Rindo com Lulu Pavarin

Maurício Mellone* (aplauso@gmail.com)

Elenco de "Serpente Verde, Sabor Maçã"

Jô Bilac e Larissa Câmara são os autores dessa tragicomédia, em que a misteriosa Senhora G serve chá aos visitantes: muitos entram na bela casa e poucos saem de lá. No Espaço Parlapatões e com direção de Lavínia Pannunzio, Lulu divide o palco com Angela Figueiredo, Luna Martinelli e Fernando Fecchio

Hoje é um belo dia para ocorrer um assassinato. No prólogo, um ator na penumbra já indica o clima da tragicomédia dos cariocas Jô Bilac e Larissa Câmara. Na cena inicial permanece o tom sombrio e a misteriosa e mentirosa Senhora G, interpretação visceral de Lulu Pavarin, oferece um inusitado chá verde (sabor maçã) à primeira visita (ou seria vítima), vivida por Luna Martinelli. É assim que a inquilina de uma bela casa — disputada pela proprietária (Angela Figueiredo), pelas vizinhas gêmeas (Luna) e por um inspetor disfarçado (Fernando Fecchio)— recebe seus visitantes. Dependendo das atitudes deles, a Senhora G define quem deve sobreviver ou não: o chá do bule prata é servido aos que a desagradam e o chá do bule dourado para quem lhe é simpático.  Serpente Verde, Sabor Maçã acaba de estrear e fica até 4 de novembro em cartaz.

A montagem para a diretora Lavínia Pannunzio recebeu forte influência dos filmes de mistério e terror:

“A peça é uma farsa, uma comédia de erros. É preciso que o público entre naquele universo bizarro, se assuste consigo mesmo e possa rir, se puder. A inspiração do visual da peça vem dos filmes, principalmente os de David Lynch, elegantemente expressionistas, quase caricaturais, mas extremamente humanos”, explica Lavínia.

Com o público já integrado ao clima tragicômico, aos poucos as pessoas, em total cumplicidade, começam a torcer para que a Senhora G ofereça o chá do bule prata, já que o caráter de suas visitas não é nada confiável.

Todos a procuram com interesse, ou na compra da casa ou nos objetos da decoração. Há um jogo de poder e dominação constante, em que “prevalece a barbárie. É a insanidade da vida pelo olhar da loucura”, segundo os autores, que delicadamente definem a peça como uma fábula dark.

Para amplificar o tom sombrio do espetáculo, o cenário de Cássio Brasil, a iluminação de Aline Santini, o figurino de Daniel Infantini e a trilha sonora do titã Branco Mello (casado com Angela) são primordiais, além do uso contínuo de gelo seco.

Lulu Pavarin vive momento especial na carreira: depois do sucesso no monólogo de Germano Melo e Michelle Ferreira Como ser uma pessoa pior, com direção de Mário Bortolotto, a atriz dá vida a essa inescrupulosa e ao mesmo tempo adorável Senhora G. Ela magnetiza o público: as pessoas se não justificam as ações da personagem, no mínimo a entendem.

Ressalto ainda a criatividade Jô Bilac. Depois de se deliciar com Limpe Todo Sangue Antes que Manche o CarpeteCachorro! e Rebú, novamente a plateia paulistana tem a chance de assistir a novo texto seu (agora em parceria com Larissa Câmara).No inventivo Serpente Verde, Sabor Maçã, o público é convidado a desvendar quem é aquela enigmática Senhora G (seria G de god/deus?) e quando começaram suas artimanhas.

Roteiro:
Serpente Verde, Sabor Maçã
. Texto: Jô Bilac e Larissa Câmara. Direção: Lavínia Pannunzio. Elenco: Lulu Pavarin, Angela Figueiredo, Luna Martinelli e Fernando Fecchio. Cenário: Cássio Brasil. Iluminação: Aline Santini. Figurino: Daniel Infantini. Trilha sonora: Branco Mello. Coreografia: Lara Pinheiro. Fotos: Fábio Messias.Coordenação geral: Angela Figueiredo.
Serviço:
Espaço Parlapatões (98 lugares), Praça Franklin Roosevelt, 158. Tel: 3258-4449.Temporada: quintas e sextas, às 21h. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00. Duração: 75min. Censura: 14 anos. Acesso a portadores de necessidades especiais. Estacionamento conveniado (R. Nestor Pestana, 129) Aceitam-se cartões de crédito e débitos de todos os bancos. Bilheteria: de terça a domingo, das 16h às 22 horas. Ingresso rápido 11 4003-1212 ou pelo sitewww.ingressorapido.com.br. Temporada até 04 de novembro de 2011.

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*