A vida da cantora Maria Callas é encenada no teatro

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

CALLAS
CALLAS

SÃO PAULO – O espetáculo Callas, que já passou pelo Rio de Janeiro e por mais 22 cidades brasileiras, traz, de forma documental, relatos da cantora lírica Maria Callas, consagrada pelo seu talento e lembrada pelo seu temperamento inquieto. Claudia Ohana interpreta Callas e está em cena ao lado de Cassio Reis.  Os figurinos são de Sonia Soares, a trilha sonora de Paulo Arguelles, as projeções de Paola Soares, a luz de Paulo Cesar Medeiros e o cenário de Rafael Guedes.

Callas faz uma homenagem a grande diva do canto lírico  e expõe as suas contradições, a sua força e fragilidade. Uma mulher talentosa e que conquistou reconhecimento, mas que estava sempre em busca de atenção e sonhava com um grande amor.

No palco, Maria Callas, chamada de a imperatriz do Bel Canto, revela o seu gênio difícil e mostra que as suas ações pessoais e profissionais eram regidas pelo sentimento.

A trama é ambientada em Paris. A história começa no dia 15 de setembro de 1977, um dia antes do falecimento de Maria Callas, quando a artista procura o jornalista e amigo John Adams para que ele cuide da abertura de uma exposição sobre a sua vida e carreira.

O encontro é fictício e serve como ponto de partida para um mergulho na trajetória de Callas.

Ao entrar em contato com o material selecionado para a exposição, como figurinos, joias, quadros, discos e imagens, a cantora lembra momentos da sua carreira de sucesso, mas também revê fatos de sua vida que revelam o quanto passou por situações complicadas, como o polêmico relacionamento amoroso com Aristóteles Onassis, a renúncia da profissão em nome do amor, a morte do filho e a sua reclusão.

 

Marília Pêra e Maria Callas

Marília Pêra, que interpretou Callas  em Master Class, de 1996, volta a se debruçar sobre a vida da cantora dezoito anos depois, neste texto inédito de Fernando Duarte, que também assinou as peças À beira do abismo me cresceram asas e Orgulhosa demais frágil demais.

Em 16 de setembro de 1977, o mundo perdeu Maria Callas aos 53 anos, vitima de um ataque cardíaco. Sua história de vida foi tão dramática quanto às personagens que interpretou nas óperas. A maior soprano da história e um dos maiores mitos do século XX, que teve sua vida marcada por glórias e tragédias, completaria 90 anos no dia 02 de dezembro de 2013.

Ela revolucionou a história da ópera e ainda hoje é considerada a maior cantora lírica de todos os tempos. Callas foi vítima do estrelato excessivo e sua trajetória mostra como os sonhos se constroem e se desfazem ao longo da vida.

Ficha Técnica:

Autor: Fernando Duarte

Direção: Marília Pêra

Elenco: Claudia Ohana e Cássio Reis

Figurinista: Sonia Soares

Cenógrafo: Rafael Guedes

Design de luz: Paulo Cesar Medeiros

Trilha Sonora: Paulo Arguelles

Design de som: Alessandro Person

Direção de projeções: Paola Soares

Visagismo: Francisco Toscano

Assistente de Marília Pêra: Nilza Guimarães

Assistente de direção: Mayara Travassos

Design gráfico: Ronaldo Filho

Fotos material gráfico: Leo Castro

Assessoria de imprensa: Morente Forte

Produção executiva: Fernando Duarte e Rosi Fer

Direção de produção: Cássia Vilasbôas

Produtores associados: Cássio Reis e Fernando Duarte

Realização: NOVE Produções Culturais

 

Serviço:

Callas

Teatro Itália (276 lugares)

Avenida Ipiranga, 344 – República

Bilheteria: 3255.1979. Terça a domingo, a partir das 15h.

Aceita todos os cartões, não aceita cheque.

Vendas: www.compreingressos.com / 2122.2474

Sexta às 21h30 | Sábado às 21h | Domingo às 19h

Ingressos:

Sexta e Domingo R$ 70 | Sábado R$ 80

Duração: 60 minutos

Recomendação: 12 anos

Gênero: Espetáculo documentário biográfico

 Pré-estreia para convidados: dia 11, quinta-feira, às 21h30

 Estreia dia 12 de Setembro

Temporada: até 09 de novembro

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado