Vale a pena assistir Garotos da Noite

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Garotos da Noite" - crédito Hudson Motta

SÃO PAULO – O tema da prostituição masculina já rendeu ao teatro brasileiro um belo texto dramático. Blue Jeans – Uma Peça Sórdida, escrito por Zeno Wilde, no ano de 1980, tornou-se um marco por trazer à cena de forma nunca antes vista na cena brasileira, tal assunto. Em 1991, Wolf Maya transformou Blue Jeans em um musical exitoso, que ficou anos em cartaz.

Agora, o jovem dramaturgo Thiago Salles escreveu um texto que trata da mesma questão. Garotos da Noite, em cartaz na Sala Experimental do Teatro Augusta revela que Thiago, além de ousar na abordagem do tema, é um dramaturgo a ser celebrado, dentre os diversos nomes que vem aparecendo na cena paulistana. Suas qualidades já podem ser vislumbradas no processo de criação da peça.

"Garotos da Noite" - crédito Arnaldo Torres

Thiago tomou como matriz o excelente livro Dias de Ira, do jornalista Roldão Arruda, que com minúcias investigou a trajetória de Fortunato Botton Neto, conhecido como o “maníaco do Trianon” e suspeito da execução de alguns homossexuais na década de 1980, para com isso retratar o preconceito com que os crimes envolvendo homossexuais eram (e são) tratados pela polícia e pela imprensa.

Garotos da Noite centraliza a sua ação na vida de três garotos de programa, Bambolê (interpretado por Chico Ribas), Estrela (Wilsinho Torres) e Cabral (Thiago Salles).

Através de cenas curtas e com a boa direção de Rene Ramos, que imprime um ritmo cinematográfico ao espetáculo, o espectador vai acompanhando a rotina das três personagens.

Temas como as drogas, os crimes e o mercado do sexo explícito vão sendo revelados ao público.

Chico, Wilsinho e Thiago demonstram habilidade na criação das personagens. Em nenhum momento recorrem à uma interpretação estereotipada. Representam com verdade a história ora cômica, ora triste destes três outsiders. E transformam Garotos da Noite em um bom espetáculo, que merece ser prestigiado pela plateia paulistana.

Garotos da Noite

Dias e Horários: Quartas e Quintas 21 Horas.

Até 15 de Dezembro

R$ 20 (Meia – entrada: Mediante a apresentação do comprovante)

Sala Experimental: 50 Lugares

Gênero: Drama
Classificação: 18 anos

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

4 Comentários
  1. ADOREI. Fui pra assistir uma peça de sexualidade mas me deparei com algo muito sensível. Assisti primeiro no Cacilda e revi semana passada no Teatro Augusta. Gostei mais no Augusta.

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*