RESENHA: MONÓLOGO COM GEORGETTE FADEL É UMA AULA-CONFERÊNCIA FILOSÓFICA

Maurício Mellone * (redacao@aplausobrasil.com.br)

SÃO PAULO – Ao invés de um palco tradicional e a plateia, em Afinação I há um pequeno auditório e cadeiras para 30 pessoas. Ao entrar na sala, os espectadores já encontram a atriz Georgette Fadel na pele da professora francesa Simone Weil portando um violoncelo. Fica estabelecido que se trata de uma aula-conferência, tanto que todos são convidados a pegar pranchetas e canetas para as devidas anotações da aula. Logo de início a pensadora diz que tudo aquilo não passa de uma afinação e que ela é no fundo a ‘guardiã do pensamento’.

Com textos da própria Simone Weil, acrescidos de trechos de obras de outros pensadores como o dramaturgo Bertolt Brecht e dos filósofos Karl Marx e Georg Hegel, a aula tem início e a professora diz que tudo o que será dito ali é sobre a liberdade, numa espécie de oração à razão.

De forma bem informal, a professora se apresenta e confessa já ter sido atriz, mas que agora se dedica à área acadêmica e à filosofia. Somente com uma cadeira e uma pequena mesa a sua frente (com xícara de café, uma garrafa térmica e um copo de água), a professora começa sua aula tendo sempre o violoncelo como suporte de suas falas.

Usando a personagem central da peça de Brecht, Santa Joana dos Matadouros, a professora fala da relação entre a opressão e o sofrimento no mundo. Pede ajuda a um dos ‘alunos’ para que escreva no quadro alguns dos conceitos centrais da conferência e passa a interagir com os alunos/espectadores.
Os textos dos filósofos discutidos na aula-conferência são de extrema complexidade e exigem muita atenção dos ‘alunos’, tanto que muitas vezes Simone pergunta se estão entendendo. Não é pra menos, já que a professora discorre sobre pensamento racional em contraposição ao pensamento raciocinante, razão e emoção, finito e infinito.

Numa das apresentações um aluno/espectador interagiu diversas vezes com a professora/atriz.

Além de atuar, Georgette assina a dramaturgia e a direção do espetáculo, que sem dúvida é inusitado em sua forma, na maneira de conduzir a trama. No entanto, para um espectador leigo (como eu), fica difícil acompanhar a complexidade dos conceitos filosóficos apresentados nos 60 minutos da peça (que na estreia foram bem estendidos). Senti falta de uma conclusão ou de um desfecho mais bem articulado — a professora/atriz chega a dizer ao final que todos podem sair para o intervalo.

No entanto, a peça é um grande exercício para a atriz, que demonstra domínio para driblar os alunos/espectadores e trazer todos à proposta cênica.

 

* Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

 

Roteiro:

Afinação I. Textos: Bertolt Brecht, Hegel, Karl Marx e Simone Weil. Direção, dramaturgia e atuação: Georgette Fadel. Iluminação, produção e fotografia: Julia Zakia. Cenografia: Fadel Jacob Fadel. Realização: Cia São Jorge de Varieddes.

Serviço:
Sesc Ipiranga, Auditório (30 lugares), Rua Bom Pastor, 822, tel.: 11 3340-2000. Horários: terça e quarta, às 21h30. Ingressos: de R$ 6 a R$ 20. Bilheteria: terça a sexta das 12h às 21h; sábados, das 10h às 21h30; domingos e feriados, das 10h às 18h. Venda pelo portal www.sescsp.org.br. Duração: 60 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 01 de fevereiro.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*