Só até hoje: Mehr Theatre Group recorre à fantasia para burlar a censura iraniana

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Peça do Irã até hoje no SESC Belenzinho

O primeiro espetáculo internacional da 11ª edição do  Internacional de Teatro  (FIT) de São Josédo Rio Preto, “Onde Nós  Estivemos no Dia 8 de Janeiro”(“Where Were You on January 8th?”), do iraniano Mehr Theatre Group (Teerã), ilustra de modo peculiar e com dose de fantasia, a possibilidade de transgredir a censura de uma política autoritária como a de Mahmoud Ahmadinejad.

A peça que será apresentada na capital paulista SÓ ATÉ HOJE no SESC Belenzinho, trata de uma narrativa, em sua primeira camada de entendimento,  deveras singela: quatro amigas ensaiam uma montagem de  “As Criadas”, de Jean  Genet, na verdade um exame universitário. Como neva as quatro ficam na casa até que amanheça. Ali,  noivo de Fati, que está no serviço militar junta-se a elas e, apesar de portar uma arma em local privado (o que é proibido), consegue concessão para levar a arma à delegacia de polícia na manhã seguinte. Abdi, amigo das moças, também dorme no local. Na manhã seguinte a arma desaparece para desespero de Ali. Ele sabe as graves consequencias que o espera caso a arma não apareça.
Mesmo que tais informações sejam conhecidas no curso da representação, a tensão se estabelece desde o princípio, quando Ali percebe o desaparecimento da arma. Imersos  num governo autoritário, em que a liberdade é cerceada e a vigilância aos civis é meticulosamente empregada, a pressão que os agonia invade a plateia, ofegante com os personagens, torcendo para que, cada um deles, encontre uma solução que preserve suas vidas. Será que todos conseguirão?
Cena de "Where Are You on January 8th?"

É curioso refletir sobre a peça numa camada intertextual. A peça ensaiada na noite que antecede o desaparecimento da arma, “As Criadas”, do transgressor autor Genet, fala sobre o passatempo de duas criadas – representar o papel da Madame quando esta está ausente -, dando a dimensão da sobreposição entre ficção e realidade, presente nos motivos enunciados pelos personagens para justificar o motivo do roubo da arma em “Where Were…”.

LEIA TAMBÉM

O fantasma da censura assombra a população iraniana

*Michel Fernandes viajou a convite do FIT SJRP

Onde Nós Estivemos no Dia 8 de Janeiro?

Texto, encenação e direção: Amir Reza Koohestani
Elenco: Saeid Changizian (Ali), Fatemeh Fakhraee (Fati), Negar Javaherian (Sara), Elham Korda (Sogol), Ahmad Mehranfar (Abdi) e Mahin Sadri (Shideh).
Trilha sonora e música: Martin Shamoon Pour
Produção: Mehr Theatre Group
Apoio: Dramatic Arts Centre (Tehran)
Realizado em parceria com o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto
Dias 13 e 14 de julho – quarta e quinta, às 21h
SESC Belenzinho www.sescsp.org.br/belenzinho
Rua Padre Adelino, 1000 – Belenzinho – São Paulo (SP) – Tel: (11) 2076-9700
Sala de Espetáculo I (120 lugares). Duração 1h20. Classificação etária: 16 anos
Ingressos: R$ 24,00 (inteira); R$ 12,00; R$ 6,00. Estacionamento p/ espetáculos c/ venda de ingressos:
R$ 6,00 (não matriculado); R$ 3,00 (matriculado no SESC).
Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*