RESENHA: MATHEUS NACHTERGAELE REESTREIA RECITAL EM REVERÊNCIA À MÃE

SÃO PAULO – Como no princípio da alquimia, em que o metal se transforma em ouro, o ator Matheus Nachtergaele consegue quase isso no espetáculo Processo de Conscerto do Desejo. Da dor e sofrimento ele criou um recital poético, alegre e belo: no espetáculo, o ator diz os poemas de sua mãe Maria Cecília — que se suicidou aos 22 anos quando ele tinha três meses — e é acompanhado pelos músicos Luã Belik ao violão e Henrique Rohrmann no violino. Concebido inicialmente para pequenos e íntimos espaços, o recital já participou dos principais festivais de teatro do país e agora chega para uma temporada num teatro com mais de 500 lugares.

O ator diz que demorou anos para saber o que fazer com os poemas da mãe:

“O caderno com os poemas que ganhei de meu pai aos 16 anos era uma espécie de vespeiro emocional e esperei até sentir que não era mais tão perigoso, que as picadas haviam se cicatrizado. Tinha receio que essa história só dissesse respeito a mim, entretanto as pessoas acabam se conectando com o sentido do viver”, diz Matheus Nachtergaele.

Com uma iluminação primorosa de Orlando Schaider, que intercala sombras, blecaute e focos de luz, o ator inicia o recital praticamente no escuro, ao som do violão; aos poucos ele, por meio dos poemas, ganha o palco e o espectador consegue vislumbrar tanto o ator/filho que diz os poemas da mãe, como a própria poeta em cena com suas angústias, além da revolta daquele filho pelo destino que a vida lhe concedeu. Sem qualquer tipo de julgamento ou crítica.

“É um recital à moda grega, é um lamento, mas é iluminado. O tom mais íntimo dá lugar ao trágico, à catarse. Mas esta experiência transformou o meu pesar e me mostrou a beleza de ser quem sou, apesar de não ter conhecido essa grande mãe. Faço esse espetáculo com uma imensa alegria”, confessa o ator.

Em uma hora de espetáculo e sem qualquer recurso cênico — há somente uma placa de metal pendurada no centro do palco, que funciona como um grande espelho, Matheus passa toda a densidade poética de Maria Cecília e as agruras de uma mulher suicida de vinte e poucos anos.

Apesar deste universo tenso e de muita tristeza, o recital tem um tom alegre e edificante. Com seu carisma, sensibilidade e enorme talento, o alquímico Matheus Nachtergaele chega ao ápice do recital puxando os espectadores para dançar: desce até a plateia, escolhe o seu par e em seguida pega outra pessoa, formando novo casal; assim tudo termina com as pessoas dançando uma bela valsa, numa rica empatia do ator com seu público. Literalmente imperdível!

Roteiro:

Processo de Conscerto do Desejo. Concepção e atuação: Matheus Nachtergaele. Textos: Maria Cecília Nachtergaele. Violão: Luã Belik. Violino: Henrique Rohrmann. Design som e operação: Andrea Zeni. Iluminação: Orlando Schaider.   Artes visuais: Cláudio Portugal e Karina Abicalil. Fotografia: Sergio Cubas. Produção executiva: João Federici e Josi Geller. Realização: Pássaro da Noite. Prod.

Serviço:
Teatro Raul Cortez (513 lugares), Rua Dr. Plínio Barreto, 285, tel: 11 3254- 1631. Horários: sexta às 21h30, sábado às 21h e domingos às 18h. Ingressos: R$ 40 (sexta) e R$ 80 (sábado e domingo). Bilheteria: de terça a quinta-feira das 14h às 20h; de sexta a domingo, das 14h até o início do espetáculo Vendas: 11 2626-5282 ou pelo site compreingressos.com. Classificação: 16 anos Duração: 60 min. Temporada: até 30 de abril.

Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil