Texto de Jhonny Salaberg é a segunda peça da mostra de dramaturgia do centro cultural SP

SÃO PAULO – Um menino negro, que mora na periferia, e narra sua trajetória desde o momento em que vai comprar pão na padaria, o encontro com um policial e sua corrida pelo mundo é o ponto de partida de Buraquinhos ou o Vento é Inimigo do Picumã, segundo espetáculo da programação da Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do Centro Cultural São Paulo, que estreia no dia 22 de junho, sexta-feira, às 21 horas. Com texto  de Jhonny Salaberg, que integra o elenco ao lado de Ailton Barros e Clayton Nascimento, montagem tem direção de Naruna Costa.

Narrativa em primeira pessoa de uma personagem – menino negro – nascido e criado em Guaianases, zona leste de São Paulo, Buraquinhos ou o Vento é Inimigo do Picumã, apresenta a história de um jovem que vai a padaria no primeiro dia do ano e leva um “enquadro” de um policial. A partir daí, o menino começa a correr e não para mais, o que o leva para uma maratona pelo mundo passando por países da América Latina e África.

Ferida aberta nas periferias
Convidada pelo Coletivo Carcaça de Poéticas Negras para dirigir o espetáculo devido a sua trajetória de teatro e negritude, a atriz Naruna Costa conta que foi um grande desafio levar ao palco um texto tão literário e imagético. “Fizemos várias leituras e junto com o elenco fomos descobrindo as formas de encenação desse tema tão importante que é o genocídio da juventude negra”, diz a diretora.

Dividido em oito cenas, Buraquinhos ou o Vento é Inimigo do Picumã conta com dois músicos que executam a trilha sonora ao vivo com violão, violoncelo, piano, alfaia, bandolim e djembê. O cenário e figurinos, de Eliseu Weide, usam como referência a cor e a textura do papel pardo dos sacos de pães e um playground infantil com brinquedos antigos e envelhecidos completa a cenografia.

Continuidade da mostra

Depois de Buraquinhos ou o Vento é Inimigo do Picumã, a última montagem da quarta edição da Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos a estrear será Necropolíticade Marcos Barbosa e direção de Aury Porto.

 

Para roteiro:

MOSTRA DE DRAMATURGIA EM PEQUENOS FORMATOS CÊNICOS DO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO apresenta BURAQUINHOS OU O VENTO É INIMIGO DO PICUMà– Estreia dia 22 de junho, sexta-feira, às 21 horas, no Espaço Cênico Ademar Guerra. Dramaturgia – Jhonny Salaberg. Direção – Naruna Costa. Elenco – Ailton Barros, Clayton Nascimento e Jhonny Salaberg. Direção Musical – Giovani Di Ganzá. Músicos – Érica Navarro e Giovani Di Ganzá. Preparação Corporal – Tarina Quelho. Cenografia e Figurinos – Eliseu Weide. Assistente de Cenografia e Figurino – Carolina Emídio. Iluminação – Danielle Meireles. Operação de Luz – Danielle Meirelles e Thays do Valle. Fotos – João Luiz Silva. Artista Gráfico e Ilustrações – Murilo Thaveira. Produção – Nós 2 Produtoras Associadas – Bia Fonseca e Iza Marie Miceli. Assistente de Produção – Lucas Cândido. Realização – Carcaça de Poéticas Negras, Centro Cultural São Paulo e Nós 2 Produtoras Associadas. Recomendação etária – 14 anos. Duração – 90 minutos. Ingressos – R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada). Na sexta-feira, dia 29 de junho, a apresentação terá o valor promocional de R$ 3,00 e a bilheteria abre a venda duas horas antes, sem vendas pela internet. Temporada – Até 15 de julho. Sexta-feira e sábado às 21 horas e domingo às 20 horas.

 

Próxima estreia:

Necropolítica

Dramaturgia de Marcos Barbosa e direção de Aury Porto

De 19 de julho a 5 de agosto

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO – Espaço Cênico Ademar Guerra – Rua Vergueiro, 1000 – Estação de metrô Vergueiro. Telefone (11) 3397-4002. Bilheteria – de terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30. Ingressos vendidos online pela www.ingressorapido.com.br ou pelo telefone 4003-1212. Capacidade – 83 lugares. Acesso para deficientes físicos.

www.centrocultural.sp.gov.br