RESENHA: ELETRIZANTE JOGO CÊNICO ENTRE DOIS CASAIS CONTEMPORÂNEOS

Maurício Mellone * (redacao@aplausobrasil.com)

ATO A 4
ATO A 4

SÃO PAULO – Na pequena e aconchegante sala piscina, do Viga Espaço Cênico, a proposta do espetáculo Ato a Quatro fica mais contundente, já que o público praticamente fica acomodado na residência dos dois casais da trama. Em 25 cenas curtas, o texto da jovem dramaturga britânica Jane Bodie, traduzido e dirigido por Bruno Perillo, retrata o encontro e desencontro de Alice (Nicole Cordery) e Tom (Luciano Gatti), ela uma ex-atriz que hoje trabalha como cuidadora numa clínica médica e ele um ator que ensaia uma peça, em que seu personagem contracena com Natasha (Joana Dória), uma atriz bela e sensual. Fechando o círculo, entra em ação o enfermeiro Jack (Edu Guimarães), que fica alucinado pela companheira de trabalho, Alice, e a segue diariamente pela cidade. Mais do que discutir separação e início de relações amorosas, a peça traz à tona temas e situações que evidenciam o cotidiano de hoje em dia, como solidão, falta de comunicação entre os cônjuges, egoísmo, voyeurismo e o medo de enfrentar os desafios da vida.

ATO A 4
ATO A 4

 

Ao entrar na sala, o espectador já vê os quatro atores a postos. Num jogo dramático ágil, as cenas — curtas e intensas — são intercaladas entre as situações vividas pelo casal Alice e Tom, os ensaios da peça de Tom e Natasha e os encontros do enfermeiro e a cuidadora. Se de um lado o desgaste de uma relação amorosa é escancarado, de outro há a aproximação e a tentativa de novos encontros afetivos. Desta forma, os personagens vivenciam sentimentos antagônicos, como atração e rejeição, afinidade e antipatia, encontro e desencontro. A identificação e o espelhamento com a plateia são instantâneos, principalmente nas brigas do casal, em que um não ouve o outro e a discórdia só se intensifica. Interessante também do texto é que a cena da peça ensaiada pelos atores é justamente a situação vivida na realidade pelo outro casal.

Com um enredo envolvente e de extrema atualidade, Ato a Quatro chama a atenção pela carpintaria dramática muito bem articulada e o perfeito entrosamento entre os quatro atores, graças à direção sensível e precisa de Bruno Perillo.

O espetáculo, que estreou no início do ano, cumpre esta segunda temporada no Viga só até o final deste mês. Não perca!

* Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil


Roteiro:
Ato a Quatro
. Texto: Jane Bodie. Direção e tradução: Bruno Perillo. Elenco: Edu Guimarães, Joana Dória, Luciano Gatti e Nicole Cordery. Assistente de direção: Janaína Suaudeau. Cenografia: Chris Aizner e Nilton Aizner. Figurino: Chris Aizner. Iluminação: Igor Sane e Flavio Barollo. Trilha sonora: Dan Nakagawa. Fotografia: Carla Trevizani. Produção executiva: Janaína Suaudeau. Direção de produção e idealização: Bruno Perillo e Nicole Cordery.
Serviço: 
Viga Espaço Cênico – Sala Piscina (40 lugares), Rua Capote Valente,  1.323, tels (11) 3801-1843. Horários: sábados às 21h e domingos às 19h. Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Bilheteria: abre duas horas antes do espetáculo.  Vendas: Ingresso Rápido, http://www.ingressorapido.com.br ou pelo tel. 4003-1212. Duração: 75 minutos. Classificação: livre. Temporada: até 31 de maio.