Uma radiografia do Bom Retiro

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com.br)

BOM RETIRO 958 METROS – foto de flavio morbach portella

SÃO PAULO – Consolidada pelo Teatro da Vertigem durante a gestação dos espetáculos que integram a, assim chamada, Trilogia Bíblica – O Paraíso Perdido , O Livro de Jó e Apocalipse1, 11– um dos vetores da pesquisa do grupo, o diálogo da cena com o local em que a mesma ocorre – considerando as memórias simbólicas  cravadas neste “espaço da encenação” -, é das janelas mais interessantes em que se pode observar Bom Retiro 958 metros, um cortejo-diálogo que busca radiografar sensações sobre o peculiar bairro paulistano.

Escrito  por Joca Reiners Terron, Bom Retiro 958 metros condensa impressões sobre o universo consumista que representa o bairro, um dos principais polos do mercado de roupas de São Paulo, com direito à coisificação de manequins de loja e vestidos, além de trazer personagens que preenchem a paisagem cotidiana do ambiente, como a compradora, a costureira , um morador de rua e um montador de vitrines apaixonado por um manequim. Seres pincelados com cores impressionistas e notas dissonantes que têm na genialidade do encenador Antonio Araújo, ares performáticos de esplendorosa beleza.

No inicio da História do Teatro Brasileiro, os jesuítas organizaram cortejos para celebrar alguma data religiosa ou destacar determinado episódio histórico que lhes convinha, trazendo diálogos teatrais inseridos na celebração, mas focados na performance e não na dramaturgia. Embora o teatro do século XVI e XVII estivesse atrelado a fins didático-religiosos, celebrando a moralidade cristã e reforçando os valores opressores do colonizador, podemos estabelecer traços entre a encenação de Bom Retiro 958 metros com tais celebrações litúrgicas de nosso princípio.

Bom Retiro 958 metros se contrapõe, no entanto, ao rito religioso que pretende ocultar verdades que, na maior parte das vezes, incomoda e leva à “indesejáveis” reflexões. A peça cutuca feridas sociais.

Ainda assim, os melhores momentos do espetáculo-performance residem nas inquietantes imagens que ficam tatuatadas na memória do espectador que acompanha esse cortejo e atravessa as ruas desertas do Shopping Mall ao, desativado, Teatro Taib.

Ficha Técnica

Dramaturgo Joca Reiners Terron

Concepção e Direção Geral Antônio Araújo

Co-direção Eliana Monteiro

Atores

Luciana Schwinden

Mawusi Tulani

Roberto Audio

Raquel Morales

Sofia Boito

Conrado Caputto

Kathia Bissoli

João Attuy

Icaro Rodrigues

Samuel Vieira

Beatriz Macedo

Naiara Soares

Renato Caetano

Elton Santos

Atriz convidada residente Laetitia Augustin-Viguier

Desenho de luz Guilherme Bonfanti

Direção de Arte Carlos Teixeira

Co-direção de arte Amanda Antunes

Figurinos Marcelo Sommer

Imagem Grissel Piguillem

Trilha Sonora original Erico Theobaldo e Miguel Caldas

Produção Executiva Stella Marini

Direção de Produção Teatro da Vertigem

 

Serviço BOM RETIRO 958 METROS

Até 16 de dezembro de 2012

Ponto de encontro: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Fone para informações 011 3255 2713

Temporada Quinta a sábado às 21h domingo às 19h (a produção recomenda ao público que chegue 15 minutos antes do início para a locomoção até o local do espetáculo)

Ingressos R$ 30,00 inteira – vendidos somente pelo telefone 11 40035588, site www.ticketsforfun.com.br (os ingressos NÃO SERÃO vendidos no local)

Promoção de ingressos Meia para estudantes, aposentados, e 50% de desconto para clientes do cartão Petrobras (na compra de até 2 ingressos)

Lotação 60 lugares Duração 110 min sem intervalo

Informações IMPORTANTES ao público: O público será recepcionado na Oficina Oswald de Andrade, para, na sequência, ser encaminhado ao local do espetáculo. Recomenda-se aos espectadores ir com sapatos confortáveis e sem bolsa ou sacola, e, em dias de frio, ir agasalhado. O espetáculo será cancelado em dias de chuva.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

2 Comentários

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*