“Sede” encerra trilogia do premiado autor Wajdi Mouawad no Brasil

SÃO PAULO – Inédita no Brasil, Sede é a terceira peça do autor libanês-canadense Wajdi Mouawad montada pelo ator Felipe de Carolis. Suas outras incursões no universo do premiado autor foram duas montagens de sucesso que percorreram mais de 20 cidades em turnê: Incêndios, que ficou 4 anos em cartaz, e Céus, que esteve em cartaz durante 3 anos, ambas dirigidas por Aderbal Freire-Filho. Felipe tem muita convicção na universalidade do teatro de Wadji, após experiência de quase 9 anos com seus textos e agora se associa às produtoras Selma Morente e Célia Forte para realizar Sede, em uma montagem de Zé Henrique de Paula. A produção é apresentada pela Secretaria da Cultura e pela Bradesco Seguros.

A peça conta com humor a história de três personagens, interpretados por Felipe de Carolis, Maria Manoella e Zé Henrique de Paula, em busca da representatividade de suas identidades. O texto do autor contemporâneo mais premiado da atualidade narra a jornada de pessoas com sede de viver e de provar, através de suas inquietações pessoais e artísticas, que a educação pode salvar vidas. Sede é uma crítica subjacente ao nosso modo de vida: ao neoliberalismo, ao capitalismo agressivo, mesquinho e predatório da nossa sociedade. Modo de vida esse que é capaz de separar pessoas que se amam e alimentar uma geração cada vez mais ansiosa e com o maior número de depressão entre jovens insatisfeitos de todos os tempos.

Wajdi Mouawad apresenta um conjunto de obra muito coeso com temas recorrentes como origem, ancestralidade e a presença determinante do passado na vida das pessoas. A estrutura de seu texto é enigmática e misteriosa, quase um quebra cabeças, e existe uma razão para esse formato, pois a peça é cheia de imagens e metáforas. Sede também promove uma discussão sobre a importância da arte e da beleza em nossas vidas. “Não a beleza no sentido mesquinho, mas ela como experiência estética de primeira grandeza e experiência estética renovadora e revitalizante pras nossas almas”, conta o diretor Zé Henrique de Paula que também está no elenco.

Trata-se de um texto universal, com temas que dizem muito a nosso respeito, mesmo sendo ele um autor franco-libanês radicado no Canadá. “São grandes quantidades de questões e elementos que se comunicam com a plateia brasileira e é muito importante falar de tudo o que ele fala”, afirma Zé Henrique assegurando que a tradução do texto é muito fiel e criteriosa, respeitando tanto a estrutura e o vocabulário, quanto a ideia central do autor. “Não mexi no texto. É brilhante, poético, sofisticado. Não me sinto no direito de modificar nada”, pondera o diretor.

Ficha Técnica

De Wajdi Mouawad

Com a colaboração de Benoit Vermeulen

Tradução de Angela Leite Lopes

Direção Geral Zé Henrique de Paula

Direção Musical Fernanda Maia

Elenco

Felipe de Carolis – Murdoch

Maria Manoella – Noruega

Zé Henrique de Paula – Boon

Cenografia Bruno Anselmo

Figurino Zé Henrique de Paula

Desenho de Luz Fran Barros

Preparação de corpo Inês Aranha

Coordenação de Comunicação Beth Gallo

Assessoria de Imprensa Daniela Bustos, Thaís Peres e assistência de Heloísa Nogueira – Morente Forte Comunicações

Programação Visual Laerte Késsimos

Fotografia Caio Gallucci

Filmagens e Edições para Web Jady Forte

Coordenação de Produção Egberto Simões

Produção Executiva Martha Lozano

Assistência de Produção Alcení Braz

Estagiário de Produção Murilo Dom

Coordenação Administrativa Dani Angelotti

Administradora Magali Morente

Produtores Associados Felipe de Carolis, Selma Morente e Célia Forte

Uma produção E-Merge / Quadrilha da Arte / Morente Forte

Patrocínio Bradesco Seguros

Serviço

SEDE

TEATRO TUCARENA (288 lugares)

Rua Monte Alegre, 1024 (entrada pela Rua Bartira) – Perdizes

Informações: 3670.8455 / 8454

Bilheteria: de terça a sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 19h. Estacionamento conveniado: R$ 18 (Rua Monte Alegre, 835/ mediante apresentação do ingresso do espetáculo). Valet Estapar: R$ 30 (somente sábados e domingos)

Vendas: www.sympla.com.br

Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 18h

Ingressos:

Sexta R$ 60 | Sábado e Domingo R$ 70

 

*Não haverá apresentação nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro – Carnaval*

Duração: 100 minutos

Classificação indicativa: 16 anos

Gênero: drama

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!