Sucesso de público e crítica re-estreia em São Paulo

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Luis Antonio - Gabriela"

SÃO PAULO – Depois de vários prêmios, entre eles, o Prêmio APCA – Melhor Espetáculo 2011, Prêmio Shell de Melhor Direção, 12º Prêmio APOLGBT Cidadania em respeito à Diversidade e Melhor Espetáculo do Ano pelo Prêmio Governador do Estado, a Cia. Mungunzá faz temporada no teatro João Caetano com Luis Antonio – Gabriela, a partir desta quinta-feira (30).

Na peça, o diretor Nelson Baskerville relata uma história real: a de seu irmão mais velho, Luis Antonio que parte para a Espanha usando o nome de Gabriela, após muitos desentendimentos familiares, principalmente com o pai, que jamais aceitou a sua homossexualidade. Baskerville não teve mais contato com o irmão.

O documentário cênico, com argumento de Baskerville e dramaturgia da atriz Verônica Gentilin, começa com o nascimento de Luís Antonio, em 1953, na cidade de Santos, e termina com a sua morte. Sua trajetória é recuperada a partir de documentos e dos depoimentos do diretor, de sua irmã, Maria Cristina, de sua madrasta, Doracy, e Serginho, cabeleireiro em Santos e amigo de LuisAntonio.

Em 2002, Baskerville recebeu a ligação de Doracy, avisando que Luís Antonio havia morrido na Espanha. Sem contato há 30 anos com o irmão, Baskerville confessa não ter ficado abalado com a notícia.

A irmã, Maria Cristina, no entanto, descobriu que Luis Antonio estava vivo e doente. Foi ao seu encontro.

Luis vivia em Bilbao, sob o codinome Gabriela, e teve um passado de sucesso nas noites da cidade espanhola. Era viciado em cocaína e sofria de Aids. A partir daquele momento, a família passou a ter notícias dele através da Maria Cristina. Gabriela faleceu em 2006, em Bilbao.

"Luís Antonio - Gabriela", da Cia Mungunzá. Na foto o ator Marcos Felpe

Por meio desse espetáculo, Baskerville pede desculpas ao seu irmão e tem a coragem de colocar no palco questões relacionadas à sua família e ao preconceito que ainda persiste em nossa sociedade.

Na peça, Veronica Gentilin é a responsável por interpretar Nelson Baskerville. Marcos Felipe é Luis Antonio – Gabriela.

A direção optou pelo distanciamento defendido pelo dramaturgo Bertolt Brecht, evitando assim o tom melodramático. Isso não impede que o público saia da sala de espetáculos emocionado.

Recursos audiovisuais,telas do artista Thiago Hattner, trilha tocada e cantada ao vivo e a iluminação, operada pelos próprios atores, estão entre os destaques da encenação.

Sobre a Cia. Mungunzá:

A Cia. Mungunzá de Teatro nasceu em São Paulo, no ano de 2006, por meio da união de atores recém-formados, motivados a aprofundar as técnicas aprendidas na escola e, assim, desenvolver um estudo detalhado do Teatro Épico de Brecht e de linguagens estabelecidas na contemporaneidade.

A Cia entrou em contato com o ator e também professor Nelson Baskerville para a realização de pesquisas sobre o teatro pós-dramático.

Com a peça Por que a criança cozinha na polenta, o grupo começou a chamar a atenção do público e da crítica. Recebeu 36 prêmios em diversas categorias. Luis Antonio – Gabriela é o segundo trabalho realizado.

Ficha técnica:

ARGUMENTO: Nelson Baskerville

INTERVENÇÃO DRAMATÚRGICA: Verônica Gentilin

ELENCO: Marcos Felipe, Lucas Beda, Sandra Modesto, Verônica Gentilin, Virginia Iglesias; Day Porto

DIREÇÃO: Nelson Baskerville

DIRETORA ASSISTENTE: Ondina Castilho

ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Camila Murano

DIREÇÃO MUSICAL, COMPOSIÇÃO E ARRANJO: Gustavo Sarzi

PREPARADOR VOCAL: Renato Spinosa

TRILHA SONORA: Nelson Baskerville

PREPARAÇÃO DE ATORES: Ondina Castilho

ILUMINAÇÃO: Marcos Felipe e Nelson Baskerville

CENÁRIO: Marcos Felipe e Nelson Baskerville

FIGURINOS: Camila Murano

VISAGISMO:Rapha Henry – MakeupArtist

FOTOS: Bob Sousa

VÍDEOS: Patrícia Alegre

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Sandra Modesto e Marcos Felipe

PRODUÇÃO GERAL: Cia Mungunzá de Teatro

Serviço:

Luis Antonio – Gabriela

Teatro João Caetano (400 lugares)

Rua Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino

Próximo à estação Santa Cruz do Metrô

Informações: 5573.3774

Vendas: www.ingressorapido.com.br – 4003.1212

Bilheteria: de terça a quinta das 14h às 19h30 e de sexta a domingo, a partir das 14h.

Não aceita cheque. Pagamento em dinheiro e cartão.

Quinta a Sábado às 21h | Domingo às 19h

Ingressos: R$ 20

Excepcionalmente dia 02 de setembro (domingo) não haverá apresentação

Duração: 88 minutos

Gênero: Documentário Cênico

Recomendação: 16 anos

Re-estreia dia 30 de agosto.

Curta temporada: até 14 de outubro.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*