Resenha: nova peça de Silvia Gomez mescla realidade e delírio

São Paulo – O premiado Grupo 3 de Teatro, formado pelos mineiros Débora Falabella, Yara de Novaes e Gabriel Fontes Paiva, está na cidade com a peça inédita Neste mundo louco, nesta noite brilhante, da dramaturga Silvia Gomez, formada em Comunicação Social e Teatro em Minas Gerais e radicada em São Paulo desde 2001. Ao lado da banda boliviana Las Majas e dirigidas por Gabriel, Yara e Débora vivem no palco um drama que infelizmente tornou-se corriqueiro entre nós: a cada dez minutos uma mulher é vítima de estupro e a cada duas horas, uma mulher é morta no Brasil. Entre o delírio e o real, a trama mostra a reação da vigia do km 23 de uma estrada brasileira (Yara) que vê uma jovem (Débora) sobreviver a um bárbaro estupro coletivo. Mais do que a violência brutal às mulheres, o espetáculo questiona a relação de poder e dominação entre as pessoas e põe em xeque o velho dilema do bem contra o mal.

Ao entrar na sala de espetáculo, o público já se depara com as atrizes e as quatro instrumentistas da banda em exercício de aquecimento. Um pouco antes do início da trama elas fazem uma coreografia que mistura dança e luta. Introdução ideal para aquele embate que vai se seguir. Como aponta o título da peça, naquela noite estrelada, durante o pouso e decolagem de aeronaves, a vigia do km 23 da estrada relata que naquele local (não seria mais propício dizer naquele país?) é comum mulheres serem violentadas. Imediatamente depois desta terrível constatação, uma garota aparece correndo e é estuprada por vários homens, de maneira selvagem. A vigia socorre a vítima, que sob efeito de medicamentos, delira sobre a realidade:

“Terminei este texto diante do aumento dos casos de estupro e violência contra a mulher no Brasil. A peça é uma resposta artística a essa realidade: escrevo sobre um encontro entre duas mulheres num km abandonado do país. Uma delas acaba de ser violentada e, no delírio da violência, fala. Busco no delírio, um diálogo com a realidade. De que sintoma complexo do nosso tempo e do nosso país as estatísticas falam? Não tenho respostas exatas, mas muita perplexidade e perguntas que procuro elaborar na cena absurda”, esclarece Silvia Gomez.

Com uma concepção cênica de impacto — cenário criativo de André Cortez aliado à projeção de vídeo e uma potente iluminação que complementam a narrativa —, o espetáculo envolve o espectador, que mesmo com dúvidas diante de tanto delírio da personagem, entra na torcida pela sua superação e para que ela consiga cantar:

 

 “Se eu for capaz de cantar uma canção de amor neste mundo louco, nesta noite brilhante, então tudo será possível, até dar o fora daqui.”

 

A sintonia e a entrega total das duas atrizes à proposta cênica sustentam o espetáculo e o ritmo da montagem. Destaque ainda para a participação eletrizante e ao vivo da banda Las Majas. E depois do desfecho da trama, com o elenco todo reunido, Yara lê um manifesto contra a censura e na defesa da Arte. Nada mais adequado para um país que vive tempos sombrios e de desmandos.

Roteiro:
Neste mundo louco, nesta noite brilhante
. Texto: Silvia Gomez. Direção: Gabriel Fontes Paiva. Elenco: Débora Falabella e Yara de Novaes. Banda Las Majas: Mayarí Romero, Lucia Dalence, Lucia Camacho, Isis Alvarado e Marvin Montes. Cenografia: André Cortez. Vídeo cenário: Luiz Duva. Figurino: Fabio Namatame. Iluminação: Gabriel Fontes Paiva e André Prado. Trilha sonora original: Lucas Santtana e Fábio Pinczowisk. Identidade Gráfica: Patrícia Cividanes. Fotografia: Fábio Audi. Direção de produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez. Produção: Contorno Produções e Fontes Realizações. Realização: Sesc SP, 9º Prêmio Zé Renato, Secretaria da Cultura
Serviço:
Sesc Consolação, Teatro Anchieta (280 lugares), Rua Dr. Vila Nova, 245, tel.: 11 3234 3000. Horários: sexta e sábado às 21h; domingos às 18h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10. Duração: 90 min. Classificação: 16 anos. Temporada: até 06/10
Nova temporada: Teatro Municipal João Caetano (438 lugares), Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino. Horários: de quinta a sábado às 21h e domingo às 19h. Ingressos: gratuitos, distribuição uma hora antes. Temporada: de 10 a 20 de outubro,


* Maurício Mellone publicou o texto no 
www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*