Saiba o que o público achou da peça A Loba de Ray-Ban

A LOBA DE RAY-BAN Foto: Bruno Tetto/clix.fot.br

Theo Alves*, especial para o Aplauso Brasil (theo@aplausobrasil.com)

A Loba de Ray-Ban encerrou ontem (24) sua participação no Festival de Curitiba. Protagonizada pela atriz Christiane Torloni, a peça é uma versão feminina para O Lobo de Ray-Ban, na época interpretado pelo saudoso Raul Cortez.

No espetáculo, um triângulo amoroso – vivido por duas mulheres e um homem – traz ao público situações cotidianas de uma relação pouco convencional. Ao final da última apresentação de A Loba de Ray-Ban, no Festival de Curitiba, conversamos com algumas pessoas para saber o que acharam da peça.

A universitária Camila Lisboa não gostou do que viu. Segundo ela, o texto é chato e a encenação dos atores exagerada.

“Apesar de adorar o trabalho da Cristiane Torloni, fiquei desapontada com a sua atuação neste espetáculo. Parece que ela está satirizando seu personagem. Mas, uma boa surpresa foi a interpretação da Maria Maia, gostei muito”.

A LOBA DE RAY-BAN Foto: Bruno Tetto/clix.fot.br

O arquiteto Carlos Fernandes concorda com a opinião de Camila.

“A atriz Maria Maia me conquistou. Sempre acompanhei seu trabalho na televisão, mas nunca a levei muito a sério como atriz. Gostei do que vi e mudei minha opinião sobre ela”.

Já a advogada Luciana Delmonde, saiu extasiada do teatro Positivo, onde A Loba de Ray-Ban ficou em cartaz durante a sua temporada curitibana.

“Muito bom. Não costumo assistir à espetáculos teatrais, mas gostei muito desse. Os atores são ótimos e o cenário é divino. Sem falar na história, que mexe com o imaginário de qualquer um”.

Ficha Técnica:

Texto: Renato Borghi

Direção: José Possi Neto

Direção de Produção: José Luiz Coutinho e Elza Costa

Elenco: Christiane Torloni, Leonardo Franco, Maria Maya, Renato Dobal e Ana Lopes Dias

 Cenário: Jean-Pierre Tortil

Figurino e visagismo: Fabio Namatame

Iluminação: José Possi Neto

Trilha Sonora: Tunica e Aline Meyer

 Fotos: Luiz Tripolli

Produção executiva: Wagner Pacheco

 Realização: Christiane Torloni e Leonardo Franco

Duração: 90 minutos

Classificação: 14 anos

*Theo Alves viajou a convite do Festival de Curitiba

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.