RESENHA: ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES NESTA SEMANA DA PEÇA DIRIGIDA POR ELIAS ANDREATO

Maurício Mellone * (redacao@aplausobrasil.com.br) 

Amor em 79min05seg 1SÃO PAULO – Em tempos de amores virtuais, encontros fugazes e relações superficiais, como é gratificante assistir ao espetáculo Amor em 79:05”, em que um escritor já maduro não tem qualquer tipo de pudor para declarar seus mais íntimos e profundos sentimentos amorosos ao ser amado, um jovem e belo rapaz. Este é o enredo do monólogo que Elias Andreato roteirizou do livro homônimo de Vinícius Márquez e é interpretado por Josemir Kowalick; o rapaz é vivido por Eduardo Ximenes, que não dialoga com o escritor e sua presença pode ser entendida como a imagem que homem maduro tem do amado. Sentindo-se só, o escritor extravasa todo o seu amor, sem deixar de expressar também suas frustrações, anseios e angústias pela falta física do amante.

“A dor de quem ama é imensa, mas a felicidade do enquanto dure é eterna. Mesmo sendo a solidão o fim de quem ama, preciso me arriscar mais e não importa a idade do meu coração. Quero amar e isto basta. Amar ainda é melhor do que não amar e não ser amado”, desabafa no programa da peça Elias Andreato, que também dirigiu e assina o cenário, para definir o tom deste trabalho. Amor em 79min05seg 2

Por ser pequena e aconchegante, a própria sala de espetáculo propicia a proximidade do espectador tanto com os atores como com a trama tão íntima e sentimental.

Instaura-se uma cumplicidade, já que são sentimentos comuns a todos nós:

“Como é importante falarmos de amor, ou da ausência dele, principalmente em tempos atuais, de amores efêmeros, em que tudo se resolve com um ‘enter’. Por amor posso morrer, posso depender física e ou psicologicamente”, argumenta Josemir Kowalick.

O destaque da montagem é tom poético, delicado e sensível de retratar a relação amorosa entre duas pessoas, que podem ser do mesmo sexo ou não. A iluminação de Rodrigo Alves e a trilha de Fábio Sá (com canções compostas pelo músico e pelo diretor) dialogam em sintonia com a proposta cênica.

A tocante interpretação de Kowalick é outro destaque do espetáculo. Não perca tempo, as últimas apresentações são nesta semana.

* Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

 

Roteiro:
Amor em 79:05. Texto: Vinícius Márquez. Direção e adaptação: Elias Andreato. Elenco: Josemir Kowalick e Eduardo Ximenes. Cenografia: Elias Andreato. Figurino e preparação corporal: Leo Sgarbo. Iluminação: Rodrigo Alves (Salsicha). Canções: Elias Andreato e Fábio Sá. Trilha composta: Fábio Sá. Fotografia: Francisco Júnior. Produção executiva: Nicolau Ayer. Realização: Desembuxa Entretenimento
Serviço:
Teatro Augusta -Sala Experimental (50 lugares), Rua Augusta, 943, tel: (11) 3151- 4141. Horários: quarta e quinta, às 21 horas. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00. Duração: 55 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 25 de agosto.