Rilke é protagonista de solo

Maurício Mellone, editor do Favo do Mellone site parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Ivo Müller vive Rainer Maria Rilke

Na pele do poeta, Ivo Müller novamente encena Cartas a um Jovem Poeta, que reúne cartas, poemas e trechos da obra do autor, considerado o maior poeta da língua alemã do século 20

Cartas a um jovem poeta

O senhor está olhando para fora, e é justamente o que menos deveria fazer neste momento. Ninguém o pode aconselhar ou ajudar, — ninguém. Não há senão um caminho. Procure entrar em si mesmo. Investigue o motivo que o manda escrever; examine se estende suas raízes pelos recantos mais profundos de sua alma; confesse a si mesmo: morreria, se lhe fosse vedado escrever?

(tradução de Paulo Rónai)

SÃO PAULO – Num cenário que reproduz o quarto em que Rainer Maria Rilke escrevia (apenas uma escrivaninha, cadeira, um mancebo, outra cadeira de balanço e alguns bonecos), o ator Ivo Müller, responsável também pela adaptação e direção do espetáculo, encarna o poeta no solo Cartas a um Jovem Poeta, que está de volta em nova temporada, agora no Viga Espaço Cênico até o final de maio.

Além da correspondência que Rilke manteve com o jovem indeciso entre a carreira literária e a militar — Franz Kappus representado no palco por um boneco que permanece de costas para a plateia—, a peça reúne também cartas que ele enviou à escritora russa Lou Salomé, além de poemas e trechos de outros livros do escritor.

O Poeta

Sem paz, sem amor, sem teto,
caminho pela vida afora.
Tudo aquilo em que ponho afeto
fica mais rico e me devora.

(do livro ‘Novos Poemas”, tradução de
Augusto de Campos)

"Cartas a um Jovem Poeta"

Como o jovem poeta pede conselhos a Rilke, o tom do espetáculo em muitos momentos é o professoral, com indicações de como se portar no mundo das palavras e na vida de uma maneira geral.

No entanto, o que me chamou a atenção foi justamente a vulnerabilidade daquele que profere as recomendações: os conselhos eram muito mais para o próprio Rilke ouvir do que para o jovem poeta e, no caso, os espectadores da peça.

Pelo olhar de Rilke, o espetáculo trata de temas como a formação humana, a criação artística, a relação do homem com o divino e a solidão, que ele diz ser propulsora da criação.

O Solitário

ainda um rosto de pedra, que só sente
a gravidade interna, de tão denso:
as distâncias que o extinguem lentamente
tornam seu júbilo ainda mais intenso.

(Tradução: Augusto de Campos)

Dos destaques de Cartas a um Jovem Poeta, ressalto a iluminação, assinada por Davi de Brito e Vânia Jaconis, que contribui para a introspecção e o tom intimista do espetáculo. A trilha sonora, com canções de Gustav Mahler, também merece atenção:

“Procurei um conterrâneo do Rilke, ambos nasceram na Boêmia (atual República Tcheca) e suas melodias funcionam como um contraponto perfeito à proposta da montagem”, explica Ivo Müller.

Os bonecos também ajudam neste contraponto: além daquele que representa o jovem poeta, há ainda o casal simbolizando os pais do escritor e a boneca representando a amante de Rilke, com que o ator em alguns momentos contracena.

O mundo estava no rosto da amada

O mundo estava no rosto da amada –
e logo converteu-se em nada, em
mundo fora do alcance, mundo-além.

Por que não o bebi quando o encontrei
no rosto amado, um mundo à mão, ali,
aroma em minha boca, eu só seu rei?

Ah, eu bebi. Com que sede eu bebi.
Mas eu também estava pleno de
mundo e, bebendo, eu mesmo transbordei.

(Tradução: Augusto de Campos)

Ivo Müller, além de interpretar o poeta Rilke em Cartas a um Jovem Poeta, continua em cartaz com a peça 12 Homens e Uma Sentença.

Roteiro:
Catas a um Jovem Poeta
. Texto: Rainer Maria Rilke. Direção, adaptação e interpretação: Ivo Müller. Codireção: Claudio Cabral. Supervisão: Arieta Corrêa. Iluminação: Davi de Brito e Vânia Jaconis. Figurino: Domingas Person. Trilha musical: músicas de Gustav Mahler. Contrarregragem, edição e operação de som: Daniel Becker. Fotos: Betina Humeres.

Serviço:
Viga Espaço Cênico (74 lugares), Rua Capote Valente, 1.323 (Próximo ao metrô Sumaré), tel: 3801-1843.  Horários: terças e quartas às 21h. Ingressos: R$ 30 e R$ 15. R$ 10 (Promoção e Grupos). Classificação: 12 anos. Duração: 60 minutos. Temporada: até 30 de maio.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*