Último final de semana de Tio Vânia do Grupo Galpão

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Yara de Novaes dirige "Tio Vania" foto de Guto Muniz

Você tem até domingo para conferir a montagem do grupo mineiro para o clássico de Anton Tchekhov, no SESC Vila Mariana, com direção de Yara Novaes

SÃO PAULO – Um clássico é sempre clássico. E quando se trata de uma peça do escritor e dramaturgo russo Anton Tchekhov aí é imprescindível. Por isso que você não pode deixar de assistir a montagem do Grupo Galpão, de Minas Gerais, para o clássico de Tchekhov Tio Vânia (aos que vierem depois de nós), que encerra temporada de nesse final de semana no SESC Vila Mariana.

Com direção de Yara Novaes, o espetáculo do Galpão já percorreu diversos festivais de teatro pelo país, cumpriu temporada em Belo Horizonte e Rio, além da apresentação no Teatro Vascello (Roma/ Itália) antes dessa temporada paulistana.

Tio Vânia (aos que vierem depois de nós) não é o primeiro trabalho do Galpão com Anton Tchekhov . Em 2008, o grupo participou de um projeto que uniu teatro e cinema: sob direção de Enrique Diaz, o processo de montagem da peça As Três Irmãs, era o roteiro do diretor Eduardo Coutinho para o documentário Moscow.

Grupo Galpão apresenta "Tio Vânia" no SESC Vila Mariana

Para 2012, o Galpão prepara o projeto Viagem à Tchekhov o qual será dirigido pelo russo Jurij Alschitz, com treinamento vocal com a diretora lituana Olga Lapina, a partir de contos de Tchekhov.

Tio Vânia retrata um momento na vida de uma família que vive numa decadente propriedade rural, no final do século 19. Mais do que a instabilidade financeira e a falta de perspectiva na vida daquelas pessoas, o texto de Tchekhov revela de maneira contundente a desilusão, a incompreensão com a passagem do tempo e o declínio físico e, principalmente, o fim dos sonhos para aqueles personagens. Mas nesse caos há também um fio de esperança no futuro. Vânia (Antonio Edson), com quase cinquenta anos, sente-se inútil, cumprindo um papel secundário na família e na vida. Esta constatação fica mais acentuada depois da chegada do viúvo de sua irmã, o Professor Serebriákov (Arildo de Barros) e de sua nova esposa, a atraente Helena (Fernanda Vianna). Ela atrai tanto Vânia como o médico Ástrov (Eduardo Moreira), amigo da família, que por sua vez é a paixão de Sônia (Mariana Lima Muniz), sobrinha de Vânia e filha de Serebriákov.

Destaque para o cenário de Márcio Medina, que também assina o figurino: cinco colunas são movimentadas pelos atores e interferem no tom e dramaticidade (elas podem ajudar a expandir ou sufocar a situação vivida em cena).

Roteiro:
TIO VÂNIA (aos que vierem depois de nós)
. Texto: Anton Tchékhov. Direção: Yara de Novaes. Tradução e adaptação: Grupo Galpão. Elenco: Antonio Edson, Eduardo Moreira, Fernanda Vianna, Paulo André, Teuda Bara, Mariana Lima Muniz. Cenografia e figurino: Márcio Medina. Iluminação: Pedro Pederneiras. Trilha Sonora: Dr Morris. Fotos: Guto Muniz. Produção Executiva: Beatriz Radicchi. Produção: Grupo Galpão.

Serviço:
Teatro SESC Vila Mariana            , Rua Pelotas, 141. Tel: (11) 5080 3000. Temporada: Sexta e sábado, às 21h e domingo, às 18h. Ingressos: R$ 24 (inteira), R$ 12 (meia-entrada para jovens de até 21 anos, estudantes, classe teatral, maiores de 60 anos, clientes Cartão Petrobras – até 2 ingressos – e força de trabalho da Petrobras – até 2 ingressos com a apresentação do crachá) e R$ 6 (comerciários). Horário de funcionamento da bilheteria – Terça a sexta das 9h às 21h30, aos sábados das 10h às 21h30, domingos e feriados das 10h às 18h30. Duração: 90 minutos.  Não recomendado para menores de 12 anos. Até 20 de novembro.

*Maurício Mellone é editor do Favo do Mellone

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*