Você já foi à Amazônia?

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Marina Flores e Hélio Cícero em "As Folhas do Cedro", de Samir Yazbek

Não? Então vá. Se já foi, não vai porque não quer, ou não pode ir, não deixe de assistir à peça As Folhas de Cedro, escrita e dirigida por Samir Yazbek. Em primeiro lugar porque o texto se passa por lá, e tem como personagens imigrantes e filhos de imigrantes vindos do Líbano e imediações, o que é um retrato fiel da região, por incrível que pareça.

Um pessoal verdadeiramente desbravador. É impressionante! A gente não espera por isso. E, como os textos de Yazbek, é bem escrito e não se restringe apenas àquele local. Acompanha uma família que vive tendo que contrapor os valores da cultura de origem aos do local onde se estabeleceu criando novas sínteses, coisa que deve ser comum a todos os que mudam para países tão diferentes dos de sua origem.

A obra foi escrita, também, em homenagem à comemoração dos 130 anos da imigração libanesa para o Brasil.

E é uma bela homenagem, também, devido ao excelente espetáculo, o segundo dirigido por ele a que assisti.

Douglas Simon, Rafaella Puopolo, Helio Cicero em "As Folhas do Cedro"

Contribuem para esse acerto a direção de atores assinada por Janô (Antonio Januzelli, professor da USP), o cenário que consegue tornar íntimo o grande palco do SESC Vila Mariana e os ótimos figurinos de Laura Carone e Telumi Hellen. Merecem referência também a música de Marcello Amalfi, assim como a excelente iluminação de Domingos Quintiliano.

Mas o ponto mais alto é sem dúvida a interpretação do elenco. E não é só Hélio Cícero, como sempre arrasando. O mesmo pode ser dito de Daniela Duarte, Douglas Simon, Gabriela Flores, Mariza Virgolino e Rafaella Puopolo.

E quem mais encanta é Marina Flores, que, como as demais crianças em cartaz nos musicais, como Gipsy, dá a sensação de que o nosso teatro do futuro será imbatível.

Você não pode perder.

Ficha técnica

Espetáculo: As Folhas do Cedro com a Cia. Teatral Arnesto nos Convidou

Texto e direção: Samir Yazbek

Elenco: Helio Cicero, Daniela Duarte, Douglas Simon, Gabriela Flores, Mariza Virgolino, Rafaella Puopolo e Marina Flores (criança)

Preparação de atores: Antônio Januzelli (Janô)

Cenário e figurino: Laura Carone e Telumi Hellen

Trilha sonora original: Marcello Amalfi

Iluminação: Domingos Quintiliano

Assistência de direção: Isabel Hart

Operação de som: Vinícius Andrade

Operação de luz: Osvaldo GazottiAulas de língua árabe: Aida Hanania

Aulas de dança árabe: Angélica Rovida

Programação visual: Juliana Vinagre

Fotografia: Fernando Stankuns

Criação do blog: Diego Spino

Assistência de produção: Larissa Orlow

Produção geral: Silvia Marcondes Machado

Administração: Mecenato Moderno

Realização: SESC SP

Mais informações sobre o espetáculo: asfolhasdocedro.arnesto.art.br

Serviço

Local: SESC Vila Mariana (Teatro)

Rua Pelotas, nº 141 – Vila Mariana/SP – Tel: (11) 5080-3000

(11) 5080-3000

Temporada: sextas e sábados (21 horas) e domingos (18 horas)

Ingressos à venda em todas as unidades SESC: de R$ 5,00 a R$ 20,00

Classificação etária: 12 anos. Gênero: Drama. Duração: 80 min.

Final da temporada: 22 de agosto. Capacidade: 608 lugares

Acesso universal. Ar condicionado. Estacionamento: a partir de R$ 5.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.