#WalterBreda encabeça elenco de peça com textos de #VeraKaram

Maurício Mellone* (aplauso@gmail.com)

"Quem Tem Medo Vera?"

Com direção de Walter Breda, o espetáculo Quem Tem Medo de Vera? reúne quatro textos da dramaturga gaúcha m que retratam com bom humor e delicadeza o cotidiano e as relações afetivas das pessoas. Estão no elenco ao lado de Breda, Egla Monteiro, Jô Rodrigues, Luciano Borges, Maria do Carmo Soares e Ronaldo Gil

Após  tradicional terceiro sinal que abre todo o espetáculo teatral, a plateia do Teatro Ágora é surpreendida com a entrada afobada de um senhor, que desce a escada e pergunta para a senhora se o lugar ao seu lado estava desocupado. Pronto, este é o mote para dar início a Quem Tem Medo de Vera?, montagem de quatro pequenos textos de Vera Karam, dramaturga gaúcha falecida em 2003 que escreveu, entre outras peças, Quem Sabe a Gente Continua Amanhã?,  Dona Otília Lamenta Muito Por que Você não Disse que me Amava.

Numa metalinguagem, o primeiro esquete dessa reunião de textos de Vera Karam gira em torno dos dois espectadores de uma peça que iniciam uma discussão à toa: ele só queria ter certeza se a poltrona vazia ao lado da senhora é a dele. A senhora se levanta e começa uma longa explanação, o que gera irritação e desconforto do senhor. Depois de várias tentativas, ele finalmente consegue se sentar e a peça tem início, ou melhor, começa o segundo esquete, em que uma florista recebe em sua loja um provável comprador.

Dessa vez, Walter Breda, que assina a direção, optou por deixar a florista e o comprador em níveis diferentes: ela acima com um ramalhete de flores e ele no nível inferior do palco, bem encabulado e sem jeito com seu guarda-chuva. Ele só entrou na loja para fazer hora e começa a se interessar pela bela moça; ambos são tímidos e não conseguem ultrapassar a barreira, não física. mas emocional, entre eles.

Elenco de "Quem Tem Medo de Vera?"

A iluminação e a movimentação dos dois atores enfatizam esse distanciamento entre os personagens.
O terceiro texto é o monólogo de um cobrador de ônibus (vivido por Walter Breda), que é apaixonado por uma passageira mas nunca se declarou. Com riqueza de detalhes e sem nunca terem trocado uma única palavra, o cobrador narra toda a vida de sua musa, desde quando ela era solteira, depois quando começa a usar aliança de noivado e em seguida troca a aliança de mão. A nova etapa da vida dela é a gravidez, depois o nascimento dos gêmeos, a separação, a tristeza e a solidão. O relato segue até o dia em que ele se aposenta e decide voltar para a sua terra.

O último quadro é de três velhinhas que se reúnem para o chá da tarde. Aos poucos o público descobre que aquele encontro fazia parte de um meticuloso programa de reuniões das três irmãs, com pautas estabelecidas, horários e temas: um dia para se falar do pai, outro para comentar sobre os namorados, outro para chorar a perda da mãe. Se alguma delas resolve inverter a ordem da reunião, há brigas e desentendimento. Com ironia, a autora questiona a rotina e a falta de expectativa diante da vida.
Em apenas uma hora, o público tem a chance de conhecer um pouco da dramaturgia de Vera Karam. Quem Tem Medo de Vera? cumpre temporada até final de outubro.

Roteiro:
Quem Tem Medo de Vera?
Texto: Vera Karam. Direção: Walter Breda. Elenco: Egla Monteiro, Jô Rodrigues, Luciano Borges, Maria do Carmo Soares, Ronaldo Gil e Walter Breda. Cenografia: Marcelo de Andrade Melo. Figurino: Carol Badra. Criação de luz: Walter Breda. Operação de luz: Marcão. Criação de sonoplastia: Fernando Esteves. Operação de som: Carlos Campos. Fotografia: Edson Kumazaca. Produção: Jô Rodrigues e Luciano Borges.

Serviço:
Teatro Ágora (88 lugares), Rua Rui Barbosa, 672, tel. 3284-0290. Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingo, às 19h. Ingressos: R$ 30 e R$15. Bilheteria: abre 14h. Pagamento em dinheiro ou cheque. Não aceita cartão. Duração: 60 minutos. Recomendação: 12 anos. Temporada: até 30 de outubro.

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*