Três estreias em um novo teatro

Da redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Mamy" marca estreia de teatro em SP.

A cidade de São Paulo ganha novo espaço para as artes. Localizado em Perdizes, na rua Apinagés, 1387, o Teatro Viradalata abre para público com a estreia dos espetáculos Mamy sexta-feira (1º), às 21h30, e Medinho Medão,  sábado (2), às 16 horas, respectivamente adulto e infantil. A peça Sequestro adulta, entra em cartaz na próxima quarta-feira (6) para temporada às quartas e quintas às 21 horas.

Com administração e coordenação artística de Alexandra Golik, atriz, autora e diretora premiada, o teatro tem arquitetura moderna e tecnologia de ponta, inicialmente com capacidade para 100 espectadores. O projeto final é plateia com 250 lugares – essa fase, em construção, tem previsão para estar pronta em novembro de 2011. O teatro tem projeto arquitetônico de Kátia Bonfim Pestana, em colaboração com Alexandra Golik e execução do engenheiro Terto Alves de Oliveira Neto, da Impakta Engenharia.

De acordo com Alexandra Golik, a proposta de ocupação comportará espetáculos adultos, infantis, e de características variadas – de humor a projetos alternativos.

“Na abertura, a grade de programação inclui cinco espetáculos – três adultos e dois infantis, produções da própria Alexandra e sua Cia Viradalata, todas inscritas no Proac. Em seguida, a proposta é abrir a programação para peças que primem pela qualidade artística, não importando a dimensão da produção”, conta a atriz.

O nome Viradalata é uma clara homenagem ao cão sem raça definida.

“Tenho uma grande paixão pelos animais, sobretudo por aqueles menos favorecidos como os cães abandonados. Além disso, em Viradalata está presente também o conceito de virada e transformação, parte fundamental do papel do artista”, explica Alexandra, que simultaneamente continua com a Cia Le Plat du Jour.

Infra-estrutura

A entrada pela rua Apinajés, 1387 dá acesso a saguão, bilheteria e toaletes. Uma escada e um elevador para pessoas com deficiência levam ao segundo andar do prédio. Um corredor externo de 18 metros, gramado e com árvores, termina na entrada do foyer do teatro.

A área interna abriga um salão de 250 metros, com pé direito de 6 metros de altura. Ao fundo deste espaço está o palco de 70 metros quadrados – 10 metros de boca de cena, 7 de profundidade, 6 de altura e um urdimento de 70m² (pegando a totalidade do palco). A plateia é formada por uma arquibancada removível, de alumínio, medindo 42 m² e com capacidade para acomodar 100 cadeiras.

O ambiente interno dispõe, ainda, de bar e cafeteria equipados com máquinas de café expresso e de frozen (bebidas geladas), uma pipoqueira e aparelho de TV de plasma. Do outro lado do bar,uma escada dá acesso ao mezanino que tem duas salas de administração e aárea técnica (cabine)para os equipamentos e operação de som e luz.

Ainda no salão, um grande toalete contém três cabines, respectivamente: feminino, masculino e para pessoas com deficiência. Próximo ao banheiro, há dois jogos de portas acústicas que formamuma antecâmara com uma pequena sala onde fica a chapelaria.

Depois da segunda fase da obra, a ser entregue em novembro de 2011, a capacidade do teatro passa para 180 espectadores na plateia e 70 pessoas no mezanino, totalizando 250 lugares.Os espectadores terão uma ampla visão do palco que poderá eventualmente ser aberto para a plateia de 100 lugares, já construída, formando um espaço para 350 espectadores, com público de ambos os lados do palco. Fica, portanto, a opção de um espaço multifuncional: para 100, 250 ou 350 espectadores. O projeto prevê, também, a construção de um pequeno restaurante e cozinha, além de dois camarins equipados com bancadas, espelhos, toaletes e chuveiros.

VIRADALATA Rua Apinajés, 1387. Perdizes. Telefone – 11 3868-2535. Tem ar condicionado. Capacidade atual – 100 lugares. Acessibilidade. Bilheteria – de quarta a domingo a partir das 14 horas. Estacionamento – Vallet a R$ 15,00. www.viradalata.com.br.ProgramaçãoMamy – sexta às 21h30, sábado 21h e domingo 20h. Medinho e Medão – sábados e domingos às 16h. Sequestro – quartas e quintas às 21h.

a

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.