Resenha: montagem de peça de Tchekhov marca 40 anos do Grupo TAPA

Resenha: montagem de peça de Tchekhov marca 40 anos do Grupo TAPA

São Paulo – Com uma montagem sensível e delicada da última peça escrita pelo dramaturgo russo Anton Tchekhov, O Jardim das Cerejeiras, o grupo TAPA inicia as comemorações de seus 40 anos de existência. Sob a direção de Eduardo Tolentino de Araujo e no mesmo teatro em que a companhia residiu por 15 anos — o Teatro Aliança Francesa —, o grupo encena este clássico da dramaturgia universal, em que uma família aristocrática e decadente da Rússia, no início do século XX, resiste em vender a propriedade que abriga um lindo e improdutivo jardim de cerejeiras para saldar as dívidas. Um homem de negócio, de origem camponesa, tem interesse nas terras e tenta convencer os aristocratas a transformar a fazenda num polo turístico. Clara Carvalho, Brian Penido Ross e Sergio Mastropasqua lideram o elenco de 14 atores.

Tchekhov morreu aos 44 anos, em 1904, mas teve a chance de assistir a estreia de sua última peça, dirigida por Constantin Stanislavsky, que deu ênfase ao tom trágico do texto, que marca o fim da era aristocrática de uma Rússia pré-revolução de 1917. Para o diretor do grupo TAPA, há muitas semelhanças com os tempos em que vivemos:

“Como é próprio dos jardins que renascem a cada primavera, nada mais oportuno este projeto hoje, diante de um mundo que passa pela profunda transformação da era industrial para a digital. Nada mais instigante e desafiador do que enfrentar esse texto que há anos povoa nossos sonhos. É como fechar um ciclo, sobrepor o amadurecimento de um autor com o de um grupo de teatro”, argumenta Eduardo Tolentino de Araujo, sobre a montagem que marca os 40 anos da companhia.

A trama começa com a chegada da família à fazenda: além de serem recepcionados pelos empregados e por Vária (Anna Cecília Junqueira), filha adotiva, Liuba (Clara), seu irmão Gaev (Brian) e sua filha Ânia (Gabriela Westphal) fazem questão de visitar as cerejeiras logo ao amanhecer. Mesmo totalmente improdutiva, a fazenda tem um valor sentimental para todos. Liuba, principalmente, se nega a conceber a ideia da venda da propriedade, por mais que Lopakhin (Mastropasqua) insista no projeto de transformar tudo num balneário para veranistas.

O tom melancólico e saudosista dos familiares se contrapõe ao olhar pragmático do homem de negócio, que representa a emergente classe média russa, vista como ameaça aos valores aristocráticos. A peça foi concebida para quatro atos, mas o diretor dilui estas transformações com a mudança de cenário feita pelos próprios atores e com uma iluminação sutil. Os figurinos também acompanham a narrativa, de um branco puro e até ingênuo (posição da matriarca) para um preto duro e austero (a despedida e a entrega da fazenda ao final).

Além da dramaturgia de Tchekhov que traça um perfil de um momento histórico, a montagem do TAPA é de extrema delicadeza e sensibilidade. Outro destaque é a sintonia em cena do elenco, constituído de várias gerações; no entanto, Clara Carvalho e Sergio Mastropasqua se sobressaem graças à entrega a seus personagens de temperamentos e visões de mundo completamente opostos. Guilherme Sant’Anna, na pele do criado ancião, também emociona.

Espetáculo vigoroso à altura da brilhante carreira do grupo TAPA. Um início promissor da temporada teatral paulistana 2019!

Roteiro:
O Jardim das Cerejeiras. Texto: Anton Tchekhov. Direção: Eduardo Tolentino de Araujo. Elenco: Adriano Bedin, Alan Foster, Alexandre Martins, Anna Cecília Junqueira, Brian Penido Ross, Clara Carvalho, Gabriela Westphal, Guilherme Sant’Anna, Mariana Muniz, Natália Beukers, Paulo Marcos, Riba Carlovich, Sergio Mastropasqua e Zécarlos Machado. Figurinos: Rosângela Ribeiro. Iluminação: Nelson Ferreira. Designer gráfico: Mau Machado. Fotografia: Ronaldo Gutierrez. Produção executiva: Ariel Cannal.

Serviço:
Teatro Aliança Francesa (226 lugares), Rua General Jardim 182, tel. 11 3572-2379. Horários: de quinta a sábado às 20h30 e domingo às 19h. Ingressos: quinta e sexta R$ 30, sábado e domingo: R$ 60. Bilheteria: abre 2h antes do início dos espetáculos. Vendas: www.ingressorapido.com.br ou 4003-1212. Duração: 120 min. Classificação: 12 anos. Temporada: até 24 de fevereiro.

*Maurício Mellone publicou o texto no 
www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado