SESC – SP apresenta Circos – Festival Internacional SESC de Circo

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

Segunda edição do evento traz a São Paulo um total de 23 espetáculos com 8 companhias internacionais reconhecidas pela inovação da linguagem circense e 15 companhias nacionais.  A programação oferece espetáculos, intervenções, encontros entre profissionais, exibição de vídeo e a exposição Circo da Gente com ingressos a preços populares e entrada gratuita. São mais de 160 artistas de companhias da Austrália, Brasil, Bélgica, Espanha, França, Inglaterra e Peru. 

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

SÃO PAULO – Criado em 2013 para difundir a produção nacional e internacional e contribuir para a reflexão e construção do pensamento sobre circo no país, o Circos – Festival Internacional SESC de Circo realiza nova edição de hoje – com a estreia nacional de Belonging, coprodução do SESC-SP e Inglaterra – a 1º de junho, em espaços públicos da cidade e nas unidades Belenzinho, Bom Retiro, Campo Limpo, Carmo, Consolação, Ipiranga, Interlagos, Itaquera, Pinheiros, Pompeia, Santana, Vila Mariana e Santo André.

A programação do evento foi concebida em torno do conceito curatorial de [des]virtuose, que propõe diferentes olhares para a ideia de perfeição que há no imaginário sobre o circo e seus artistas.

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

Sem querer tirar seu brilho e sua magia, mas valorizando a arte circense por uma das coisas mais espetaculares das artes como um todo – o que lhe é intrinsecamente humano.

O festival revela os bastidores do circo, o dia a dia dos treinos e ensaios, desvenda o que há por trás da lona e o cotidiano fora do picadeiro. O objetivo é humanizar a imagem dos circenses tradicionalmente vistos como portadores de habilidades “sobre-humanas” e ainda enfocar o uso do risco e do erro como linha estética muito presente nos trabalhos contemporâneos.

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

Para o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda, o circo transpõe fronteiras e percorre lugares do imaginário.

“Trata-se daquele território permeável às relações entre erros e acertos, entre o circo imaginado pelas pessoas e o circo real feito por pessoas, e construído pela via do constante aprendizado com base em esforços contínuos. O circo, assim, se revela portador de possibilidades humanas”, destaca.

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

Ótimo exemplo do objetivo do festival – tratar o movimento circense além do habitual virtuosismo que habita nosso imaginário – é o espetáculo O espetáculo Belonging, uma coprodução do Sesc SP, British Council, People’s Palace Project, 2° Festival Internacional de Circo do Rio de Janeiro, Estúdio M’Baraká, Circo Crescer & Viver e Graeae Theatre Company, que reúne artistas acrobatas brasileiros e britânicos com deficiência física.

A montagem, que teve estreia mundial em Londres, em abril, traz ao Sesc Pinheiros números de tecido, lira, corda e dança, entre outras habilidades circenses. Sob codireção de Jenny Sealey, da Graeae Theatre Company, que foi uma das diretoras  da cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos de 2012, e Vinícius Daumas, do Circo Crescer e Viver, do Rio de Janeiro.

Graeae Theatre Company. "Belonging". Dress rehearsal.
Graeae Theatre Company. “Belonging”. Dress rehearsal.

A programação oferece 23 espetáculos: 8 de companhias internacionais, inéditos em São Paulo, e 15 de companhias nacionais, incluindo 3 estreias e 5 inéditos na cidade. Durante10 dias, serão mais de 130 horas de atrações circenses, espalhadas por 13 unidades do Sesc na Grande São Paulo. Os destaques entre as atrações que o Circos – Festival Internacional Sesc de Circo traz a São Paulo pela primeira vez são:

Da Europa vem também a Cia Família Bolondo / Ateneu Popular 9 Barris, que traz à unidade Pinheiros o espetáculo Maravillas, 16è Circ d’Hivern – uma paródia de um clássico do circo, que  brinca com clichês tradicionais como a presença de animais amestrados e do engolidor de fogo. O grupo é formado por uma inusitada família circense, cuja terceira geração busca se adaptar a um formato mais atual e moderno de apresentação. Mas, ao contrário de uma virtuosa performance, o resultado é uma obra tragicômica dessa atrapalhada trupe. A Família Bolondo é um coletivo de artistas provenientes de diferentes companhias, reunidos pelo Ateneu Popular 9 Barris, instituição que realiza anualmente shows sem fins lucrativos. Entre seus integrantes está o brasileiro Gustavo Arruda.

O grupo belga Cie Ea Eo, formado por quatro jovens malabaristas que tentam mostrar de forma ágil e divertida como o espaço interfere no relacionamento das pessoas, leva para o Sesc Santana o espetáculo m2.

M²  - ANKE SCHWARZER
M² – ANKE SCHWARZER

Seguindo a tendência das grandes cidades, que oferecem moradias cada vez menores, os artistas começam a apresentação numa área limitada de 8 m2. À medida que o espetáculo vai acontecendo, a área de atuação no palco também vai encolhendo, até que os quatro ficam espremidos em 1m2 e o relacionamento entre o grupo vai ficando mais tenso e arisco.

O QUE ME TOCA É MEU TAMBÉM - JOÃO SAENGER
O QUE ME TOCA É MEU TAMBÉM – JOÃO SAENGER

Da Austrália vem a companhia Circa, que apresenta no Teatro do Sesc Vila Mariana um espetáculo inspirado nas curvas e no movimento natural da 19ª letra do alfabeto. Intitulado S, o espetáculo traz para o palco artistas que se curvam, voam, contorcem-se e se penduram, às vezes sozinhos, e em outras, em um emaranhado de corpos. Os artistas atingem seus limites físicos e emocionais, com um figurino que valoriza e destaca os movimentos harmoniosos e rápidos em meio a um cenário minimalista. O objetivo é propor uma nova visão para o circo contemporâneo, misturando corpos, luz, som e habilidades. Desde sua criação, em 2006, a companhia C!RCA já se apresentou em 27 países e conquistou a crítica internacional com performances de extrema “ressonância poética”, segundo resenha do The New York Times.

Entre as atrações internacionais também se destaca a Organización Efímera, grupo fundado em 2009, com sede em Barcelona, que reúne artistas do México, Argentina, Irlanda e Espanha. Sob a direção de Rob Tannion, ex-membro da companhia inglesa DV8 Physical Theatre, apresenta no Teatro do Sesc Belenzinho o espetáculo Fecha de Caducidad, uma trama que expõe o absurdo da natureza humana. Também vem da Espanha o primeiro espetáculo criado pela companhiaPSiRC, Acrometria, que explora movimentações nas técnicas circenses de solo e mastro chinês. Da França vem a dupla formada pelo circense Fragan Gehlker e o violinista Alexis Auffray, que apresentam no Sesc Bom Retiro Le Vide, um espetáculo que reflete sobre o próprio ofício de fazer circo, como o cotidiano árduo de treinamentos, mesclando movimentações de subida e queda na corda indiana com ambientação sonora feita ao vivo.

OS ARTISTAS - CHRISTIAN VON AMELN
OS ARTISTAS – CHRISTIAN VON AMELN

O destaque internacional da produção sul-americana é o La Tarumba, uma escola e companhia de circo muito reconhecida no Peru que há mais de trinta anos mantém um trabalho social para a formação de crianças e adolescentes, por meio das técnicas do teatro, do circo e da música. Por aqui apresentam o espetáculo Impulso, seu mais recente trabalho com jovens artistas formados profissionalmente pelo projeto. Em cena são 14 acrobatas em uma enérgica performance com técnicas aéreas, roda alemã e báscula.Circo Zanni_02_Daniel Pedro

A segunda edição do festival Circos valoriza a produção nacional exibindo algumas das principais companhias do país, como o grupo paulista Circo Zanni que está completando em 2014 a primeira década de vida. Para comemorar, a companhia estreia no festival um espetáculo pautado por uma boa dose de humor e muita música, marcas características do grupo.

CIRCO ZANNI - CARLOD GUELLER
CIRCO ZANNI – CARLOD GUELLER

No Circo Zanni 10 Anos, que será realizado na nova unidade Sesc Campo Limpo, a plateia vai conferir números consagrados, que se tornaram marcas registradas da trupe, como Monga – A Mulher Gorila, interpretada por Fernando Sampaio, com apresentação de Domingos Montagner – diretor artístico do Zanni.

CIRCO ZANNI - ANDRÉ FOSSATI
CIRCO ZANNI – ANDRÉ FOSSATI

Completam o show atrações inéditas e artistas convidados que já fizeram parte da trupe, além da tradicional banda com a trilha sonora ao vivo. Para apresentar um pouco desta trajetória, o foyer do circo estará ambientado com muitas fotos que registram os equipamentos, os cenários e figurinos que fizeram parte dessa história. O público também vai poder espiar pelas janelas de um trailer cenográfico para ver como é a montagem da lona, interagir com grandes painéis que representam os artistas do circo e se sentir parte da trupe.

NA ESQUINA
NA ESQUINA

Outra estreia do Circos – Festival Internacional Sesc de Circo é o espetáculo Em Busca da Triple Volta, dos Irmãos Sabatino, também de São Paulo. A apresentação  ocorre em um balão a 50 metros do chão e numa estrutura Petit Volant (trapézio de voos), e traz a história de um trapezista em busca de mestres que o auxiliem no aprendizado da grandiosa manobra da triple volta. Tudo permeado por cenas de humor, protagonizadas pelos irmãos ginastas Martin e André Sabatino. A encenação está programada para dois finais de semana, no  Parque do Carmo e Sesc Interlagos.

Na esfera do intercâmbio entre países: o coletivo Na Esquina reúne artistas brasileiros e franceses com a proposta de mostrar no palco como é o ensaio de uma escola-circo no espetáculo Na Esquina, que estará em cartaz no Parque da Independência.

NA ESQUINA
NA ESQUINA

Em 2014, o Circos traz ainda a Cia. Nós No Bambu, do Distrito Federal, que apresenta o espetáculo TEIA (paralaxes do imaginário), o grupo Fuzuê, do Ceará, com o espetáculoPalafita, a Cia. do Relativo, com o espetáculo de malabares O Descotidiano, e o grupo Picadeiro Aéreo, com o inusitadoCaminhão Trapézio – Brasil Lux, ambos de São Paulo, entre tantas outras trupes, como o reconhecido grupo Parlapatões, que reuniu em um espetáculo números emblemáticos de sua trajetória de mais de 20 anos de história, apresentada emParlapatões Clássicos do Circo. O jovem Gutto Thomaz, de apenas 20 anos e mestre na técnica milenar conhecida como picaretagem, também está na programação: em El Gran Gustavo Augusto, o artista apresenta números mágicos, clownescos e teatrais.

Além dos espetáculos, a exposição Circo da Gente será aberta ao público durante o festival e permanecerá em cartaz até novembro de 2014, no Sesc Santo André. A proposta da mostra é explorar a atmosfera de um circo itinerante que acabou de chegar à cidade, com trailers estacionados, a tenda desgastada pelo tempo e instalada sob um chão de terra batida, com lâmpadas amarelas acesas e cartazes lambe-lambe anunciando as principais atrações do dia. A exposição enfoca o modo de vida das famílias de multiartistas que, de geração em geração, circularam de norte a sul do país, e também todo o imaginário em torno delas. Será uma oportunidade para conhecer os bastidores do circo, visitar as caravanas também utilizadas como moradias e o quintal atrás do picadeiro, recriando de forma poética a visão e a intimidade dos artistas fora do espetáculo. A segunda edição do Circos – Festival Internacional Sesc de Circo oferece ainda workshops, mesas de discussão, intervenções e encontros entre profissionais. A programação completa com os detalhes de cada atração está no site www.sescsp.org.br/circos

Serviço:

CIRCOS – Festival Internacional Sesc de Circo

De 23 de maio a 1 de junho de 2014

Unidades Sesc: Belenzinho, Bom Retiro, Campo Limpo, Carmo, Consolação, Ipiranga, Interlagos, Itaquera, Pinheiros, Pompeia, Santana, Vila Mariana e Santo André

Ingressos: o festival oferece atrações gratuitas (necessário a retirada de ingressos na bilheteria, 1 hora antes do espetáculo), ao ar livre (não requer retirada de ingressos) e espetáculos com ingressos a R$ 25 (inteira), R$ 12,50 (usuário), R$ 5 (comerciário) e grátis (para crianças de até 12 anos dependentes de comerciários)

Mais informações:  www.sescsp.org.br/circos

Atividades programadas:

23 espetáculos com companhias nacionais e internacionais

12 intervenções artísticas

3 mesas de discussão

1 workshop

1 encontro entre profissionais

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário

Leave a Reply

Seu email não será publicado