Saiba quem são os melhores do teatro em 2010 segundo a CPT

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

3ª edição do Prêmio da Cooperativa de Teatro

Em sua terceira edição, o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro (CPT) de 2010 levou – na noite da última segunda-feira (7), nomes referenciais do teatro produzido na capital paulista para saber dos vencedores das 14 categorias que compõem a premiação.

Entre cerca de 200 convidados – representando parte de nossa classe artística de São Paulo – para a cerimônia realizada no Teatro Coletivo estavam Antunes Filho, Maria Alice Vergueiro, Paschoal da Conceição e Sebastião Milaré.

As indicações foram feitas por voto direto da categoria pela internet e uma comissão, formada por Alexandre Mate, Sérgio Roveri, Lizette Negreiros e Antônio Chapéu,  fizeram a escolha final.

O desenho e a confecção do troféu do prêmio é de Luciana Bueno e a apresentação estará a cargo das atrizes Bete

Rodolfo Garcia Vázquez recebeu o prêmio de Melhor Diretor

Dorgam e Dani Biú.

Confira abaixo a lista completa dos premiados:

1- Dramaturgia – Criação individual ou coletiva em espetáculo apresentado em sala convencional, rua ou espaço não convencional

Ganhador

Antônio Rogério Toscano – Bielski

2 – Direção – Criação individual ou coletiva em espetáculo apresentado em sala convencional, rua ou espaço não convencional

Ganhador

Rodolfo García Vasquez, por Roberto Zucco / Hipóteses para o amor e a verdade.

3 – Elenco – Em espetáculo apresentado em sala convencional, rua ou espaço não convencional

Ganhador

– As três Velhas (Maria Alice Vergueiro, Luciano Chirolli e Paschoal da Conceição)

4 – Trabalho apresentado em sala convencional

Policarpo Quaresma (Antunes Filho)

5 – Trabalho apresentado em rua

Ganhador

A farsa do advogado Pathelin, da Companhia Rosa dos Ventos (Presidente Prudente)

6 – Trabalho apresentado em espaços não convencionais

Ganhador

A Saga do Menino Diamante – Uma Ópera Periférica, Coletivo Dolores Boca Aberta.

7 – Trabalho para plateia infanto-juvenil apresentado em sala convencional, rua ou espaço não convencional

Ganhador

Amazônia Adentro, da Cia. Conto em Cantos

8 – Grupo ou Companhia revelação, do interior, litoral ou capital do Estado

Ganhador

Trupe Olho da Rua (Santos)

9 – Trabalho apresentado no interior e litoral paulista, em sala convencional, rua ou espaço não convencional

Ganhador

Um dia ouvi a Lua, da Cia. de Teatro da Cidade (São José dos Campos)

10 – Projeto Visual – elementos plásticos e visuais do espetáculo e sua realização cênica: iluminação, cenografia, figurino, adereços, maquiagem

Ganhador

Paulo Faria: Re-bentos – Trilogia Degenerada.

11 – Projeto Sonoro – elementos sonoros do espetáculo e sua realização cênica: palavra, canto, trilha original ou adaptada, arranjos e sonoplastia.

Ganhador

Os Boêmios de Adoniran (Banda ao Vivo – Músicas de Adoniran Barbosa)

Músicos: Léo Ferreira, Marcelo Brandão, Vitor Ramos e Paulinho Farias.

12- Ocupação de espaço – Compreendendo sala convencional, rua ou espaços não convencionais, no interior, litoral ou capital do Estado.

Ganhador

V Edição da Mostra Lino Rojas

Pela ocupação na Praça do Patriarca e diferenciados outros espaços da periferia da cidade de São Paulo.

13 – Publicação dedicada ao universo do teatro, suas diversas vertentes, relações e linguagens, em projetos de Grupos e Companhias teatrais, instituições ou similares.

Ganhador

Sebastião Milaré Livros: Hierofania (Edições SescSP) e Batalha da Quimera (Edições Funarte).

14 – PRÊMIO ESPECIAL

Ganhador

Aos Movimentos 27 de Março, Roda do Fomento e Movimento de Teatro de Rua. (Pelo importante engajamento militante e político pela Cultura do País).

Informações:

Ney Piacentini/ Letícia Holanda: (11) 2117 4711

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.