Tetê Espíndola e Miltinho abrem festival no CCBB

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Tetê Espíndola

SÃO PAULO – Com o propósito de difundir o cancioneiro popular e suas modas de viola, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo, lança amanhã, 16h, na Praça do Patriarca, o projeto Eta Nóis, Quando a Viola Bota as Coisas no Lugar. Na estreia do projeto, que vai até o dia 23 de junho, participam Tetê Espíndola e Miltinho.

O projeto prevê a apresentação de dois instrumentistas que utilizam a viola de foras diferenstes, caso da viola caipira e da viola de arco, e deve reunirr clássicos da canção popular, composições inéditas e obras de compositores eruditos, tais como Camargo Guarnieri, Guerra Peixe e Radamés Gnatalli, sobob direção musical de Ney Marques – que também assina os arranjos, ao lado de Ivan Vilela –, cada apresentação contará com duas violas: uma erudita (Paula Pi) e outra de 10 cordas. A percussão será conduzida por André Rass.

“A ideia deste projeto surgiu num festival em que fui jurada e vi a viola predominar em toda sua programação. Então decidi criar um evento que levasse ao público o cancioneiro popular por meio da viola caipira, mas complementada pela viola de arco e interpretada por reconhecidos nomes da MPB”, comenta Lucina, curadora do projeto.

A parceria entre cantoras de tessituras vocais e timbres de alcances extremos e músicos que carregam as raízes regionais do Brasil também norteia o restante da programação, com as parcerias entre Lucina Ivan VilelaNá Ozzetti Dú Gomide Alzira E Zé Helder. A violista Paula Pi, reconhecida por seus trabalhos que mesclam o popular e o erudito, também participa dos shows.

Miltinho

Lucina ressalta ainda a importância que o festival agrega à cidade de São Paulo. “Grande parte da população que mora em São Paulo é de origem nordestina e interiorana, portanto, muitas pessoas que estarão presentes aos shows se identificam com o espírito musical que nós vamos oferecer. Por outro lado, aqueles que não conhecem o cancioneiro brasileiro terão a oportunidade de ampliar o leque musical e cultural”.

FICHA TÉCNICA
Curadoria: Lucina
Pesquisa e texto: Daniel Caverna e Jussiê Caverna
Direção  Musical: Ney Marques
Arranjadores:  Ney Marques e Ivan Vilela
Direção Cênica: Marisa Avellar
Coordenação Geral: Patricia Ferraz
Produção Executiva: Baby Amorim
Assistência de Produção: Cyntia C
Sonorização: Rodrigo Costa e Fausto Filho
Lighting Designer e Iluminação: Patrícia Ferraz
Projeto Gráfico: Cyntia C e Luciane Nardi
Vídeo Registro: Rafael Saar e Adil Lepri
Fotos: Marcel Nascimento

PROGRAMAÇÃO – Eta Nóis, Quando a Viola Bota as Coisas no Lugar

02 de junho – Tetê Espíndola e Miltinho Edilberto

09 de junho – Lucina e Ivan Vilela

16 de junho – Ná Ozzetti e Dú Gomide

23 de junho – Alzira E e Zé Helder

Sábados, 16h

Entrada franca para todas as idades

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro (São Paulo)
Estacionamento conveniado: Rua da Consolação, 228 (Ed. Zarvos) com transporte gratuito até proximidades do CCBB.

O EVENTO OCORRE NA PRAÇA DO PATRIARCA AO LADO DO METRÔ ANHAGABAÚ

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*