Théâtre du Soleil estreia turnê brasileira em São Paulo

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

Na foto: Andreas Simma, Pauline Poignand, Astrid Grant, Vincent Mangado, Ana Amélia Dosse, Serge Nicolaï, Armand Saribekyan, Sylvain Jailloux, Vijayan Panikaveettil - foto de Michèle Laurent

Começam nesta quarta-feira (5), a partir das 18h, numa lona-galpão armada na Praça de Eventos do SESC Belenzinho, as apresentações brasileiras de Os Náufragos da Boa Esperança (Auroras), a mais recente produção do Théâtre du Soleil, uma das principais trupes teatrais do mundo, que, na capital paulista, vem acompanhada de uma série de atividades extra-curriculares visando colocar o público em sintonia com o desenrolar do trabalho do grupo.

Ariane Mnouchkine, uma das fundadoras do Théâtre Du Soleil (em 1964) – que há mais de meio século leva à cabo seu projeto utópico da arte como  “instrumento político e espiritual”, segundo Mnouchkine -, assina a direção do romance póstumo e inacabado de Júlio Verne, Os Náufragos de Jonathan, que serviu de impulso para a criação do espetáculo, cuja dramaturgia é assinada por Hélène Cixous, parceira em diversos trabalhos da trupe, e narra a história de um grupo de pessoas apaixonadas pelo cinematógrafo que, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, se reúne no sótão de um cabaré para rodar um filme.

Dirigido por um cineasta socialista, o filme conta a história de um navio que parte do País de Gales rumo à Austrália que encalha entre a Patagônia e a Terra do Fogo (arquipélago na extremidade sul da América do Sul). Lá, os tripulantes decidem, então, fundar uma sociedade em que sejam protagonistas os ideais da liberdade, igualdade e fraternidade.

Na foto: Juliana Carneiro da Cunha, Maurice Durozier – foto de Michèle Laurent

“A liberdade, igualdade e fraternidade é um programa que ainda não foi realizado  totalmente, talvez por alguns momentos apenas. O que essas personagens propõe é extirpar a desigualdade, obter a liberdade, de fato, e alcançar, assim, a fraternidade. Esse é o desejo”, afirma Mnouchkine.

VEJA TAMBÉM

Théâtre Du Soleil chega a SP trazendo 15 toneladas e vasta programação

Confira entrevista coletiva do Théâtre du Soleil

Assista a uma cena de Os Náufragos da Louca Esperança (Auroras)

Assista a mais um trecho do espetáculo do Théâtre Du Soleil

SERVIÇO DO ESPETÁCULO:

OS NÁUFRAGOS DA LOUCA ESPERANÇA (AURORAS)

O novo espetáculo da companhia dirigida por Ariane Mnouchkine.

Livremente inspirado no romance “Os Náufragos do Jonathan”, de Júlio Verne.

Dramaturgia: Hélène Cixous

Música: Jean-Jacques Lemêtre

Duração do espetáculo: 4h

Intervalo de 15 minutos

Ingressos para o espetáculo: Esgotados

Temporada:

De 05 a 23 de outubro de 2011

15 apresentações

Quarta a domingo, às 19h.

585 lugares

Indicação de faixa etária – 12 anos

Site: www.sescsp.org.br

SESC Belenzinho

Rua Padre Adelino, 1.000 – Belenzinho – Telefone: 11 2076-9700
e-mail: email@belenzinho.sescsp.org.br
Horário de Funcionamento da Unidade:
Terça a sábado, das 9h às 22h. Domingos e feriados, das 9h às 20h
Central de Atendimento, Bilheteria e Loja SESC:
Terça a sexta, das 9h às 21h30. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h30
Acessibilidade universal

Realização: SESC SP

Apoios: Consulado Geral da França em São Paulo, Instituto Francês, Prefeitura de Paris e Région Ile de France

Parcerias: Festival Porto Alegre em Cena, Metropolis e Realejo Produções Culturais (RJ)
e Fundação Internacional Teatro a Mil (Santiago – Chile)

Apoio Cultural: Hotel Transamérica Prime – International Plaza e TAM Linhas Aéreas

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário
  1. POXA JA ESTA ESGOTADO!!! SAUDADES AMIGO! ME MUDEI! TO MORANDO PROXIMO DO SESC SANTANA.
    E TRABALHO PROXIMO DA SUA CASA! NA CHACARA SANTO ANTONIO! TO DANDO A VOLTA AO MUNDO PRA CHEGAR AQUI! ABRAÇÃO!

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*