Regulamento do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro

  1. Das Condições de Participação
    • Estão aptos à concorrer ao Prêmio Aplauso Brasil de Teatro espetáculos profissionais direcionados ao público adulto* cuja estreia na cidade de São Paulo seja no mesmo ano da edição do Prêmio;
    • Os espetáculos dirigidos ao público infantil ou jovem, também deverão cumprir as notificações de tempo (estreia na cidade de São Paulo no ano da edição), mas terão outra dinâmica de premiação (disposta ao final deste regulamento);
    • Para concorrer ao Prêmio Aplauso Brasil de Teatro é necessário que o espetáculo tenha feito o mínimo de 10 (dez) sessões na cidade de São Paulo;
    • Fica a critério do Júri Técnico e do Coordenador de Votação auditar sobre a profissionalidade dos espetáculos a serem indicados;
    • Para estar apto a concorrer ao Prêmio, o espetáculo deve ser assistido por, pelo menos, três integrantes do Júri Técnico (formado por cinco pessoas).
  1. Dinâmica da Premiação
    • A premiação conta com duas indicações (1º e 2º semestres, com três dos indicados escolhidos por indicação popular e os outros três escolhidos pelo Júri Técnico) e duas votações populares, chamadas semifinais, em que o primeiro colocado estará automaticamente na final do Prêmio;
    •  Para as duas semifinais, será considerado um único indicado por e-mail válido (para enviar seus indicados é necessário realizar cadastro via e-mail, conforme é solicitado no próprio documento das indicações);
    •  Também nas indicações das semifinais, o  Júri Técnico é soberano para invalidar indicações consideradas inadequadas;
    • Os outros cinco indicados serão colocados em votação, em sessão presidida pelo Coordenador de Votação, logo após o final das votações populares, sendo, então, escolhidos os outros dois finalistas ao Prêmio;
    • Os seis indicados (1º e 2º semestres) vão para uma votação publica, chamada Final Popular, em que o primeiro colocado é vencedor pelo Voto Popular;
    • O vencedor pelo Júri Técnico será conhecido apenas na noite da cerimônia de premiação;
    • O Júri Técnico poderá escolher como vencedor qualquer um dos seis indicados, mesmo que ele seja vencedor também pelo Voto Popular;
  • Serão desclassificados todos os espetáculos que não comprovarem os itens dispostos nos artigos 1.3, 1.4 e 1.5;
  • No caso de algum vencedor pelo Voto Popular for DESCLASSIFICADO assume a liderança o candidato que estiver na colocação subsequente. O espetáculo deve ser uma produção profissional comprovada;
  • A categoria MELHOR ESPETÁCULO INFANTO-JUVENIL tem, por razões logísticas, apenas um membro do Júri Técnico: Júlio César Dória; ademais a categoria seguirá os artigos 2.1 a 2.5 .
  1. COORDENADOR DE VOTAÇÃO
  • Michel Fernandes, criador e Diretor do Prêmio Aplauso Brasil, é o coordenador de votação, e responde pela organização e execução entre as duas instâncias das  votações.
  • : EM CASO DE EMPATE A COMISSÃO JULGADORA E O COORDENADOR DE VOTAÇÃO TEM SOBERANIA PARA O “VOTO-DE-DESEMPATE”
  1. SOBRE AS CATEGORIAS
  • MELHOR ESPETÁCULO DE GRUPO (concorrem nessa categoria grupos estabelecidos e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ESPETÁCULO DE PRODUÇAO INDEPENDENTE (Nessa categoria serão avaliados apenas espetáculos realizados por produtores desvinculados de companhias teatrais e que não sejam musicais e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ESPETÁCULO MUSICAL (Concorrem espetáculos de teatro musical com músicas compostas para ele ou não; originais brasileiros e versões brasileiras, franqueados ou não, de musicais estrangeiros e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ARQUITETURA CÊNICA (Concorrem aqui cenografias originais elaboradas para TODAS as três categorias de espetáculos habilitados a competir. Ambientações cênicas e realização em espaços alternativos que dialoguem com o espetáculo também são pontos válidos para a escolha na categoria e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR FIGURINO (Concorrem aqui figurinos originais elaboradas para TODAS as três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ILUMINAÇÃO (Concorrem aqui desenhos de luz originais elaboradas para TODAS as três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR TRILHA ORIGINAL (Concorrem aqui trilhas sonoras originais elaboradas para TODAS as três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR DRAMATURGIA (Concorrem textos nacionais inéditos e adaptações de obras literárias criados para TODAS as três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR DIREÇÃO (Concorrem aqui diretores de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ATOR COADJUVANTE (Concorrem aqui atores de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ATRIZ COADJUVANTE (Concorrem aqui atrizes de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ATOR (Concorrem aqui atores de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ATRIZ (Concorrem aqui atrizes de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • MELHOR ELENCO (Concorrem elencos de QUAISQUER uma das três categorias de espetáculos habilitados a competir e cumpridores dos artigos 1.3, 1.4 e 1.5);
  • DESTAQUE (Essa categoria é exclusiva aos projetos, instituições de artes cênicas e cultura, além de carreiras de profissionais ligados às artes cênicas);
  • MELHOR ESPETÁCULO INFANTO-JUVENIL (Esta categoria tem um único jurado técnico que divide as indicações com o público, mas tem soberania para decidir quatro finalistas dentro dos indicados, sendo dois finalistas, um por semestre, escolhidos pelo público através do maior número de votos populares, em conformidade com as demais categorias);
  • PRODUTOR e PRÊMIO ESPECIAL (Ambas categorias, um prêmio para o produtor e dois prêmios especiais, são decididos pelo Diretor do Prêmio).
  1. Do Júri Técnico
    • Formado por cinco membros;
    • Os três primeiros jurados (Júlio César Dória, Kyra Piscitelli e Teca Spera) exercem suas funções indeterminadamente;
    • As outras duas vagas, na oitava edição do Prêmio exercida por Nanda Rovere e Hélio Souto, são mutáveis, a cada duas edições em que o ocupante de tal vaga a exerça, ele dá sua vaga a outro jurado – indicado pelo coordenador de votação ou quaisquer um dos três jurados fixos –  que passa a exercer sua função;
    • Um grupo de whatsapp, monitorado pelo coordenador de votação, será fonte ininterrupta de comunicação entre TODOS os membros do Júri Técnico que deverão, TODOS, trocarem informações acerca dos espetáculos assistidos, inclusive indicando-os, se for o caso;
    • Antes das reuniões das semifinais, em data e local previamente acordado via grupo de whatsapp, com presença OBRIGATÓRIA, os membros do Júri Técnico deverão enviar ao coordenador de votação três indicados em cada categoria disposta;
    • Como declarado no item 4.16, apenas um Júri, Júlio César Dória, deverá votar na categoria Melhor Espetáculo Para o Publico Infanto-juvenil