotidiano das duas se torna cada dia mais problemático, na medida em que Elaine, jovem advogada, consegue a absolvição do jovem Joseph (Kiko Bertholini), acusado de ter assassinado a namorada com uma facada. Ela se vê apaixonada por ele e o traz para viver no apartamento que divide com a mãe.

Jaki, conscientemente ou não, trava com a filha uma relação doentia e sufocante, de amor e de dominação, fato que fica evidente desde a primeira cena.  Estabelece um jogo de sedução e nocauteia com ações e palavras o romance da filha.

Elaine quer se libertar do controle de sua mãe, mas acaba cedendo aos caprichos maternos.

Joseph nega ser o responsável pela morte da namorada, mas apresenta uma personalidade arisca, inquieta e com tendência para a violência.

O renomado JC Serroni assina uma cenografia que coloca a ação numa residência de classe média baixa londrina. Uma ambientação adequada.

A direção imprime uma estética cinematográfica – noir – que não abandona a teatralidade, sobretudo na interpretação. A trilha e a luz e os blackouts conduzem a ação, evidenciando o clima de suspense, e funcionam como um personagem, na medida em que reforçam a tensão imposta pelo texto.

As cenas são muito bem costuradas. O elenco está em sintonia e consegue transmitir com precisão a tensão causada pelas atitudes dos seus personagens.

Regina é uma profissional reconhecida pelo trabalho na TV, mas no teatro  imprime à sua atuação uma força dramática impressionante.

A atriz delineia com precisão a personalidade de Jackie, dúbia, manipuladora e com um humor, e o tempo todo joga com o seu poder de sedução para desestruturar a relação da filha com o namorado. Certamente,  Jaki está entre os seus trabalhos mais impactantes.

Mariana Loureiro é expressiva; constrói uma personagem frágil diante das manobras de sua mãe para mantê-la sempre por perto.

Kiko Bertholini também merece aplausos por sua atuação,  pois consegue transmitir com competência a personalidade de Joseph.

Bem-Vindo, Estranho promove uma pertinente discussão sobre o comportamento humano. Pessoas aparentemente equilibradas podem realizar ações absurdas.

Na peça, os personagens não agem de forma planejada. São atitudes momentâneas, que ocasionam desfechos trágicos.

Graças ao Projeto Cultural Vivo EnCena, Bem-Vindo, Estranho seguirá circulando com oficinas e bate papos focados na aproximação do público com os artistas.

Sobre o Projeto Cultural Vivo EnCena
O Vivo EnCena é uma iniciativa da Vivo, que estimula o intercâmbio de projetos de artes cênicas com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do país e da sociedade como um todo. O teatro é pensado além do espetáculo, sendo estabelecida uma rede de ações de formação de plateia, inclusão cultural e desenvolvimento profissional, compartilhando histórias inspiradoras, conceitos inovadores e ideias transformadoras no âmbito da cultura. O Vivo EnCena é realizado há dez anos e está presente em vinte estados em todo o país, além de realizar ações próprias e a curadoria do Teatro Vivo, situado na capital paulista.

 

 Ficha Técnica:

Texto: Angela Clerkin

Tradução: Kiko Bertholini

Adaptação: Regina Duarte, Mariana Loureiro e Kiko Bertholini

Direção: Murilo Pasta

Elenco: Regina Duarte, Kiko Bertholini, Mariana Loureiro

Iluminação: Aline Santini

Figurinista: Iraci de Jesus

Cenografia: JC Serroni

Música Original: Marcelo Pellegrini

Assessoria de Imprensa: Morente Forte Comunicações

Design Gráfico: Patrícia Cividanes

Foto e vídeo Maker: Rabi Haidar e Rudá Cabral

Criação de Beleza: Mauro Freire

Preparação Corporal: Renata Melo

Realização: Brucutu Filmes e Filet Produções Artísticas

Patrocínio: Viv

Serviço:

Bem-Vindo, Estranho

Teatro Vivo(290 lugares)

Avenida Dr. Chucri Zaidan, 860 – Morumbi

Bilheteria do Teatro: 97420-1520

Vendas bilheteria: de terça a quinta, das 14h às 20h. De sexta a domingo, a partir das 14h.

Ar condicionado e acesso para deficientes. Vallet com manobrista R$ 20.

Vendas 4003-1212 – www.ingressorapido.com.br

Sexta às 21h30 | Sábado às 21h | Domingo às 18h

Ingressos: Sexta e Domingo R$ 50 | Sábado R$ 60

Funcionários Vivo e Clientes Vivo Valoriza e Porto Seguro tem 50% de desconto em até dois ingressos. Necessário apresentar crachá, voucher e carteirinha, respectivamente, além de documento de identificação com foto. Desconto válido somente para o titular e não cumulativo com outras promoções e/ou descontos.

Duração: 80 minutos

Recomendação: 14 anos

Gênero: suspense

Estreia dia 18 de Outubro

Temporada: até 15 de Dezembro

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário
  1. ASSISTI A PEÇA E CONFESSO QUE FIQUEI MUITO SURPRESA COM ENVOLVIMENTO e atuação dos atores Mariana Loureiro e Kiko Bertholini. Ainda ouviremos falar muito dos dois atores. Agora quanto a Regina ,ela estava formidável no papel de mãe….Regina é sempre Regina.

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*