Resenha: Cássia Kis revive no palco universo poético de Manoel de Barros

São Paulo – Com direção de Ulysses Cruz, a atriz Cássia Kis apresenta o solo Meu quintal é maior do que o mundo, sobre a obra e o universo do poeta mato-grossense Manoel de Barros. Partindo do livro Memórias Inventadas, a atriz e o diretor montaram o espetáculo, que contém 18 textos (num misto de poesia e prosa) divididos em três blocos: o primeiro traz o cenário e o espaço mítico do poeta; já o segundo é sobre quem é a pessoa que descreve aqueles cenários e o último bloco indica o que inspira o poeta. “A peça tem em sua estrutura uma abertura, onde o público entende quais são as fontes do poeta: a criança, o passarinho e o andarilho. O espetáculo revela um pouco do profundo humanismo de Manoel de Barros e da sua fina observação das coisas simples da vida, mas, afinal, não tão simples”, explica Ulysses Cruz.

Cássia Kis, que conheceu a poesia de Manoel de Barros nos anos 1980 e chegou a se tornar amiga dele, há anos acalenta o sonho de levar aos palcos o universo poético do escritor. Isto só foi possível graças a sua parceria com o diretor, que encampou a ideia e assina a concepção geral da montagem (além da adaptação do texto com ela, é o responsável pelo cenário e figurino).

O espetáculo começa com a atriz na boca de cena explicando as fontes de inspiração do poeta, que são a criança, o passarinho e o andarilho. Em seguida ela pula (literalmente) para o tapete no centro do palco e com o livro aberto vai trazendo todo o universo poético do cerrado brasileiro tão bem descrito por Manoel de Barros. Como os textos são curtos e foram compilados para se criar um fio condutor —encenação dramatúrgica na definição de Cássia e Ulysses, a participação do músico Gilberto Rodrigues é fundamental: ao vivo ele executa a trilha sonora que costura toda a encenação. Desta forma, enquanto lê e interpreta os textos, a atriz é acompanhada pelo músico. A música também marca as mudanças de blocos, quando a atriz modifica o cenário e introduz adereços ao figurino básico. E a iluminação de Nicolas Caratori completa o fio narrativo da peça.

O espetáculo tem a dimensão desejada graças à atuação de Cássia Kis: com variações de voz, posturas e movimentos variados a atriz dá vida tanto a um garoto, como a um adulto e até a um ancião. Uma performance marcante na carreira de Cássia, que estava afastada dos palcos há dez anos. No entanto, depois desta curta temporada paulistana, o espetáculo deverá percorrer as principais capitais brasileiras. Sensível e delicada montagem sobre o mundo poético de Manoel de Barros.

Roteiro:
Meu quintal é maior do que o mundo. Texto: Manoel de Barros. Adaptação do texto: Cássia Kis e Ulysses Cruz. Concepção e direção geral: Ulysses Cruz. Elenco: Cássia Kis. Direção de produção: Gustavo Nunes. Cenário e figurinos: Ulysses Cruz. Direção e criação musical: Gilberto Rodrigues. Fotografia e design: Gal Oppido. Iluminação: Nicolas Caratori. Direção de movimento: Cynthia Garcia. Produção executiva: Mariana Chew. Produção geral: Turbilhão de Ideias Entretenimento. Realização: SESI.
Serviço:
Teatro do Sesi-SP (456 lugares), Av. Paulista, 1313, tel. 11 3146-7439. Horários: sexta e sábado às 20 h e domingos às 19 h; sessão extra 21/2 às 20h. Ingressos: gratuitos. Duração: 70 min. Classificação: livre. Temporada: até 24 de fevereiro.

* Maurício Mellone publicou o texto no 
www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado