RESENHA: A SOLIDÃO DE UM ANIVERSÁRIO

Maurício Mellone * (redacao@aplausobrasil.com)

FESTA
FESTA

SÃO PAULO – Numa mescla de teatro, dança e performance, acaba de estrear no CCBB-SP, para uma curta temporada — só até o dia 02 de maio, o espetáculo Festa, solo da atriz Natalia Gonsales.  Sob direção de Lana Sultani, responsável também pela iluminação, dramaturgia de Marcelo Soler e trilha sonora de Vladimir Zolnerkevic, a trama se passa no dia do aniversário da personagem, uma mulher contemporânea que, completamente só, reflete sobre a existência humana e a total incapacidade de se conter a passagem do tempo.

“O tempo não para de pingar

Na caixa preta do teatro, somente uma geladeira e uma mesa. Neste cenário minimalista (assinado por Flavio Tolezani) é que a personagem começa a montar sua festa de aniversário: com movimentos compassados e repetitivos (vai da mesa à geladeira para buscar objetos) ela faz o bolo, acende a velinha, enche a bexiga e procura comemorar. No entanto, a solidão é a única convidada desta festa, numa nítida metáfora da vida.

O público é convidado a participar do jogo cênico e o envolvimento com o drama daquela mulher aos poucos se estabelece, justamente por tocar em temas tão transcendentais, como vida, morte, amor, paixão e solidão.

festa
festa

Com uma atuação sensível e comovente, Natalia Gonsales sintetiza todo o espetáculo — a cena em que dança um tango impressiona: o espectador tem a nítida impressão que um típico casal argentino está em cena. Destaco ainda o figurino (assinado pela atriz e pela diretora), que além de belo e prático, é versátil. A iluminação e a trilha também estão em perfeita sintonia com a proposta cênica, tornando Festa um espetáculo intimista, reflexivo e comovente.

Fotos: Flavio Tolezani e Lana Sultani

 

* Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

 

Roteiro:

Festa: Idealização: Natalia Gonsales. Dramaturgia: Marcelo Soler. Direção e iluminação: Lana Sultani. Elenco: Natalia Gonsales. Trilha sonora: Vladimir Zolnerkevic. Coreografia e direção de movimento: Fernanda Bueno. Cenografia e adereços: Flavio Tolezani. Figurino: Lana Sultani e Natalia Gonsales. Fotografia: Flavio Tolezani e Lana Sultani. Direção de produção: Maurício Inafre. Realização: Bem Casado Prod. Artísticas.

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil-CCBB-SP (130 lugares), Rua Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Horários: sexta, sábado e segunda às 20h; domingo às 19h. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Venda: www.ingressorapido.com.br. Duração: 50 minutos. Classificação: 12 anos. Estacionamento conveniado: Estapar Estac., Rua da Consolação, 228. Translado gratuito.Temporada: até 02 de maio.