Teatro de Bonecos adulto traz história de padre que duvida de sua própria fé

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

"Dom Manuel Martir". Foto Marco Aurélio Olimpio
“Dom Manuel Martir”. Foto Marco Aurélio Olimpio

SÃO PAULO – O Grupo Sobrevento, um dos mais destacados grupos brasileiros de teatro de bonecos, está em cartaz, em São Paulo, com o espetáculo São Manuel Bueno, Mártir, até 31 de março, no Espaço Sobrevento. Com entrada franca a peça é fruto do Projeto Sobrevento 25 anos. O trunfo do grupo está no conjunto inusitado entre bonecos, música e espaço cênico. O texto é de Miguel de Unamuno; a adaptação e Dramaturgia são de Sandra Vargas e do diretor Luiz André Cherubini; a cenográfica de Telumi Helen; o figurino João de Pimenta e a iluminação de Renato Machado.

O texto foi escrito em 1930 pelo poeta, filósofo e escritor Miguel de Unamuno (1864-1936), reconhecido, não só pela qualidade de sua obra, mas também pelos sucessivos ataques à monarquia da Espanha. Nunca antes encenado, São Manuel Bueno, Mártir transformou-se em uma peça, dirigida ao público adulto, que conta a história de Dom Manuel (vivido por Maurício Santana), um padre que duvidava da vida após a morte e da própria existência de Deus. Através da narrativa confessional e em primeira pessoa de Ângela (Sandra Vargas), o texto embrenha-nos no drama íntimo do pároco, que está prestes a ser beatificado. Lázaro (Luiz Cherubini), irmão de Ângela, acaba de voltar dos EUA para a pequena cidade onde nasceu e tenta convencer Ângela a ir embora daquele lugar onde, segundo o personagem, “as mulheres mandam nos homens e os padres mandam nas mulheres”. Mas ela se recusa, convencida de que há questões a serem resolvidas por lá.

A trama gira em torno do relacionamento desses três personagens: Ângela ganha profunda admiração e gratidão por Dom Manuel, que se transforma, de um mártir, em uma espécie de santo, apesar – ou justamente por causa – de sua dúvida e falta de fé.

"Dom Manuel Martir" . Foto Marco Aurélio Olimpio
“Dom Manuel Martir” . Foto Marco Aurélio Olimpio

A montagem realizada pelo Sobrevento em São Manuel Bueno, Mártir é pouco ortodoxa.  Acontece em uma arena ocupada por uma mesa redonda, que representa o mundo. No centro dela, bonecos de madeira estáticos, fixos, sem qualquer articulação, confeccionados pelo escultor Mandy. São pelo menos 30 bonecos que representam os personagens da trama e o povo da pequena cidade onde se desenrola a história. Os três atores-manipuladores, representando os personagens Dom Manuel, Angela e Lázaro, movimentam estes bonecos como se fossem peças de xadrez ou figuras de um presépio. A trilha sonora do espetáculo, realizada ao vivo, foi criada especialmente pelo pernambucano Henrique Annes, um dos fundadores do Movimento Armorial, virtuoso do violão recifense e que comemora os seus 50 anos de carreira. A música de Annes, que transita entre o erudito e o popular, é executada por três músicos, ao violão, violoncelo e bandolim. “Ao longo do espetáculo, as figuras (bonecos) vão perdendo a sua forma, se decompondo, ficando cada vez mais distantes do figurativismo original, como em um livro, molhado pela água. O jogo de movimentação das figuras lembra um jogo de criança ou às vezes uma maquete, mas não há uma manipulação propriamente dita ou uma técnica de animação”, diz a atriz Sandra Vargas. O espaço cênico é uma espécie de poço escuro e o tampo da mesa é o próprio palco do espetáculo.

 

O Grupo Sobrevento

O SOBREVENTO é um Grupo de Teatro profissional, formado em 1986, que busca apresentar, experimentar, desenvolver, inovar, aperfeiçoar, difundir, multiplicar, valorizar, fortalecer, ensinar, aprender e estudar o Teatro de Animação. É reconhecido, nacional e internacionalmente, como um dos maiores especialistas brasileiros da área. O Grupo tem, hoje, dez espetáculos em repertório – destinados a diferentes públicos e espaços – com os quais ganhou alguns dos Prêmios mais importantes do país. Em suas andanças, viajou por todo o Brasil, do Acre ao Rio Grande do Sul, e apresentou-se em mais de uma centena de cidades não só do Brasil, mas também da Espanha, Irlanda, Escócia, Argentina, Chile, Colômbia, Angola, Suécia, Estônia, México e Irã.

 

O Teatro de Bonecos para adultos

O Teatro de Animação moderno é uma ampliação dos limites que o senso-comum estabeleceu, preconceituosa e equivocadamente, para o Teatro de Bonecos. Espalhado por todas as épocas e por todos os lugares do mundo, o Teatro de Animação funde linguagens cênicas, mistura modernidade e tradição, mistura erudição e popularidade, tem como palco qualquer espaço e tem como alvo públicos de todas as idades e grupos sociais, um de cada vez ou todos de uma só vez. Em São Paulo, no entanto, vemos poucos espetáculos que exploram a linguagem do Teatro de Animação para adultos, por sua inviabilidade econômica, o que, muitas vezes, não acontece quando o Teatro de Animação se dirige ao público infantil. O SOBREVENTO é um dos poucos Grupos de Teatro de Animação do Brasil que se têm dedicado ao público adulto e, sempre, com grande profundidade e êxito. O Grupo tem lutado por difundir a ideia de que o Teatro de Bonecos deve ser antes Teatro e depois de Bonecos e que toda técnica deve estar a serviço daquilo que se quer dizer. Dominando um grande número de técnicas de animação, o Grupo montou, entre outros, os espetáculos SUBMUNDO, UBU!, O THEATRO DE BRINQUEDO, BECKETT, O CABARÉ DOS QUASE-VIVOS, QUASE NADA e ORLANDO FURIOSO, apresentados em quase todos os estados do Brasil e em países de quatro continentes.

 

Ficha técnica

Texto: Miguel de Unamuno Direção: Luiz André Cherubini Adaptação e Dramaturgia:
Sandra Vargas e Luiz André Cherubini Elenco: Sandra Vargas, Luiz André Cherubini, Maurício Santana, Rafael Brides ou Carlos Amaral (violão), William Guedes (bandolim) e Marina Estanislau ou Jorge Santos (violoncelo) Direção musical: Luiz André Cherubini e Henrique Annes Músicas: Henrique Annes  Cenário: Luiz André Cherubini Ambientação
cenográfica:
Telumi Helen Figurino: João Pimenta Iluminação: Renato Machado Cenotécnico: Agnaldo Souza Técnico de Iluminação: Marcelo Amaral Operador de som: Agnaldo Souza Esculturas dos bonecos: Mandi Instalação no foyer: Povo Frágil, de Antonio Catalano Assistente de confecção (Povo Frágil): Valerio Catalano Preparação vocal: Alessandra Cino Preparação corporal: Marcelo Paixão Direção de Produção: Grupo Sobrevento Produção Executiva: Lucia Erceg Assistência de direção: Sandra Vargas Programação visual: Marcos Correa | Ato Gráfico Assessoria de imprensa: Márcia Marques | Canal Aberto

Serviço

SÃO MANUEL BUENO, MÁRTIREstreia dia 17 de janeiro, quinta-feira, às 21 horas, no ESPAÇO SOBREVENTO. A montagem fica em cartaz de quinta a domingo – quintas e sextas, às 21h, sábados e domingos, às 20h –, de 17 de janeiro a 31 de março. Haverá sessões extras nos dias 23, 24, 30 e 31/03, às 18h. A ENTRADA É FRANCA.

Classificação Etária: 16 anos. 60 lugares. Não recomendado para menores de 16 anos.

Duração: 1h10

ESPAÇO SOBREVENTO – Rua Coronel Albino Bairão, 42 – a duas quadras do Metrô Bresser-Mooca. Maiores informações através do site www.sobrevento.com.br

Reservas a partir do dia 2 de janeiro pelo telefone (11) 4328-3589 e (11) 96337-5013 ou pelo e-mail info@sobrevento.com.br

CONTATO IMPRENSA:

Márcia Marques | Canal Aberto – (11) 2914-0770 | (11) 9 9126 0425 – marcia@canalaberto.com.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.