Vermelho Amargo chega ao SESC Pinheiros

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

 

VERMELHO AMARGO
VERMELHO AMARGO

SÃO PAULO- O espetáculo Vermelho Amargo traz para os palcos romance premiado do escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós, um dos grandes nomes da literatura infanto-juvenil brasileira. A história trata de sentimentos íntimos, fala da perda precoce da infância, a falta da convivência com os pais e a consciência da passagem do tempo. A direção é assinada por Diogo Liberano, que divide a adaptação da obra com Dominique Arantes. A atriz e diretora Vera Holtz supervisionou o processo de montagem do espetáculo. A estreia é sexta (dia 18), às 20h30, no auditório do SESC Pinheiros. No elenco estão Davi de Carvalho, Daniel Carvalho Faria e Vandré Silveira, da Companhia Aberta.

A peça apresenta as memórias de um narrador sem nome que perde a mãe e sofre com a opressão de uma madrasta impiedosa. A sua infância se transforma num momento triste e doloroso: “A partir da morte da mãe, o menino faz-se homem e adquire olhos para ler o mundo e toda a complexidade da vida, numa história de superação por meio da poesia¨, conta o ator Davi de Carvalho.

É ‘lendo através das letras’ que este menino acompanha a tentativa dos irmãos em suprir a ausência da mãe: o irmão, o mais velho, mastigava vidros. A irmã, a mais velha, bordava incansavelmente, a outra resolveu interromper a fala. Dona de um gato que não miava, a irmã mais nova passou a miar”, finaliza Carvalho.

A montagem  ganhou a supervisão da atriz e diretora Vera Holtz, a pedido de Bartolomeu Campos de Queirós, seu amigo de muitos anos.

VERMELHO AMARGO
VERMELHO AMARGO

Vera Holtz foi a responsável por pr

opor à equipe questionamentos sobre a obra do escritor mineiro e assim contribuir para o processo de criação das cenas e para a composição dos personagens:

“Tentei ajudá-los para que avançassem na compreensão do texto, procurando por alternativas e diferentes interpretações”, afirma Vera.

Trilha, cenário e figurino contribuem para salientar as emoções do personagem de acordo com as suas lembranças e etapas da vida.

A cenografia de Bia Junqueira merece destaque: a artista criou um espaço quadrangular vermelho, que representa um grande tabuleiro de memórias e evidencia a amargura de uma vida marcada por tristes momentos.

Além disso, durante a peça, 40 quilos de pelúcia ocupam o palco, evocando elementos da infância do personagem.

Sobre Bartolomeu Campos Queirós

 Vermelho Amargo foi vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2012, na categoria Melhor Livro. De cunho autobiográfico, foi o primeiro e único romance adulto do escritor mineiro, morto em 2012. Nascido em 1944, viveu a infância em Papagaio (MG). Tem mais de 40 livros publicados (alguns deles traduzidos para inglês, espanhol e dinamarquês: Onde Tem Bruxa Tem Fada, O Peixe e o Pássaro, Até Passarinho Passa, O Olho de Vidro do Meu Avô,

 

Sobre a Companhia Aberta

A cia foi criada no Rio de Janeiro, em 2011, pelos atores mineiros (radicados no Rio de Janeiro) Daniel Carvalho Faria, Davi de Carvalho e Vandré Silveira, A companhia tem investido na realização de dramaturgias de cunho biográfico – que dialogam com o nosso tempo -, utilizando-se do épico dramático e da aproximação com as artes plásticas para o encontro com o espectador.Em 2011, estreou o primeiro espetáculo, Farnese de Saudade, sobre o universo do artista plástico mineiro Farnese de Andrade. Em 2014, além de circular com os espetáculos Farnese de Saudade e Vermelho Amargo, o grupo realiza uma residência artística em São Paulo para a criação do seu terceiro espetáculo, O Homem Elefante, uma parceria com a diretora Cibele Forjaz (Cia. Livre) e a atriz e diretora Isabel Teixeira.

 

Ficha Técnica:

Autor: Bartolomeu Campos de Queirós.

Colaboração artística: Vera Holtz.

Adaptação: Diogo Liberano e Dominique Arantes.

Direção: Diogo Liberano.

Diretora Assistente: Dominique Arantes.

Elenco: Daniel Carvalho Faria, Davi de Carvalho e Vandré Silveira.

Cenografia: Bia Junqueira.

Iluminação: Daniela Sanchez.

Figurinos: Júlia Marini.

Trilha Sonora: Felipe Storino.

Cantora: Gabriela Geluda.

Direção de Movimento: Caroline Helena.

Oficina Contato Improvisação: Cláudio Dias.

Fotografia: Anna Clara Carvalho.

Designer Gráfico e Ilustrador: André Coelho.

Preparação Vocal: Verônica Machado.

Assessoria de Imprensa: Arte Plural.

Produção Executiva: Lívia Ataíde.

Direção de Produção: Tamires Nascimento.

Idealização: Daniel Carvalho Faria, Davi de Carvalho e Diogo Liberano.

Realização: Companhia Aberta e Travessia Produções.

 

Serviço:

Vermelho Amargo

Estreia no dia 18 de julho, sexta-feira, às 20h30, no auditório do SESC PinheirosEndereço: Rua Paes Lemes, 195, Pinheiros (SP). Temporada: sexta-feira e sábado, às 20h30. Até dia 30 de agosto. Ingressos: R$25 (inteira), R$12,50 (meia: usuário inscrito no SESC e dependentes, estudante, professor da rede pública, +60 anos e pessoas com deficiência), R$5 (comerciário: trabalhador do comércio de bens, serviço e turismo matriculado no SESC e dependentes). Classificação Indicativa: 16 anos. Capacidade: 99 lugares  SESC Pinheiros – Rua Paes Lemes, 195, Pinheiros (SP). Informações ao Público: (11)3095-9400. Horário de Atendimento: de terça-feira à sexta-feira, das 10h às 22h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h. Horário da Telefonia: de terça-feira à sexta-feira, das 10h às 22h. Sábados, das 10h às 21h, domingos e feriados, das 10h às 19h. Atendimento também pelo site www.sescsp.org.br ou pelo 0800 118220.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*