Robert Wilson dirige elenco brasileiro em A Dama do Mar

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

 

A DAMA DO MAR texto de Susan Sontag  baseado na peça de Henrik Ibsen
A DAMA DO MAR
texto de Susan Sontag
baseado na peça de Henrik Ibsen

SÃO PAULO – A Dama do Mar estreia sexta (25) às 21h00 , no Teatro Paulo Autran  Sesc Pinheiros. Direção: Robert Wilson. Texto de Susan Sontag, inspirada no original de Henrik Ibsen. Figurinos de  Giorgio Armani. Música assinada por  Michael Galasso. Luz: A.J. Weissbard e Robert Wilson. Com Bete Coelho, Hélio Cícero, Ligia Cortez, Luis Damasceno e Ondina Clais Castilho.

 

O diretor-norte americano Robert Wilson dirige pela primeira vez atores brasileiros, mas já esteve várias vezes no Brasil. Já apresentou, também com o apoio do Sesc, A Última Gravação de Krapp, Ópera de Três Vinténs e Lulu.

 

O elenco foi selecionado em fevereiro, pelo próprio diretor que esteve em nosso país especialmente para a escolha dos intérpretes.

 

Wilson encena a adaptação de Susan Sontag, escrita especialmente para esse projeto, com uma linguagem contemporânea. A peça conta a história de Élida, uma norueguesa que casa-se com um viúvo pai de duas filhas, após a morte de seu pai.

 

A DAMA DO MAR texto de Susan Sontag  baseado na peça de Henrik Ibsen
A DAMA DO MAR
texto de Susan Sontag
baseado na peça de Henrik Ibsen

Ela, que vivia próximo ao mar e com muita liberdade, não consegue se acostumar com a nova vida. A lembrança de um antigo amor a persegue. Ele prometeu buscá-la um dia e a sua vida gira em torno da esperança da sua volta.

 

Na versão brasileira, Ligia Cortez e Ondina Castilho vão se dividir na interpretação de Élida e suas enteadas.

 

Todos os elementos cênicos colocam em evidência a paixão da protagonista pelo mar, símbolo de um amor perdido e da busca da sua felicidade.

 

Um dos destaques da montagem  é o figurino assinado por Giorgio Armani, inspirado nas cores do oceano.

 

A música, de Michael Galasso, foi composta a partir de tradicionais canções folclóricas escandinavas, com sons que remetem o espectador ao mar e aos gritos das gaivotas.

 

O cenário é simples e remete a um deck de navio. Um tecido, que lembra uma vela de barco, delimita as mudanças de cena.

 

“Pensei nas formas de uma vela, pensei no encontro de linhas curvas e retas. O que me fascina neste texto é exatamente essa intercecção: a linha do tempo natural que é interrompida pela linha do tempo sobrenatural. Dois mundos que entram em colisão. Aquele que emerge será a naturalidade do sobrenatural”, afirma Wilson.

 

Histórico Projeto Sesc / Robert Wilson

 

O projeto faz parte de uma parceria entre o Sesc, a Change Performing Arts e Watermill Center, com as apresentações de A Última Gravação de Krapp, de Samuel Beckett, com atuação de Robert Wilson, no Sesc Belenzinho, em abril de 2012, além de A Ópera dos Três Vinténs, de Bertolt Brecht, e Lulu, de Frank Wedekind, com a companhia alemã Berliner Ensemble, em novembro de 2012, no SESC Pinheiros.

 

A programação paralela ao espetáculo A Última Gravação de Krapp apresentou, em abril de 2012, no Cinesesc, um documentário sobre a obra de Robert Wilson e o encenador conduziu ainda encontros com artistas.

 

No Brasil, Wilson já apresentou alguns trabalhos, como Quartett, com texto do dramaturgo alemão Heiner Müller e atuação da francesa Isabelle Huppert, em setembro de 2009, Sesc Pinheiros. O Sesc também recebeu a Exposição Voom Portraits, com videoinstalações inspiradas na estética artista, também no Sesc Pinheiros.

 

 

Ficha Técnica

Encenação, cenografia e iluminação –  Robert Wilson

De Susan Sontag, inspirada em Henrik Ibsen

      Lígia Cortez / Ondina Clais Castilho – Ellida Wangel*

Hélio Cícero – Hartwig Wangel

Ondina Clais Castilho / Lígia Cortez – Bolette Wangel*

Luiz Damasceno – Sr. Arnholm

Estrangeiro – Felipe Sacon

Participação especial de Bete Coelho – Hilde Wangel

Alternância de papéis

      Co-direção – Giuseppe Frigeni

Assistência –  Julian Mommert e André Guerreiro Lopes

Figurinos –  Giorgio Armani

Maquiagem –  Luc Verschuren

Música –  Michael Galasso

Som –  Peter Cerone
Luz – A.J. Weissbard e Robert Wilson

Assistente de luz – Fiammetta Baldiserri

Assistente de cenário – Valentina Tescari

Direção de cena – Rafael Bicudo

      Realização: Sesc SP

 

      Serviço:

     A Dama do Mar:

Duração: 1h30

Não recomendado para menores de 16 anos.

Sesc Pinheiros – de 25 de maio a 07 de julho de 2013.

Sextas, às 21h; sábados, às 20h e domingos, às 18h.

Teatro Paulo Autran (700 lugares – acesso para pessoas com deficiência)

Ingressos: R$ 40,00 (inteira); R$ 20,00 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) R$ 10,00 (comerciários e trabalhadores em empresas do comércio de bens, serviços e turismo).
Endereço:
Rua Paes Leme, 195.
Horário de funcionamento da Unidade:
Terças a sextas, das 13 às 22h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h horas.
Horário de funcionamento da Bilheteria:
Terça a sexta das 10h às 21h30. Sábados das 10h às 21h30, domingos e feriados das 10h às 18h30.
Tel.:
11 3095.9400

 

ESTACIONAMENTO COM MANOBRISTA (VAGAS LIMITADAS): Veículos, motos e bicicletas.
Terça a sexta, das 7h às 22h; Sábado, domingo, feriado, das 10h às 19h
(Horários especiais para a programação do teatro).
Taxas:
Matriculados no SESC: R$ 6,00 nas três primeiras horas e R$ 1,00 a cada hora adicional;
Não matriculados no SESC: R$ 8,00 nas três primeiras horas e R$ 2,00 a cada hora adicional;
Para atividades no Teatro, preço único: R$ 6,00;
Para informações sobre outras programações www.sescsp.org.br

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*