Sobre a Tempestade agora nos Parlapatões

Sobre a Tempestade agora nos Parlapatões

Sobre A Tempesta-Mariana Noguera - 3[2]

Depois de cumprir temporada de estreia no Teatro Alfredo Mesquita, a Cia dos Imaginários reestreia sua leitura do clássico de William Shakespesare (1564-1616). Com direção de René Piazentin, Sobre a Tempestade volta para curta temporada a partir de 1º de agosto, sexta-feira, às 21 horas, no Espaço Parlapatões.

Acostumados a adaptar textos consagrados do teatro (Dom Quixote, de Miguel de Cervantes;Niklasstrasse, 36, a partir de A Metamorfose, de Franz Kafka, e Uma Alice Imaginária, inspirado em Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll), a obra do dramaturgo inglês, A Tempestade, torna-se ponto de partida para o grupo abrir desdobramentos e possibilidades por meio de comentários, novas cenas e o cruzamento de referências.

A peça conta a história de Próspero, duque de Milão, que usa poderes mágicos para que seus inimigos naufraguem na ilha onde aportou há doze anos. Com a ajuda de Ariel, um espírito do ar, tudo parece fazer parte de um grande espetáculo, como um diretor e seu assistente. Usando de sua arte, ele ocupa a ilha, escraviza o filho herdeiro, controla a tempestade, manipula a vida do irmão Antônio, e dos que o acompanham. Faz com que os náufragos passem por diversos momentos de provações para, enfim, absolvê-los.

 

René Piazentin acredita que a noção de ‘perdão’ tratada na peça é um tema importante para ser discutido atualmente, em meio a tanto medo e ódio, manifestados por motivos distintos. Com a humanidade passando por momentos tão difíceis, um pouco de tolerância, respeito e quebra de preconceitos é fundamental para amenizar ânimos. Seguindo esse pensamento, o diretor acrescentou um pato de borracha à cena, um elemento lúdico, resgate da infância e da inocência

Em tempos conturbados, em que pessoas comuns fazem justiça com as próprias mãos, Piazentin oferece possibilidades de recomeços: “Não é o momento de quebrar o ciclo de vingança? Até que ponto o olho por olho vale a pena?”, questiona.

Na montagem, a figura dos espíritos (presente em diversos momentos como executores, sempre liderados por Ariel) é entendida como uma função, e não só uma caracterização. Os próprios atores, quando não participantes da ação central, ao interagirem em contraplano, revelam os mecanismos simbólicos da cena, conduzindo a ação. No palco, ganham um sentido de coro, de coletivo, mas sem identidade.

O grupo não usa o texto original, mas preserva a fábula, sendo utilizada para o desenvolvimento de outras perspectivas. A Cia. preza, principalmente, pela liberdade de adaptar um clássico, da mesma forma como o próprio Shakespeare fazia: apropriava-se de um conto popular, inseria outros elementos e tinha uma nova história, um novo olhar sobre algo. É o que o diretor René chama respeitosamente de “tirar Shakespeare do pedestal”.

 

FICHA TÉCNICA:

SOBRE A TEMPESTADE – Reestreia no dia 1º de agosto, sexta-feira, às 21h no Espaço ParlapatõesDireção e dramaturgia – René Piazentin. Assistência de Direção – Carolina Loureiro e Camila Nardoni.Cenário, luz e trilha – René Piazentin. Figurinos – Vanusa de Souza Costa. Preparação de Atores – Fernanda Gama. Elenco – Alexandre Passos, Aline Baba, Kedma Franza, Luana Frez, MarcellaPiccin, Thiago Vieira, Renata Weinberger, Rodrigo Sanches e Waldir Medeiros.Produção – Núcleo Imaginário de Produção e F Gama Produções LTDA-ME. Duração – 70 minutos. Recomendação – Livre.Gênero – Fábula dramática. Modalidade – Adulto.

 

SERVIÇO:

ESPAÇO PARLAPATÕES – Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, SP. Telefone (11) 3258-4449. Capacidade: 96 lugares.Temporada: Sextas-feiras, às 21 horas – Até 26 de setembro.  Classificação etária: Livre. Duração: 70 Minutos. Ingressos: R$ 30,00. Meia-entrada para estudantes, terceira idade e classe artística.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado